quinta-feira, 31 de agosto de 2017

1977-08-31 - Paginas Vermelhas Nº 13 - UCRP(ml)

EDITORIAL
O nosso norte é a luta revolucionária

A 14ª. Reunião plenária (Alargada) do nosso Comité Central, realizada recentemente, aprovou importantes resoluções, importantes do ponto de vista político, ideológico e organizativo.
Cabe agora ao conjunto da Organização, aos seus militantes - quadros e não quadros, agarrar com firmeza estas Resoluções, estudá-las profundamente - assimilando-as - no sentido, da sua rápida concretização.
Neste sentido - e de imediato - duas tarefas de envergadura se nos colocam: transformar as Resoluções tomadas pelo nosso C.C., numa coesa, decidida e intrépida vontade colectiva, ao nível de toda a Organização. Cerrar fileiras à volta do Comité Central e das suas importantes e históricas Resoluções. Esta é a primeira das tarefas, e que de imediato se nos coloca ao nível interno. Se ela não for profunda e correctamente tratada e concluída, as outras que se lhe seguirão, especialmente a segunda, virá ressentir-se, o reforço da Organização também, e as massas continuarão à deriva, ao sabor do espontaneísmo e do carreirismo, ao sabor, em suma, do social-fascismo. Cabe-nos a nós, comunistas marxistas-leninistas, agarrar com ambas as mãos a condução das massas, conduzindo estas, através da sua própria experiência e do nosso exemplo, às posições justas, revolucionárias, às posições da Revolução proletária.

1977-08-31 - Bandeira Vermelha Nº 085 - PCP(R)

EDITORIAL
UM DOCUMENTO DE ELEVADO ALCANCE REVOLUCIONÁRIO

Aprovada no meio de enorme entusiasmo, a Resolução da III Reunião Plenária (Ampliada) do Comité Central culmina um longo processo de ricos e aprofundados debates. A direcção do nosso Partido, trabalhando em conjunto e consultando os escalões intermédios, recolheu os dados da experiência vivida, caracterizou as principais deficiências da actividade partidária, as suas origens e as formas de as superar, examinou a situação actual e as suas tendências de evolução, pôs em destaque as tarefas primeiras que hoje se colocam ao nosso Partido na sua actividade revolucionária.
Ao longo dos trabalhos e nas conclusões retiradas, sobressaiu sempre a inteira justeza e a Completa actualidade da Resolução Política do II Congresso.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

1972-08-30 - POR UMA ASSOCIAÇÃO DE TODOS OS ESTUDANTES Nº 11 - Movimento Estudantil

POR UMA ASSOCIAÇÃO DE TODOS OS ESTUDANTES Nº 11
30-8-72

Comunicado da Direcção da AEISCEF

VENCER EM SETEMBRO

I - POR UMA REFORMA GERAL E DEMOCRÁTICA DO ENSINO
A Reforma Geral e Democrática do Ensino, perspectiva de muitas lutas associativas da última década e do programa da AEISCEF para 72-73, não é conquistável de um só golpe e através de uma luta puramente estudantil: depende da modificação das condições gerais da sociedade portuguesa por via do desenvolvimento e triunfo final das forças progressistas. Por isso e embora o Movimento Associativo possa fazer conquistas parcelares, estas terão de ser defendidas contra a política geral repressiva do governo, preservadas da sua absorção no contexto das reformas de Veiga Simão que visando apenas uma modernização do ensino ao serviço do capital têm tido como lógica consequência a intensificação dos conflitos universitários.

1977-08-30 - Rui Gomes em liberdade - Rui Gomes

Em defesa das conquistas de Abril
Rui Gomes em liberdade

FESTA
COMÍCIO 30 de AGOSTO 2130 H VOZ do OPERÁRIO

NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA DIA DE AGOSTO, RUI GOMES SAI EM LIBERDADE
A luta tenaz e corajosa que levou a cabo — e que culminou com uma greve da fome de três semanas — a ampla solidariedade popular que à sua volta foi crescendo, impuseram a sua próxima libertação.
A vitória obtida indica o caminho da luta. É na luta que é preciso continuar: contra as medidas reaccionárias das autoridades militares e civis, contra a grande ofensiva para liquidar a Reforma Agrária, contra os sucessivos ataques aos direitos sindicais e ao pão dos trabalhadores, contra a escalada dos despejos, contra a venda do nosso país ao imperialismo, contra a repressão e fascização crescente, contra as forças fascistas dia a dia mais arrogantes.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

1972-08-29 - proposta das direcções das AAEE do Técnico e Económicas à reunião geral de sócio da Livrelco - Movimento Estudantil

proposta das direcções das AAEE do Técnico e Económicas à reunião geral de sócio da Livrelco de 29/8/72

Ao enviar a notificação às dez cooperativas para entrega dos respectivos Estatutos,contavam as autoridades que a actual situação de (des)mobilização das massas estudantis, e as cisões no Movimento Cooperativo lhes permitisse realizar agora o objectivo fundamental que tinham em vista aquando da criação do Dec.-Lei 520/71 e que não conseguiram efectivar no princípio deste ano - O ENCERRAMENTO DAS COOPERATIVAS, as quais são fruto de organizações de massas, democráticas e progressistas.
São estes os motivos que nos levam a verificar que, neste momento, para opor uma resposta consequente a esta escalada repressiva sobre o Movimento Cooperativo, duas direcções de luta são essenciais? - Uma grande mobilização das massas associativas de cada Cooperativa; - Uma unidade na acção do Movimento Cooperativo, no seu todo.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

1977-08-00 - DECLARAÇÃO DA UDP SOBRE A CONSTRUÇÃO DE CENTRAIS NUCLEARES EM PORTUGAL - UDP

DECLARAÇÃO DA UDP SOBRE A CONSTRUÇÃO DE CENTRAIS NUCLEARES EM PORTUGAL

    1. Para dar satisfação aos aumentos previsíveis do consumo de energia eléctrica pretende o governo iniciar, a curto prazo, um programa de construção de centrais nucleares, apresentando esta solução como a que melhor se insere numa política de aproveitamento dos recursos nacionais e de redução da nossa dependência em relação ao estrangeiro. Tais argumentos, no entanto, não passam de pura demagogia e mais não visam do que iludir o Povo português, quanto às razões políticas que determinam ao governo a escolha da energia nuclear.

domingo, 27 de agosto de 2017

1977-08-00 - CONSIDERANDO - Sindicato Professores

CONSIDERANDO

1. Que O Congresso de Todos os Sindicatos, importante marco na Unidade dos Trabalhadores Portugueses, apelam para todos, mesmo para os que nele não participaram no sentido duma unidade na acção.
2. Considerando que os Sindicatos da Função Pública que nele participaram aderiram às resoluções de Congresso é estreita a nossa relação com estes Sindicatos pela que a grande maioria dos professores são também Funcionários Públicos.
3. Considerando negativo e isolamento dos professores em relação à imensa maioria dos Trabalhadores e especificamente dos da Função Pública.
4. Considerando que a Democracia não foi palavra vã e possibilitou o livre debate em todas as sessões de Congresso.

1977-08-27 - PROMOÇÃO CONQUISTAS DE ABRIL - PCP

PROMOÇÃO CONQUISTAS DE ABRIL

Circular nº 1 às organizações do Partido

      1. Na Reunião de 31 de Julho o Comité Central tomou a decisão de levar a efeito uma campanha de recrutamento, a que deu o nome de “Promoção Conquistas de Abril” e cujo objectivo e o ingresso de mais 10.000 membros nas fileiras do Partido até finais do ano corrente.
No documento então aprovado e justificada a importância política e também a viabilidade de tal campanha. O Partido ocupa uma posição única na defesa consequente dos interesses dos trabalhadores, das conquistas da Revolução, da democracia e da independência nacional.
Nas graves crises do processo revolucionário, nomeadamente na perigosa situação actual, tem sabido dar resposta correcta, democrática e de massas. Tem assim conquistado uma confiança crescente entre os trabalhadores e outras camadas da população, cada vez mais conscientes da importância do reforço político e orgânico do Partido.

sábado, 26 de agosto de 2017

1972-08-26 - AOS ESTUDANTES - Movimento Estudantil

DAS DIRECÇÕES DAS AAEE DO TÉCNICO E ECONÓMICAS

AOS ESTUDANTES
UNAMO-NOS PELA DEFESA DA LIVRELCO!
APOIEMOS O MOVIMENTO DAS COOPERATIVAS!

A criação de cooperativas, no século passado, aparece como uma iniciativa de classe operária, com vista a fazer frente a algumas das formas de exploração capitalista a que se vê submetida. As cooperativas são uma concretização da capacidade das classes trabalhadoras para se organizarem democraticamente na defesa dos seus interesses.
Com limitações historicamente reconhecidas, enquanto ligadas unicamente à defesa dos interesses económicos dos seus associados, as cooperativas passaram a desempenhar um importante papel da promoção cultural sem a qual a sua actividade não ultrapassar a de uma concorrência, mais ou menos vantajosa para os membros, com as diversas empresas que exercem a sua actividade no mesmo ramo. No campo do consumo, a vida económica das cooperativas é bastante precária, em virtude de cada vez maior concentração empresarial e à investiria de supermercados dependentes de grandes monopólios.

1977-08-00 - BOLETIM COMISSÃO DA 7ª ZONA DO C.L.L. Nº 02 - PCP


FESTA DO AVANTE

BOLETIM COMISSÃO DA 7ª ZONA DO C.L.L. nº 02

No domingo lá estivemos em mais uma jornada de trabalho.
Manhã cedo começaram a chegar ao Jamor os camaradas e amigos dispostos a dar o melhor de si na esperança de pôr de pé a nossa FESTA. O rosto de cada um transmitia uma vontade forte um sentimento comum.
Formaram-se inúmeras brigadas de trabalho e em breve era vê-los de um lado para o outro empunhando a sua enxada, picareta ou martelo ao mesmo tempo que entoavam canções revolucionárias numa alegria e camaradagem sãs.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

1972-08-25 - A PREVIDÊNCIA DOS BANCÁRIOS - Sindicato dos Bancários do Porto

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO PORTO
Informação 10/72
PORTO, 25 de Agosto de 1972

A PREVIDÊNCIA DOS BANCÁRIOS
Colegas:
Em complemento da Informação 9/72, e no intuito de facultar à Classe elementos para intervenção na próxima Assembleia que, em princípio, deverá realizar-se no dia 1 de Setembro, transcreve-se (com sublinhados nossos) o ofício que o Sindicato congénere de Coimbra enviou ao Senhor Secretário de Estado do Trabalho e Previdência em 23 do corrente. Por ele, avaliarão os Colegas a gravidade das tentativas do Grémio para se furtar ao respeito pelo articulado aprovado no seio da C.O.C.P.A.F.E.B.

1977-08-25 - TODOS À REUNIÃO DE ESTUDANTES E FAMILIARES ABERTA A TODO O POVO - Movimento Estudantil

TODOS À REUNIÃO DE ESTUDANTES E FAMILIARES ABERTA A TODO O POVO

CONTRA AS REPROVAÇÕES MASSIVAS!
EXIJAMOS A 2ª ÉPOCA PLENA EM SETEMBRO

5ª F. Dia 25 às 21.H na SEDE da COM. De MORADORES dos ANJOS

1977-08-25 - Luta Popular Nº 558 - PCTP/MRPP

EDITORIAL
EM VÉSPERAS DE NOVAS MEDIDAS CONTRA O POVO

I
Com a ultimação em Conselho de Ministros das novas medidas antioperárias e antipopulares, com manifestações claras da parte do proletariado e do povo trabalhador duma firme disposição de resistir e lutar, esfumam-se os últimos vapores daquilo que a burguesia procurou impingir como uma «trégua» na luta de classes: as «férias», «acima» da política, dos partidos e dessa mesma luta de classes. «Férias» que a esmagadora maioria do povo português não sabe o que são, mas que surgem como a benesse em nome de cuja magnânima concessão o Governo se prepara para cobrar o preço do novo cabaz. «Férias» cuja roupagem demagógica funciona como cortina de fumo e amortecedor para a nova cabazada de fome que sobre o povo trabalhador se vai abater.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

1972-08-24 - REUNIÃO DE ASSOCIADOS - Sindicatos S.N.E.B.D.L.

REUNIÃO DE ASSOCIADOS
Circular nº. 33/72

Com um reduzido número de presenças realizou-se mais uma Reunião de Associados. O pequeno número de colegas, deve-se ao facto de na semana anterior, por motivos imprevistos, não se ter realizado a habitual R.A.
INFORMAÇÕES
a) - Abaixo-assinado sobre a libertação do Colega Daniel Cabrita.
Foi referido pelos colegas presentes que este abaixo-assinado, continua a correr em vários Bancos, não tendo ainda, sido possível a sua recolha, era virtude de se encontrarem em férias vários colegas.
b) - Pela leitura da circular da R.A. de Lisboa de 11/8/72, soube-se que os colegas da Capital tal como no Porto, enviaram vários telegramas a Sua Exº. o Presidente da Republica, solicitando a sua intervenção na libertação de Daniel Cabrita.

1977-08-24 - TODOS À REUNIÃO DE ESTUDANTES E FAMILIARES ABERTA A TODO O POVO - Movimento Estudantil

TODOS À REUNIÃO DE ESTUDANTES E FAMILIARES
ABERTA A TODO O POVO

CONVOCADA POR:
ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES ESCOLA I. AFONSO DOMINGUES.
ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA ESCOLA C. LUISA DE GUSMÃO - noite

1977-08-24 - Bandeira Vermelha Nº 084 - PCP(R)

EDITORIAL
O PROLETARIADO ESMAGARÁ O PERIGO FASCISTA EM ASCENSO

Afinal as hienas não enjeitam os filhos — foi o comentário com que um jornalista democrata em Bona recebeu a escandalosa notícia da evasão do ex-coronel das SS Herbert Kappler e da sua protecção pelo governo alemão ocidental.
Este bandido, agora acoitado algures entre o luxo e o ócio dos financeiros alemães, é um dos co-responsáveis pela morte, ferimento e mutilação dos 50 milhões de mártires do nazi-fascismo.
A sua protecção pelos revanchistas imperialistas da República Federal Alemã é uma afronta dolorosa contra os povos, os democratas e o proletariado internacional. Ela reaviva na memória dos povos os sacrifícios heróicos da resistência antifascista e, em particular, a epopeia grandiosa da grande guerra patriótica que a União Soviética, dirigida pelo grande Staline, travou vitoriosamente contra a agressão nazi-fascista.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

1977-08-23 - O Comboio Nº 04 - UCRP(ml)

O COMBOIO Nº 4
BOLETIM DA UCRP-ML NA CP
23/8/77

CERRAR FILEIRAS EM DEFESA DAS CONQUISTAS ALCANÇADAS
Camaradas, o concelho de gerência da C.P. entregou à Comissão Negociadora Sindical uma contraproposta de revisão do ACT, onde além de propor um vergonhoso aumento de 600$00 mensais ainda nos pretendem roubar vários direitos fundamentais já conquistados.
Embora mo tenhamos conhecimento na integra dessa contraproposta, dado que, tanto o C.G. como a Com. Neg. Sindical a mantêm no "segredo dos deuses", afim de calarem a nossa justa revolta contra ela e simultaneamente melhor poderem jogar nas nossas costas, é do conhecimento publico que dela consta a tentativa de liquidação de várias cláusulas tais como:

1977-08-23 - COMPOSIÇÃO DOS COMITÉS LOCAIS E DOS SECRETARIADOS LOCAIS DO CONCELHO DE VILA FRANCA DE XIRA - PCTP/MRPP

COMPOSIÇÃO DOS COMITÉS LOCAIS E DOS SECRETARIADOS LOCAIS DO CONCELHO DE VILA FRANCA DE XIRA

Comité local de V.F.X.
Alberto - Secretário/professores
Alfredo - UDV/V.F.X.
Zé - Câmara
Miguel - Fábricas/ L.P.
Rui - Cine-Clube/aderentes
Alexandrina - Mulheres
Luísa - Hospital
Luís - L.P./propaganda
António - Castanheira
Adriano - Metal
Anágua - Ecril
Paula - Tudor
Mourão - (conv.) Atral-Cipan
Vasco - 2º Secretário da UDV
Secretário - Alberto

terça-feira, 22 de agosto de 2017

1977-08-22 - contra as reprovações massivas todos à reunião! - Movimento Estudantil

contra as reprovações massivas todos à reunião!
pela aplicação da plataforma!

AOS ESTUDANTES! AOS FAMILIARES! AO POVO!

Camaradas:
É no momento em que uma aguda crise (mais uma), sacode, até aos alicerces esta sociedade podre, no momento em que o custo de vida sobe de 40% em relação a Janeiro, no momento em que a Assembleia da Republica legisla uma série de leis contra o povo e contra a classe operária, no momento em que a Comissão de Moradores vai a tribunal, que se realizaram os exames nacionais.

1977-08-22 - HÁ UM ANO NASCEU A ORGANIZAÇÃO DE VANGUARDA DA JUVENTUDE: - UJCR

22 DE AGOSTO DE 1976-22 DE AGOSTO DE 1977

HÁ UM ANO NASCEU A ORGANIZAÇÃO DE VANGUARDA DA JUVENTUDE:
A UNIÃO DA JUVENTUDE COMUNISTA REVOLUCIONARIA

JOVENS OPERÁRIOS!
JOVENS TRABALHADORES!
JOVENS ESTUDANTES!

No dia 22 de Agosto de 1976 nasceu a organização da juventude. Nesse dia o coração dos jovens revolucionários encheu-se de alegria e também de um grande espírito de luta. Foi também motivo de esperança para milhares de jovens explorados, que viam assim, nascer a organização capaz de os mobilizar para a luta contra o fascismo, a exploração por uma sociedade mais justa.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

1972-08-00 - O POVO NÃO DORME! - MRPP

O POVO NÃO DORME!

LEVANTEMO-NOS CONTRA O ROUBO DO COMBOIO E O INCÊNDIO DOS NOSSOS CAMPOS!

Aos operários e camponeses,
Aos jovens e mulheres,
AO POVO DO VALE DO VOUGA!

     Camaradas:
No dia 18 de Agosto do 1972 a C.P. lançou um terrível incêndio aos nossos campos! Das máquinas velhas da linha do Vale do Vouga as faúlhas pegaram fogo às nossas terras, às nossas casas, às nossas árvores e animais, reduziram a cinza os nossos magros haveres, lançaram famílias e famílias na miséria, sem sequer terem um tecto para se abrigar.

1977-08-21 - AS ORGANIZAÇÕES LOCAIS DA ORGANIZAÇÃO REGIONAL DE LISBOA - PCTP/MRPP

AGOSTO 1977

AS ORGANIZAÇÕES LOCAIS DA ORGANIZAÇÃO REGIONAL DE LISBOA

1. O PLANO ANUAL. A OFENSIVA, A EDIFICAÇÃO E OS COMITÉS LOCAIS
A presente reunião de secretários e vice-secretários dos 25 Comités Locais dos 6 concelhos básicos do Distrito e as orientações dela saídas constituem um poderoso passo para a Edificarão dum forte, coeso e bem ligado as massas Partido Comunista na Região de Lisboa.
A Ofensiva política do Partido não poderia alcançar o máximo da sua intensidade, nem todas as forças podiam ser postas em tensão, nem todos os factores positivos mobilizados sem uma profunda rectificação, revolucionarização e reorganização dos Comités Locais do Partido.

domingo, 20 de agosto de 2017

1972-08-00 - ELEIÇÕES SINDICAIS - Sindicato da Industria Naval

ELEIÇÕES SINDICAIS
PORQUE UM SINDICATO DA INDÚSTRIA NAVAL?

Desde há tempo verá circulando rumores (que recentemente tiveram confirmação da imprensa diária), acerca da formação de um Sindicato de âmbito nacional, agregando os trabalhadores da indústria naval.
Ora considera-se possuir esta iniciativa implicações que largamente excedem os limites dos nossos colegas da indústria naval, na medida em que são postas em risco as já de si débeis perspectivas do sindicalismo português, sem que, em contrapartida, haja a garantia de não ficarem também sindicalmente ainda mais pobres os próprios trabalhadores da construção naval.

1977-08-00-Verão - O Proletário Vermelho Nº 86-87

Editorial
3 ANOS DE UM JORNAL
O encerramento de um ciclo
- A continuação do trabalho

Com este número «ESPECIAL» chega “O Proletário Vermelho” ao seu terceiro aniversário de presença constante onde os esforços (bem distintos) da Redacção e da distribuidora comercial intentaram levá-lo.
“O Proletário Vermelho” surgiu a 20 de Agosto de 1974 fruto de um acto de vontade e de decisão. Permaneceu como consciência perene de uma necessidade. Que se mantém. Prosseguirá, portanto, sob esta ou outras formas, como exigência da realidade do nosso “mercado ideológico e jornalístico”. Como permanência dessa vontade.

sábado, 19 de agosto de 2017

1977-08-19 - PROGRAMA LISTA B - Sindicato Oficiais Maquinistas da Marinha Mercante

SINDICATO DOS OFICIAIS MAQUINISTAS DA MARINHA MERCANTE

PROGRAMA LISTA B
LUTA UNIDADE VITORIA
POR UM SINDICATO DEMOCRÁTICO

CONTRA A CANDIDATURA AFECTA A INTERSINDICAL
POR UM NOVO CCT PARA A MARINHA DE COMÉRCIO
PELO ESTATUTO DE PROFISSÃO DOS OFICIAIS E ENGENHEIROS MAQUINISTAS

ELEIÇÕES
3/OUT/77

UMA CANDIDATURA DE UNIDADE NASCIDA DA LUTA PELA DEMOCRACIA NO NOSSO SINDICATO

1977-08-19 - RÁDIO TIRANA Nº Especial - PCP(R)

RADIO TIRANA

EDIÇÕES"
'Bandeira Vermelha’ * PCP(r) PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS (RECONSTRUÍDO)

NEXHIMIJE HOXHA

ALGUMAS QUESTÕES FUNDAMENTAIS
DA POLÍTICA REVOLUCIONÁRIA DO PTA
QUANTO AO DESENVOLVIMENTO DA LUTA DE CLASSES
FIQRET SHEHU
OS PARTIDOS REVISIONISTAS
- TÍPICOS PARTIDOS BURGUESES CONTRA-REVOLUCIONÁRIOS

NÚMERO ESPECIAL
PREÇO 7$50

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

1977-08-18 - É TEMPO DE AGIR! - LCPR

GREVE GERAL PARA FORÇAR A REVOGAÇÃO DAS LEIS ANTI-OPERÁRIAS E A DEMISSÃO DO GOVERNO!
UMA ALTERNATIVA OPERÁRIA CONTRA A CRISE CAPITALISTA!

É TEMPO DE AGIR!

O Governo capitalista e anti-operário de Mário Soares tem mais de um ano.
O Balanço deste governo é um ano de aumento de preços e de contenção de salários, um ano de desemprego, um ano de ataques aos mais elementares direitos da classe operária e de todos os trabalhadores, um ano de ataque às conquistas alcançadas após o 25 Abril, um ano de penetração e aumento da subordinação do país às agências imperialistas - a NATO, CIA, o Mercado Comum e o Fundo Monetário Internacional.

1977-08-18 - Luta Popular Nº 557 - PCTP/MRPP

EDITORIAL
O NOVO CABAZ

I
Como o nosso Partido desde o primeiro momento previu, as medidas antioperárias e antipopulares tomadas pelo Governo em 25 de Fevereiro, não só não poderiam resolver em proveito das massas um só dos problemas que sobre elas a crise actual faz abater, como representavam unicamente o inicio da aplicação de um programa imposto pelo grande capital e pelo imperialismo estrangeiro com vista a aplicar a sua solução para a crise. Ou seja, com vista a restabelecer as suas taxas de lucro à custa da desenfreada exploração dos operários (através do congelamento salarial, despedimentos, abaixamento de salários, etc.); com vista a proceder a uma maciça concentração de capital e à liquidação em cadeia das empresas «não rentáveis»: a estabelecer uma nova partilha com o capital monopolista de estado, entregando aos monopólios privados e ao imperialismo, novos sectores-chave da economia; a decretar um aumento generalizado dos preços em favor dos capitalistas; a abrir amplamente as portas ao saque do capital estrangeiro, etc.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

1977-08-17 - TODOS À REUNIÃO DE ESTUDANTES E FAMILIARES ABERTA A TODO O POVOMovimento Estudantil


TODOS À REUNIÃO DE ESTUDANTES E FAMILIARES ABERTA A TODO O POVO

CONTRA AS REPROVAÇÕES MASSIVAS!
EXIJAMOS A 2ª ÉPOCA PLENA EM SETEMBRO!

4ª F. Dia 17 às 21H. no C. SOCIAL do Bº do RELÓGIO

1977-08-17 - Bandeira Vermelha Nº 083 - PCP(R)

EDITORIAL
BANDEIRA DE LUTA DE TODO O POVO

Uma pergunta assalta hoje os trabalhadores portugueses: que solução adoptar para sair da crise que o país atravessa e abrir um futuro de liberdade e bem-estar para o povo? A solução para os graves problemas que afligem as massas trabalhadoras é cada vez menos uma questão em perspectiva e cada vez mais um assunto premente que exige resposta.
O movimento operário e popular atravessa um período de enormes tensões em que, por detrás do relativo abrandamento da onda grevista, se adivinha o fermentar turbulento de novas forças, a preparação de novas batalhas, a busca insistente do caminho vitorioso.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

1972-08-00 - Seara Nova Nº 1523

Actualidade nacional
IMPRENSA «RESPONSÁVEL E OBJECTIVA»
Por Araújo Moreira

A burguesia, que se serviu largamente da imprensa para derrubar o antigo regime, instalada no po­der, não mais deixou que a tribuna lhe escapasse ao controle. Realizada a revolução que a levou ao poder, foi ela própria, à medida que o capitalismo se desenvolvia, que criou as condições para urna profunda modificação da empresa jornalística, que passou de artesanal a industrial. Não se esqueceu, sob a democracia formal, de conceder a possibilidade a qualquer cidadão de fundar um órgão informativo que se fizesse eco da sua opinião. E dormiu descansada, consciente de que uma desenfreada concorrência (e a condução ao monopólio pela eliminação dos mais fracos), o progresso da ciência e da tecnologia (elas próprias condicionadas pelo avultado dos investimentos necessários, pelo capital) obstavam a que houvesse de facto tal possibilidade... a não ser que se fosse possuidor das dezenas de milhares de contos que exige a montagem de uma máquina informativa.

1977-08-00 - Juventude Nº 25 - UJC

Defender a mais bela conquista
CAMARADAS:
Mais uma vez, a juventude saiu para a rua. Saiu para a rua com o povo, o heróico povo alentejano que com grande esforço e abnegado sacrifício, defende a sua mais bela conquista, defende o seu direito ao trabalho, defende a sua vida futura: a Reforma Agrária.
A juventude esteve em massa no grande comício em Évora!
A juventude trabalhadora alentejana foi protestar, foi condenar um dos mais criminosos projecto-lei que jamais deveria ser aprovado na Assembleia da República por deputados Socialistas! Uma lei, um projecto-lei que a juventude repudia claramente! Uma lei que visa tirar as terras aos trabalhadores e entregá-las aos agrários exploradores do povo.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

1972-08-15 - Semana Portuguesa Nº 38

EDITORIAL
ESTA É A OPOSIÇÃO PORTUGUESA

Despachamos 61 cartas, dirigidas a 61 personalidades portuguesas da oposição, solicitando matéria para publicarmos uma edição especialmente dedicada ao falecimento do Coronel António Oliveira Pio.
De alguns recebemos informação de que não tinham elementos para escrever sobre o companheiro Pio, de outros mandaram-nos jornais para transcrevermos, outros que devíamos transcrever de livros publicados.
Imploramos uma fotografia, fotografia claro que ainda não houvesse sido publicada, e deu-se a mesma coisa, que havia muitas fotografias publicadas e uma delas poderia ser servida.

1977-08-00 - Seara Nova Nº 1582

Editorial

A discussão da chamada Lei Barreto na Assembleia da República permite um conjunto de reflexões sobre o futuro (e o presente) deste país que não deixa de ser inquietante.
A lei agora aprovada insere-se num conjunto de medidas legislativas todas com o mesmo objectivo — recuperação pelos capitalistas (nacionais e estrangeiros) do essencial das suas antigas regalias — que tem vindo a concretizar-se na chamada lei de delimitação do sector público e privado, nas leis da greve e do controlo de gestão, vai continuar na lei de indemnizações, pela qual mais de cem milhões de contos serão entregues a capitalistas de vários matizes (fundamentalmente aos monopolista) e a especuladores da bolsa (sem distinção entre pequenas poupanças arrastadas pela miragem dos lucros fáceis e os que mantinham e alimentavam a especulação) e a latifundiários.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

1972-08-14 - A REVISÃO DO C.C.T. - Sindicato Bancários do Porto

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO PORTO
Informação 8/72
PORTO, 14 de Agosto de 1972

A REVISÃO DO C.C.T.

Colegas:
Na Informação 6/72, de 5 do corrente, referiu-se a definição dum programa de divulgação à Classe da presente revisão contratual.
Dentro dessa orientação, traz-se à apreciação dos Colegas uma análise preliminar do processo que se espera possa permitir à Classe situar-se convenientemente dentro do assunto.
Neste estudo, foi preciosa a colaboração do Conselho Técnico de Contratação (C.T.C.). A análise cronológica das alterações ao nosso CCT desde 1938 é de utilidade por demais evidente, pois facilita uma visão ampla e correcta do que tem sido e virá a ser a revisão contratual.

1977-08-14 - AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS E FÉRIAS DO 2º PERÍODO E DO 3º PERÍODO DE AULAS - Movimento Estudantil

ASSOCIAÇÃO DE TRABALHADORES-ESTUDANTES DA VEIGA BEIRÃO

- COMUNICADO Nº 2 - 14/8/77
AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS E FÉRIAS DO 2º PERÍODO E DO 3º PERÍODO DE AULAS

Informamos todos os colegas que por despacho do Secretário de Estado da Orientação Pedagógica foram já fixadas as datas referentes e férias e avaliação de aproveitamento dos alunos do Ensino Secundário. Assim, far-se-á a 28, 29 e 30 de Março a segunda avaliação do aproveitamento dos alunos. Entretanto estão fixadas entre 23 de Março e 12 de Abril, as férias da Páscoa. O início do 3º período de aulas será no dia 13 de Abril, prolongando-se até 13 de Junho. A terceira avaliação do aproveitamento dos alunos far-se-á nos dias 20, 21 e 22 de Junho.

domingo, 13 de agosto de 2017

1977-08-13 - FRENTE SOCIALISTA Nº 39 - FSP

FRENTE SOCIALISTA Nº 39
13.8.77 a 19.8.77

FOLHA VOLANTE da FSP - redacção: rua do Passadiço, 86 Lisboa Portugal

Ponto político
A direita tem o poder, mas não o executa na sua totalidade como desejaria, embora se prepare através de pequenos e grandes golpes para o fazer. A aliança formalizada entre o PS e o PPD e, através deste, com o CDS, é mais um passo na tentativa de criar as condições para executar um poder de direita, ou seja, o poder dos monopólios, dos latifundiários, em suma, o poder do capitalismo nacional e internacional. Mas friamente, sem triunfalismos e sem derrotismos, analizemos muito rapidamente com que forças conta a direita para executar o poder. É que não governa quem quer, governa quem pode ou quem tem força para o fazer. Neste momento a direita dispõe de uma parte do aparelho administrativo-militar, mas felizmente não domina na totalidade as Forças Armadas. Os soldados de hoje têm uma consciência diferente dos soldados do antes 25 de Abril, tal como muitos oficiais e sargentos. A direita dispõe de uma polícia de choque como no antigamente, hoje chamada de Intervenção, mas não chega para impor um poder autoritário de direita ou mesmo o fascismo tal como se verificou durante 48 anos em que as Forças Armadas lhes davam uma cobertura total o que neste momento não acontece. É que à frente de um sector do aparelho das Forças Armadas ainda se encontram homens do 25 de Abril os quais estão dispostos a resistir ao golpes de direita e extrema di­reita militar. Por outro lado a direcção direitista do PS não conseguiu dividir o Movimento Sindical, apesar de todas as tentativas feitas com o dinheiro canalizado através da CISL mas vindo da CIA. Pelo contrário, cada vez mais os trabalhadores se têm unido e organizado na defesa não só dos seus interesses mais directos como, sobretudo na defesa das conquistas do 25 de Abril. Por outro lado as organizações políticas da classe trabalhadora hoje mais organizadas e conscientes de que só numa verdadeira unidade sem sectarismos será possível vencer a direita e caminhar para o Socialismo. Por tudo isto se impõe urgentemente a necessidade das forças políticas, de esquerda e de todos os verdadeiros e consequentes anti-fascistas encontrarem uma plataforma de unidade, de trabalho e de luta contra a direita, o capitalismo o fascismo e pela construção do Socialismo. Temos que vencer, Unidos venceremos.

1977-08-13 - QUANDO OS LOBOS DESCEM AO POVOADO... - PCTP/MRPP

Partido Comunista dos Trabalhadoras Portugueses (PCTP /MRPP)

QUANDO OS LOBOS DESCEM AO POVOADO...

   1. Na passada sexta-feira, dia 12, por volta das 15 horas e 30 minutos, as mesmas mãos cobardes que no dia 1 de Agosto, na Benedita, em Alcobaça, assassinaram com três tiros a queima roupa o operário Manuel Correia dos Santos, vieram ao Largo do Rato destruir a propaganda revolucionária do nosso Partido Comunista e, em particular, um cartaz intitulado "GNR ASSASSINA UM OPERÁRIO" onde esse hediondo crime era denunciado às amplas massas do povo trabalhador.

1977-08-13 - TODOS À ASSEMBLEIA GERAL - Cooperativa do Bairro 14 de Junho


TODOS À ASSEMBLEIA GERAL

Vai-se realizar no Sábado, dia 20 de Agosto uma Assembleia Geral na Sede da nossa Cooperativa.
Nesta Assembleia Geral vão-se tratar os seguintes assuntos:
Em primeiro, o problema das nossas casas; a Câmara e o Fundo de Fomento da Habitação continuam a fazer-nos muitas promessas, mas está mais que visto que se não nos unirmos e lutarmos pelas casas, elas não nos caem do céu.
Em segundo, vai-se discutir sobre problemas internos da Cooperativa, como por exemplo sobre as cotizações dos sócios, e sobre outros problemas que existam.
Desde já, faz-se um novo apelo para que todos vão e participem nas Assembleias, pois só com a união e vontade de todos é que isto anda para a frente, pois se nos começarmos a dividir, cada um a puxar para seu lado, então é que nunca mais conseguiremos as casas a que temos direito.

TODOS À ASSEMBLEIA GERAL!
UNIDOS E ORGANIZADOS, VENCEREMOS!

Cooperativa do Bairro 14 de Junho

13 de Agosto de 1977

sábado, 12 de agosto de 2017

1977-08-00 - MANIFESTO aos trabalhadores dos CTT - Comissão de Trabalhadores CTT

MANIFESTO aos trabalhadores dos CTT
UM BALANÇO NECESSÁRIO
O caminho da Unidade e da Vitoria
Agosto de 1977

OS TRABALHADORES DOS CTT NÃO TEM A MEMÓRIA CURTA

NÃO SE PODE ESQUECER O QUE SE APRENDEU
1. Cada classe tem a sua memória, tal como cada classe tem a sua própria visão da história.
Desejaram certos pescadores de águas turvas que o povo fosse cego, surdo e mudo e que além disso fosse falho de memória, para que não tirasse as lições das lutas que travam, quem o apoiou e quem o combateu.
É preciso ter medo da história para não querer recordá-la, para tudo fazer com o fim de a deturpar, para pretender que recomece sempre de novo quem já muito viveu e aprendeu. Mas isso é impossível.

1977-08-00 - O Tempo e o Modo Nº 125

EDITORIAL
SÓ OS TRABALHADORES PODEM VENCER A CRISE

Enquanto os partidos da burguesia não podem esconder por mais tempo a sua falência política e procuram uma saída bonapartista para a crise — que é real e política — da sociedade portuguesa, os órgãos da comunicação social mimoseiam os trabalhadores com os discursos e intervenções dos governantes e principais responsáveis pelo actual quadro institucional burguês, repetindo a velha melodia do capital, tão antiga como ela, de que é preciso trabalhar mais e produzir mais.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

1972-08-00 - O Bolchevista Nº 11 - CML de P

QUEREMOS OU NÃO O PARTIDO

"Só um Partido guiado por uma teoria de vanguarda pode desempenhar o papel de combatente de vanguarda".
Lenine - "Que Fazer?"

À medida que prossegue o debate entre partidários e adversários da reconstituição imediata do Partido, começar a definir-se na base das suas correntes uma séria divergência politica. É uma divergência bem concreta e palpável que não tem nada a ver com certas pretensas "divergências de princípios" que alguns elementos se habituaram a invocar a torto e a direito, como argumento irrespondível para sê" recusarem à aproximação e à fusão dos grupos existentes; sobre tais misteriosas "divergências de princípios" e sobre como concebemos a unidade na base dos princípios falaremos noutra ocasião. A divergência bem concreta a que nos referimos e queremos debater neste artigo é a seguinte; afinal queremos ou não o Partido? Aceitamos nós que a tarefa prática, central e imediata de todos os grupos e elementos marxistas-leninistas é reconstruir o Partido Comunista de Portugal, ou tentamos pelo contrário alijar essa responsabilidade, adiá-la indefinidamente para preservar a actual liberdade anárquica dos grupos e comités? Estamos dispostos a encarar e assumir as pesadas exigências que representa a construção prática do Partido, pedra a pedra, como um corpo político real, vivo, existente, ou vamos passar a vida a reverenciar o Partido como um deus inacessível a que se queimam velas e fazem rezas mas de que não é cómodo aproximarmo-nos?

Arquivo