segunda-feira, 16 de julho de 2018

1973-07-16 - AO POVO - Comités Ribeiro dos Santos




AO POVO
OS ACONTECIMENTOS

Na quarta-feira à noite, realizou-se na Voz do Operário uma reunião de todos os sindicatos da TAP para discutir o novo Contrato Colectivo de Trabalho (C.C.T.). A polícia cercou o edifício e carregou brutalmente sobre os trabalhadores. Nessa mesma noite dirigiram-se para o Aeroporto onde fizeram algumas reuniões. Na quinta-feira, os operários fazem greve e os empregados de escritório solidarizam-se e fazem cera. Ao meio-dia cerca de 3000 operários concentram-se em frente da administração. Impedem a saída dos patrões e exigem o cumprimento do novo C.C.T. que deve entrar imediatamente em vigor. Os aumentos de salários deveriam ser efectivados e outros aspectos cumpridos. Os colonialistas da TAP que dizem ter tido um prejuízo de alguns milhares de contos em relação aos milhões previstos, querem fazer por intermédio do congelamento e da baixa de salários aumentar os seus lucros fabulosos.

1973-07-16 - AO POVO PORTUGUÊS - MRPP


AO POVO PORTUGUÊS

CORREU SANGUE OPERÁRIO NAS OFICINAS DA TAP!
VINGUEMOS OS CAMARADAS CAÍDOS!
MORTE AOS CARRASCOS DO POVO!

Nem as cadeias nem as balas nem nenhuma força do mundo pode deter aqueles que se erguem contra a exploração, o arbítrio e a miséria. A revolução portuguesa, a revolução dos explorados e oprimidos da nossa Pátria contra a casta dos exploradores e opressores é absolutamente inevitável. É tão inevitável como o nascimento do Sol todas as manhãs sobre os campos do oriente. Acaso pode alguém deter o nascimento do Sol? Acaso pode alguém impedir que ele se eleve a oriente?

1978-07-00 - O Bilhete


1978-07-16 - REUNIÃO DE DIRIGENTES DO CONCELHO DE LISBOA - PCTP/MRPP


Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP)

REUNIÃO DE DIRIGENTES DO CONCELHO DE LISBOA
16 Julho 78

COMUNICADO FINAL

A TODOS OS QUADROS DO CONCELHO DE LISBOA
1. Realizou-se com êxito, no passado dia 16 de Julho, na Sede do Partido no Alto Pina, uma Reunião de Dirigentes do Concelho de Lisboa, convocada por decisão do Secretariado do Comité Regional no seguimento do balanço do trabalho negativo realizado nos primeiros 6 meses do ano nesta área do Partido, balanço esse levado a cabo na II REUNIÃO ALARGADA DO COMITÉ REGIONAL e na sua II REUNIÃO PLENÁRIA.

domingo, 15 de julho de 2018

1973-07-15 - Reforcemos o apoio aos trabalhadores em luta! - UEC


Reforcemos o apoio aos trabalhadores em luta!
Intensifiquemos o combate pela abertura da A.E.I.S.T.!

O Governo fascista de M. Caetano acaba de cometer mais um bárbaro crimes a polícia de choque abriu fogo sobre os trabalhadores da TAP provocando numerosos, feridos, um dos quais - Carlos da Silva Fernandes - se encontra às portas da morte.
As balas assassinas da polícia culminaram uma série de actos repressivos e intimidatórios visando impedir a discussão do Acordo Colectivo de Trabalho dos trabalhadores da TAP. No dia 11 foi proibida uma Assembleia na Voz do Operário e esta cercada por grande aparato policial. Os trabalhadores desfilaram daqui até ao Largo da Graça, cantando e gritando "Abaixo o fascismo", "Assassinos”, após o que se dirigiram para o Aeroporto onde a polícia novamente carregou sobre os trabalhadores. No dia 12, quando os trabalhadores fizeram greve, ao refeitório e concentrados em frente do edifício da Administração gritavam "assassinos” e “ladrões”, a polícia de choque interveio brutalmente, desta vez disparando rajadas de metralhadora e espancando friamente centenas de trabalhadores.

1978-07-00 - Seara Nova Nº 1593


Para ver todo o documento clik AQUI

Editorial

Estão-se a criar progressivamente em Portugal as condições objectivas para a efectivação de uma ampla aliança de classes e camadas sociais igualmente empenhadas na luta contra a degradação da situação económica e financeira causada pela política do actual Governo. Nunca como hoje se tinham mostrado tão comuns e solidários os interesses de um vasto espectro social englobando o operariado, o campesinato, os trabalhadores do terciário e os pequenos comerciantes e industriais. A política económica e social do actual Governo é igualmente perniciosa para todos esses sectores. Aos que vivem do seu salário, corrói-lhes o poder de compra pelo desmesurado aumento dos preços e pelo agravamento da carga fiscal. Os pequenos comerciantes e industriais são vítimas da retracção do crédito, da alta das taxas de juro e da diminuição do poder de compra da população. A curto ou médio prazo poderemos vir a assistir a uma catadupa de falências de pequenas e médias empresas (PME) com consequências imprevisíveis sobre a já periclitante economia portuguesa e sobre a situação do mercado de trabalho.

sábado, 14 de julho de 2018

1973-07-14 - OS TRABALHADORES reforçam a sua luta - PCP



reforçam a sua luta

O governo de Marcelo Caetano não consegue paralisar as lutas crescentes dos trabalhadores.
Estes, enfrentando corajosamente a feroz repressão, respondem coa acções cada vez mais amplas enérgicas.
Os trabalhadores da TAP, no dia 11 de Julho, reagindo à proibição do G. Civil, de uma reunião para a discussão do seu ACT, em grande manifestação de protesto descem à rua numa marcha de largas centenas, de trabalhadores.
A PSP com a sua habitual brutalidade investe raivosamente contra os manifestantes que gritam: “Abaixo o fascismo”, “Abaixo a guerra colonial" e "Assassinos".