quinta-feira, 23 de novembro de 2017

1972-11-00 - Que Fazer Nº 02 - POPs - UEC(ml)

Que fazer?

A TOMADA DA BASTILHA

O dia de celebração tradicional de Tomada da Bastilha - 25 de Novembro - aproxima-se. Data simbólica do calendário das lutas estudantis, o dia da Tomada da Bastilha constitui uma referência histórica na luta que desde sempre os estudantes travaram e continuam hoje a travar contra a repressão burguesa.
Escusado será dizer que desde esse dia (25 de Novembro de 1920) em que um punhado de estudantes decididos se lançou ao assalto do "Clube aos Lentes", traduzindo em termos práticos aquilo que para as aspirações estudantis representava um dos mais elementares direitos (a liberdade de reunião e associação), o movimento estudantil não ficou a leste da roda da história. A sua existência estando condicionada pelo contexto social em que se insere, a história do movimento estudantil foi desde sempre a tradução na sua linguagem sintomática da história da crise da própria sociedade. Essa crise não fazendo mais do que agravar-se, o movimento estudantil atravessa actualmente uma fase importante da sua natural radicalização política, não se podendo, por isso, pretender definir o conteúdo da luta da próxima comemoração, tomando à letra o das suas comemorações anteriores.

1972-11-23 - TOMADA DA BASTILHA - Movimento Estudantil

TOMADA DA BASTILHA

25 DE NOVEMBRO DE 1920
"Em 1920 a A.A.C. não comportava, por carência e inadaptação das instalações, as múltiplas actividades que desenvolvia. Na madrugada de 25 de Novembro um grupo de estudantes tomou o clube dos lentes, sito à rua larga, por baixo do qual estava instalada a sede da A.A.C.. Obtiveram assim por uma forma activa a conquista de instalações para as actividades dos estudantes. Souberam ultrapassar uma atitude expectante."

ONDE ESTÁ A BASTILHA, HOJE?
Hoje a Bastilha é a muralha densa dos interesses reaccionários na universidade.
É a Associação Académica fechada vai para dois anos.
É a proibição de reunião nas faculdades, de distribuição de comunicados, e a organização dos estudantes nos cursos.

1977-11-23 - NÃO À UNIVERSIDADE NOVA! - MES

NÃO À UNIVERSIDADE NOVA!
NÃO À MARGINALIZAÇÃO DAS ESCOLAS DE ECONOMIA!

1. A política do MEIC tem como eixo a reconversão do ensino e da Economia.
A política reaccionária do MEIC tem a sua base e coloca os seus objectivos na rentabilização capitalista do ensino adequando este às necessidades da burguesia para ultrapassar a crise económica, política e social que atravessa.
Quer isto dizer que não mais nesta fase, a burguesia vai intensificar o crescimento e massificação das universidades, antes irá tender, como o demonstra os "numerus clausus", à redução de escolas, do número de professores e alunos, a redução de orçamentos como manda o Fundo Monetário Internacional (FMI) nas suas recomendações ao Governo.

1977-11-23 - Prezado assinante: PCTP/MRPP

PROLETÁRIOS DE TODOS OS PAÍSES, POVOS E NAÇÕES OPRIMIDAS DO MUNDO, UNI VOS!
LUTA POPULAR
ÓRGÃO central do partido comunista DOS TRABALHADORES PORTUGUESES (PCTP/MRPP)

Lisboa, 23 de Novembro de 1977

Prezado assinante:
A iniciativa tomada pela Editora “Vento de Leste" de pôr à disposição do público leitor, pela primeira vez em língua portuguesa, o Volume V das “Obras Escolhidas de Mao Tsé-tung”, constituiu, para além de um acontecimento cultural e político assinalável, um êxito editorial sem precedentes no nosso país. Dois dias antes da data do lançamento do livro (no dia 7 de Novembro) já os pedidos e encomendas dirigidas à Editora haviam esgotado os 7 mil exemplares da 1.a edição da obra, o que fez com que um grande número de pessoas se visse na impossibilidade de adquiri-la.

1977-11-23 - Bandeira Vermelha Nº 097 - PCP(R)

EDITORIAL
UM CAMINHO DE LUTA E UNIDADE QUE TEM DE SER PROSSEGUIDO

1. Dois factos políticos marcaram profundamente a semana que há dias se encerrou. Foram eles as grandes manifestações operárias e populares realizadas no Porto e em Lisboa e o III Congresso da UDP que decorreu na Amadora.
Com a presença de cerca de 1 500 delegados vindos de todos os cantos do continente e das ilhas e até mesmo da emigração, o congresso da UDP, que culminou um longo processo preparatório inteiramente democrático e aberto à participação popular, saldou-se em pleno êxito. Em clima de grande combatividade e confiança, os trabalhos deixaram bem vincada a vitalidade revolucionária da UDP, a sua plena identificação com os trabalhadores, o seu carácter vincadamente popular e antifascista, a sua profunda e sincera aspiração à unidade do povo pobre e das forças verdadeiramente de esquerda.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

1972-11-22 - TOMADA DA BASTILHA - COIMBRA - Movimento Estudantil

TOMADA DA BASTILHA - COIMBRA
jornada nacional de luta contra a repressão

Como já foi noticiado no BIPE do dia 10 de Novembro, organizou-se no Sábado em Coimbra a Reunião preparatória da Reunião Nacional de Dirigentes. Esta reunião, convocada pela Direcção da Associação do ISCEF, foi uma reunião de trabalho onde as direcções associativas presentes trocaram informações sobre a situação em cada escola do país, fazendo, a partir destas, análises globais da situação, as quais permitiram constatar as principais frentes de luta; possibilitou que se tomassem desde já medidas que permitem superar algumas deficiências no plano informativo a nível nacional. Esta reunião constituiu o primeiro passo para a Reunião Nacional de Dirigentes (R.N.D.) que só poderá ser verdadeiramente actuante se se apoiar na realização de Reuniões Gerais de Alunos e outras reuniões amplas de estudantes que definam quais as formas organizativas e de luta em torno dos objectivos mais prementes do Movimento Associativo Português.

1977-11-22 - CONTRA O AUMENTO DE PREÇOS NAS CANTINAS - Movimento Estudantil

CONTRA O AUMENTO DE PREÇOS NAS CANTINAS

UNIR A LUTA DOS ESTUDANTES A LUTA DO POVO!

COLEGAS:
Em primeiro lugar desejaríamos saudar todos os colegas que vão iniciar mais um novo ano lectivo. Desejaríamos ainda dirigir uma saudação especial àqueles que pela primeira vez estudam na nossa escola.

Arquivo