Translate

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

1976-08-00 - Frente Ecológica Nº 10

• MICHIO KUSHI • MAIO-1976
"DIZ-ME O QUE CONSOMES DIR-TE-EI QUEM ÉS"

Se o homem é o que come, como afirma a Macrobiótica e Michio Kushi reafirmou no Semanário que, durante 5 dias, ministrou em Lisboa a convite do Movimento Macrobiótico Português, teremos de saber em que medida essa expressão é uma metáfora.
Se tomarmos o "alimento" no sentido estrito, isto é, o que, depois de cozinhado, se tira do prato e mete à boca, afigura-se arriscado afirmar que o homem é apenas o que come, porque o ser vivo e por maioria de razão o homem em sociedade, é função do Meio em que vive e do comércio biológico, do intercâmbio energético que se estabelece entre ele e o Meio Ambiente.
Sem tomar aquele provérbio à letra, deveremos então traduzi-lo por outro: "cada indivíduo ou cada povo é aquilo que consome" e ficaremos mais próximos da verdade, subentendendo, nos consumos, o que o ser vivo retira do ar, do ambiente electromagnético, das radiações e vibrações, das ondas curtas e longas.

1976-08-00 - Resistência Nº 18 - RPAC

EDITORIAL
Morte aos Traidores!

1. Não há pior cego, do que aquele que não quer ver. Eis um velho ditado que cabe perfeitamente na cabeçorra dos escribas de serviço ao relatório sobre o golpe contra-revolucionário de 25 de Novembro.
Saiu mais um relatório, que em quase nada adiantou em relação aos anteriores, a não ser nas habituais provocações aos soldados e marinheiros que os escribas intentam incriminar como se na realidade o Povo fosse acreditar que os seus filhos incorporados à força no exército da burguesia, fossem os autores do golpe.
Se a tanto vos obriga a conciliação e o amor de filisteus, ficai sabendo que não vos adianta nada e não ides muito longe com a vossa profissão. Os soldados sabem perfeitamente com quantas letras se escreve o nome dos partidos que prepararam e executaram essa aventura. Sabem quem foi o principal autor e donde foi dirigido directamente. Os soldados sabem também, que o P"C"P/ U"DP" social-fascistas - nome tão feio para vocês - foram os protagonistas dessa peça e que foram telecomandados directamente de Moscovo. Os soldados sabem ainda, onde eles estão e sabem acima de tudo onde eles não devem estar.

1976-08-24 - Luta Popular Nº 374 - MRPP

SÓ O POVO PODE LIBERTAR OS SEUS FILHOS!

      - Julgamento dos camaradas presos
      1 de Setembro, às 10 horas, no Tribunal da Boa Hora

Realiza-se no próximo dia 1 de Setembro, pelas 10 horas, no Tribunal da Boa-Hora, um pretenso julgamento dos nossos camaradas presos na sequência do assalto contra a delegação do nosso Partido no Alto do Pina, perpetrado por um numeroso bando de indivíduos armados pertencente ao grupelho social-fascista UDPide.
Como é sabido, a PSP acorrendo solicita em protecção dos agressores, após carregar brutalmente sobre os elementos das massas e os activistas e simpatizantes do nosso Partido que acorreram em defesa da delegação, prendeu três camaradas nossos que foram de imediato espancados violentamente. Perante a firme atitude adoptada pelos antifascistas e anti-social-fascistas presos de não se identificarem e de exigirem a presença de um advogado, as provocações e sevícias redobraram de intensidade na esquadra da PSP no Alto do Pina.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

1971-08-00 - Seara Nova Nº 1510

actualidade nacional
LEI DE IMPRENSA E LIBERDADE DE IMPRENSA

(Da proposta do Governo à lei aprovada pela Assembleia Nacional)
Por José Carlos Vasconcelos

NOVE sessões da Assembleia Nacional, ao cabo de um longo verão parlamentar, bastaram para aprovar uma Lei de Imprensa que o país espera há décadas, e com a qual, em princípio, finalmente, se porá termo ao regime de censura prévia que vigora há 45 anos. Aquele «órgão de soberania» votou quase «ipsis verbis» o texto apresentado por uma comissão eventual nomeada para o efeito e composta por 16 deputados, rejeitando as propostas de alteração ou aditamento subscritas pelo dr. Pinto Balsemão, co-autor (1) de um projecto de lei que visava assegurar a liberdade de Imprensa — e que estava de acordo, no essencial, com as bases aprovadas pelos jornalistas em assembleia geral da classe.

1976-08-00 - Democracia CDS 76 Nº 08

Você está ou não está disposto?...

Você que compra e lê a «Democracia 76», órgão do Partido do Centro Democrático Social, sabe certamente que um partido é um grupo de pessoas e, como tal, a vida e o crescimento de um partido depende da disposição e do dinamismo do grupo de pessoas que a forma. Daí perguntarmos-lhe se você está ou não está disposto...
Você sabe que o CDS tem despesas e que precisa, portanto, de dinheiro e você sabe que o partido para ser maior, precisa de mais trabalho, mais despesas, mais dinheiro. Primeira pergunta: você está ou não está disposto a angariar fundos e filiados para o Partido?
Você sabe também que o CDS precisa de ser mais conhecido e que precisa, por isso, de divulgar mais intensamente e de melhorar as suas publicações formativas e informativas. Segunda ordem de perguntas: você está ou está disposto a promovera venda e a divulgar a «Democracia 76»? Você está ou não está disposto a ser assinante e a angariar mais assinaturas da «Democracia 76»? Você está ou não está disposto a divulgar e a distribuir a (Folha CDS))? Você está ou não está disposto a ouvir o «CDS-informa» e a divulgar os seus números de telefone (Lisboa - 705131; Porto - 314043)?

1976-08-23 - Luta Popular Nº 373 - MRPP

Sessão Solene de Encerramento da Escola de Quadros «18 de Julho»
PREPARAR AS FORÇAS PARA A LUTA
LUTAR PARA VENCER

Realizou-se, ontem no Pavilhão do Clube Atlético de Campo de Ourique a sessão de encerramento da escola de quadros «18 de Julho».
Presentes os quadros que trabalharam na escola durante o seu tempo de duração, a quase totalidade dos membros do Comité Central e em particular o camarada secretário-geral Arnaldo Matos, e várias centenas de militantes, simpatizante e activistas que encheram o pavilhão com a sua alegria, entusiasmo e determinação de recolher os ensinamentos da escola de quadros «18 de Julho» e de seguir pela sua via.
A escola de quadros «18 de Julho» foi convocada por resolução do Comité Executivo do Comité Central e funcionou num período de 8 dias durante os quais houve 21 períodos de estudo num total de 90 horas de trabalho.
Analisando o contexto em que a Escola se realiza e apontando as suas tarefas afirmou o camarada Arnaldo Matos na sua alocução de abertura:

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

1976-08-22 - CASAS SIM! DESPEJOS NÃO! - Comissões de Moradores

CASAS SIM! DESPEJOS NÃO!

  TODOS AO MINISTÉRIO DA HABITAÇÃO, NA TERÇA-FEIRA ÀS 15 horas!

Camaradas, Companheiros e Amigos:
O avanço das forças reaccionárias e da direita, tem-se caracterizado por uma feroz perseguição aos ocupantes, moradores pobres e desempregados.
Os despejos selvagens: cada vez são mais, estando neste momento ameaçadas milhares de famílias.