Translate

quinta-feira, 30 de março de 2017

1977-03-30 - O Proletário Vermelho Nº 73

Editorial
O EXACTO
TAMANHO DE UM COPO DE ÁGUA
- ou as implicações de uma estratégica tempestade!

Foi o país atento abalado pela questão da Disciplina Militar. O que demonstra uma boa dezena de coisas. Entre elas que os militares, agitando-se, podem perturbar a "tranquilidade” do país atento. Entre elas, que os militares são, ainda e cá em casa, o obus definitivo com que se faz a política. Entre elas que as questões da Disciplina Militar estão, apesar de tudo, por resolver.
Disseram, através das suas “fontes geralmente bem informadas” os jornais ditos da “grande informação” que os generais estariam agitados, dispostos a atear o rastilho da demissão contestatária, a despoletar a granada do “pedido de explicações” ao Presidente da República e Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas.
Disseram, corrigiram piorando, corrigiram de novo, reduzindo, desdisseram recorrendo à parábola do copo de água com tempestades dentro, e não se sabe bem se ficarão por aqui. Duvidamos. Que se fiquem. Quer os jornais, quer os próprios, poucos que sejam os generais.

1977-03-30 - UM ANO APÓS O SEU ASSASSINATO O PADRE MAX VIVE NO CORAÇÃO DO POVO! - PCP(R)

UM ANO APÓS O SEU ASSASSINATO O PADRE MAX VIVE NO CORAÇÃO DO POVO!
CASTIGO EXEMPLAR PARA OS SEUS ASSASSINOS E DEMAIS BOMBISTAS!

Há um ano, a 3 de Abril de 1976, o povo português ficou comovido e revoltado. O Padre Maximino Barbosa de Sousa, candidato a deputado da UDP e a jovem estudante Maria de Lurdes são assassinados traiçoeiramente por uma bomba.            .
Pensavam assim os fascistas que destruíam a obra do Padre Max a favor do povo. Enganaram-se! O seu exemplo e causa porque lutaram ganharam raízes mais fundas no coração do povo transmontano. No funeral, milhares de pessoas, todo o povo, lhes prestou homenagem e jurou combater pela causa porque lutou e morreu o Padre Max.
POR CADA CAMARADA MORTO MIL SE LEVANTARÃO - ECOOU POR TODO O PORTUGAL!
Desde então as redes bombistas não pararam os seus crimes, financiadas pelo imperialismo e seus agentes internos. O terror, assaltos e roubos comandados pelos que ditaram a morte do Padre Max continuam. Os fascistas querem que volte a, repressão terrorista, a exploração desenfreada e a miséria.

1977-03-30 - Bandeira Vermelha Nº 063 - PCP(R)

PROCLAMAÇÃO DO II CONGRESSO
À classe operária, aos trabalhadores, ao povo e aos comunistas de Portugal!

OPERÁRIOS! PROLETÁRIOS QUE TUDO PRODUZEM E NADA POSSUEM!
O II Congresso do Partido Comunista Português (Reconstruído) saúda-vos com emoção e confiança. Vós, proletários, sois a força criadora do futuro, do progresso e do Socialismo! A vossa luta, a vossa persistência, o vosso sacrifício e a vossa força criadora construíram as grandiosas conquistas revolucionárias do novo Portugal. É de vós que depende, em primeiro lugar, o futuro do nosso país.
Combatentes proletários! O II Congresso do PCP(R) lança-vos um sério alerta. Portugal atravessa momentos difíceis. Estão em perigo as conquistas alcançadas! A reacção e o capital procuram destruir a Reforma Agrária, impedir o controlo operário, neutralizar as nacionalizações, desarticular o movimento sindical. É a própria liberdade que está em perigo!

1977-03-30 - COLECTIVO DE QUADROS E ADERENTES DA O.R. de LISBOA da FEML

Federação dos Estudantes Marxistas-Leninistas
Organização do PCTP/MRPP para a Juventude Comunista Estudantil

COLECTIVO DE QUADROS E ADERENTES DA O.R. de LISBOA da FEML

O Comité Regional de Lisboa da FEM-L decidiu, convocar o Colectivo de Quadros e Aderentes da O.R. de Lisboa da FEM-L, para o dia 30 de Março, quarta-feira, pelas 15 horas, na Cidade Universitária de Lisboa (a escola certa será oportunamente informada).

1977-03-30 - COLECTIVO DE QUADROS E ADERENTES DA O.R. de LISBOA do FEML

Federação dos Estudantes Marxistas-Leninistas
Organização do PCTP/MRPP para a Juventude Comunista Estudantil

COLECTIVO DE QUADROS E ADERENTES DA O.R. de LISBOA do FEML

O Comité Regional de Lisboa da FEM-L decidiu, convocar o Colectivo de Quadros e Aderentes da O.R. de Lisboa da FEM-L, para o dia 30 de Março, quarta-feira, pelas 15 horas, na Cidade Universitária de Lisboa (a escola certa será oportunamente informada).
Este Colectivo que o Comité Regional de Lisboa reputa de uma grande importância no conjunto da ofensiva política da FEM-L, e na situação actual da luta entre as duas linhas, destinar-se-á a apreciar o balanço da actividade deste período lectivo, apresentado pelo Comité Regional, a discutir o plano de acção, até o final do ano lectivo, e a preparar a I Conferência Sindical do Partido, elegendo-se os respectivos delegados da O.R. de Lisboa.

quarta-feira, 29 de março de 2017

1977-03-00 - Guilhotina Vermelha Nº 05 - FUG

EDITORIAL

O 25 de Abril trouxe esta coisa maravilhosa: demonstrar, à saciedade, aqueles que se propõem lutar em defesa dos interesses das classes exploradas por um lado, e, por outro, neste clima de liberdade burguesa, a possibilidade de demonstração plena da corja de oportunistas e carreiristas que por cá pululam e que com constante assiduidade estudam com a presunção de sumas autoridades, o processo que devem utilizar para depor aqueles que ocupam lugares de direcção e açambarcar para si mesmos esses lugares de direcção.
Destas vulgaríssimas aves, algumas passaram pela FUG mas, porque esta do mesmo modo que impedia a idolatria desta ou daquela personagem não afinava pelo diapasão de conquistar para si, FUG, estes ou aqueles cargos de direcção, essas vulgares e interessantíssimas aves, dizíamos, tiveram que procurar outro poiso.
É verdade que ninguém lhes disse: "Vão-se embora". Mas, se a FUG não estaria, nunca, disposta a satisfazer as suas ambições pessoais, não tiveram outro remédio que não fosse abandonar — como eles dizem que fizeram. Portanto, embora não se lhes dissesse para saírem a realidade é que não tinham outra alternativa.

1977-03-29 - Pdr. MAX, MARIA DE LURDES JULGARAM QUE OS MATAVAM E SEMEARAM-NOS - PCP(R)

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS (RECONSTRUÍDO)

Pdr. MAX, MARIA DE LURDES JULGARAM QUE OS MATAVAM E SEMEARAM-NOS

À CLASSE OPERÁRIA!
AO POVO DA NOSSA REGIÃO!
A TODOS OS ANTI-FASCISTAS E DEMOCRATAS!

Faz um ano no dia 3 de Abril que bombistas fascistas assassinaram o Padre Maximino e a estudante Maria de Lurdes, em Vila Real.
O Padre Max era um filho do povo transmontano). Os seus pais emigraram para dar um futuro melhor aos seus filhos. Ao longo da sua vida o Padre Max nunca traiu à sua origem, o seu povo pobre transmontano. De facto, ao contrário da maior parte dos padres, ele não fechou os olhos à miséria em que vive o povo trabalhador. E ele sabia que a miséria do povo é obra de homens, dos poucos que vivem na fartura desmedida enquanto a imensa maioria vive com faltas de tudo. E sabia mais: sabia que esta situação se pode e deve modificar.