sábado, 14 de julho de 2018

1978-07-14 - GOVERNO CIVIL ACTUA COMO NOS TEMPOS DO FASCISMO! - UJCR


GOVERNO CIVIL ACTUA COMO NOS TEMPOS DO FASCISMO!

Ontem dia 13 de Julho, os Conselhos Regionais da UJCR de Lisboa, Sintra/Amadora e Vila Franca/Loures, tinham convocado para a Praça Luís de Camões uma concentração comício, com o objectivo da homenagear os dois jovens combatentes da liberdade, Luís Caracol assassinado há precisamente um ano e José Jorge Morais, assassinado há um mês pelas balas assassinas da PSP. Arbitrariamente o Governo Civil proibiu a realização desta concentração.
Contudo todos os preceitos legais para a convocação da concentração/comício foram cumpridos.
A proibição da concentração é ilegal e inconstitucional. Os motivos que o Governo Civil invoca para a ilegalização assentem numa série de hipóteses vagas e não fundamentadas que mostram claramente que aposição do Governo Civil é do não cumprimento da lei fundamental do país, a Constituição, e é acima de tudo uma posição politica, proibir as acções antifascistas.
Como se compreende o Governo Civil ter autorizado manifestações nazis, como a de 10 de Junho e não se permita aos antifascistas o uso do direito de reunião e manifestação.
O Governo Civil tinha dito que não possuía bases legais para proibir a manifestação de 10 de Junho. Onde estão, de acordo com a Constituição, os fundamentos que o levaram a ilegalizar uma acção antifascista?
O provocatório aparato policial montado na Praça Luís de Camões, além de não ter fundamento jurídico para existir, visa amedrontar as forças antifascistas que se erguem em luta perante as ameaças e as tomadas de posição que favorecem os saudosistas do 24 de Abril.
O forte aparato policial é uma afronta à dignidade democrática e antifascista de todas as organizações e Partidos progressistas.
Não É apenas a UJCR que está em causa. São todos os Partidos de esquerda os visados.
O que aconteceu dia 13, não pode ser desligado do que a nível governamental se passa com as exigências do CDS ao PS, é a exigência de impor em Portugal um clima de intimidação e de repressão que lhes permita mais facilmente derrotar as Conquistas de Abril onde o direito à liberdade de manifestação é um deles,
Nós, jovens comunistas, amantes da liberdade e de um Portugal melhor, não calaremos a verdade nem vergaremos perante as intimidações.
A hora actual é de unidade, unidade de todas as forças antifascistas para combater a reacção e o fascismo.
Apelamos por isso a todas as organizações antifascistas da Juventude e aos Partidos políticos, que tomem posição pública sobre este atentado à liberdade e ao direito de manifestação.
Nenhum democrata e antifascista pode ficar indiferente e deixar de repudiar estas arbitrariedades.
Erguer um amplo movimento de protesto contra os que atentam contra a Constituição e contra a liberdade é o que todos devemos fazer.

 PELA DEFESA DA CONSTITUIÇÃO!

Lx 14/7/78
O Conselho Regional de Lisboa da UJCR


Sem comentários:

Enviar um comentário