sábado, 28 de julho de 2018

1973-07-28 - FORA COM O MARCHUETA! - Comité Popular "Servir o Povo"



COMITÉ POPULAR “SERVIR O POVO"

FORA COM O MARCHUETA!
MORTE À CAMARILHA MARCELISTA!

AO POVO DE MARVILA:
No próximo domingo 29, a camarilha marcelista despacha para o nosso bairro e para o clube do Vale Formoso, um seu enviado imperial - o apalhaçado lacaio MARCUETA - um biltre asqueroso, o "cara de bagaço" como lhe chama o povo dos bairros populares, um servil cão-de-fila do governo fascista que se salienta nas suas investidas às nossas colectividades e clubes populares, pelo servilismo em relação aos seus amos e uma fidelidade canina ao seu patrão Marcelo - o fascista, carniceiro e assassino mor do Povo de Portugal e dos Povos de Angola, Moçambique, Guiné e Cabo Verde.

O Povo de Marvila nada espera dos carrascos do Povo, conhece as suas intenções, o seu programa anti-popular e os seus sinistros propósitos de fascização que o lacaio MARCHUETA traz na sua bagagem. A tudo isso o povo dirá: FORA MARCHUETA! MORTE À CAMARILHA MARCELISTA! PODER AOS OPERÁRIOS E CAMPONESES!
Ultimamente a camarilha marcelista tem-se desmultiplicado numa ofensiva, não só em relação aos CLUBES e COLECTIVIDADES POPULARES, mas num assalto desenfreado pelo controle dos jornais, revistas, emissoras de rádio, edições, periódicos literários e artísticos.
APODERAR-SE DE TODOS OS DOMÍNIOS DA CULTURA E DA PROPAGANDA, para poder a partir daí, vomitar diariamente a sua ideologia colonialista, a sua vergonhosa submissão aos estrangeiros, impor os seus costumes decadentes, a sua ideologia e a sua moral. Reforçar a exploração e opressão sobre o Povo trabalhador, preparar a opinião pública para a contra-revolução, intoxicar o Povo e as camadas progressistas da nossa sociedade, impedir a crescente tomada de consciência e retardar a EMANCIPAÇÃO DAS MASSAS POPULARES e a sua marcha inevitável para a REVOLUÇÃO POPULAR.
Tal como os jornais e revistas, a camarilha marcelista teme as COLECTIVIDADES e os CLUBES POPULARES, teme toda a vida associativa, tudo o que por mais insignificante que seja, possa habituar as massas do povo à democracia, à acção colectiva, à defesa dos seus interesses e dignidade, tudo o que possa conduzir a uma vida nova e livre, sem opressores nem exploradores.
Por isso, ela lança histericamente conjuntamente com o seu aliado revisionista um feroz assalto contra as cooperativas, pilhando e fechando pela força, as que recusaram dobrar a espinha ante a besta fascista - a LIVROPE (de Alverca) e a LIVRELCO e o ATENEU COOPERATIVO (em Lisboa).
A enviar o cão-do-fila MARCHUETA, a camarilha marcelista, lança um desafio ao Povo trabalhador, as suas intenções são claras: destruir os clubes e as colectividades populares, amarrá-1os e submete-los à influência e batuta fascistas.
A camarilha marcelista não pode tolerar a vida democrática e a independência das colectividades, o facto de serem centros de difusão de cultura progressista nos bairros, de educarem o Povo trabalhador nos princípios democrático s, de agrupar jovens, mulheres e operários, da criação de bibliotecas, de grupos do teatro, da prática sã do desporto, das actividades com as crianças, do convívio diário e da circulação de ideias.
Por isso o governo fascista teme as COLECTIVIDADES, as vigia, as assalta, prende e persegue os seus elementos mais avançados, infiltra bufos e provocadores, tenta fomentar a corrupção e agora envia o apalhaçado MARCHUETA.
Mas nada pode quebrar os ventos da revolta que se levantou de Norte a Sul do país, são o reflexo das profundas aspirações do nosso povo a uma sociedade democrática e popular, livre e fraterna.
Só o Povo pode defender o seu património cultural, as suas colectividades e clubes, a sua rica e viva vida democrática e associativa.
NÃO PODE O GOVERNO FASCISTA, NÃO PODE O LACAIO MARCHUETA!
POVO DE MARVILA:
Temos do dar a resposta merecida a este fiel cão-de-guarda do estado dos patrões, os mesmos que nos sugam diariamente nas fábricas e nos portos, os mesmos da recente matança na TAP, os mesmos que arrastam o nosso povo para uma guerra criminosa de pilhagem e massacre, que extermina os gloriosos Povos de Angola, Moçambique e Guiné, que os encerra em campos e aldeamentos, que bombardeia as suas aldeias e plantações das regiões libertadas; os mesmos que vendem o nosso país aos estrangeiros; os mesmos que expulsaram dos nossos campos meio milhão de camponeses; os mesmos que lançam no desemprego milhares de operários e operárias
MORTE À CAMARILHA MARCELISTA! FORA COM O MARCHUETA!

POVO DE MARVILA:
Temos de nos organizar. A ORGANIZAÇÃO É UMA ARMA, saibamos utilizá-la no combate contra os exploradores e opressores.
O nosso COMITÉ POPULAR é uma força nascente, para conduzir o povo à vitória.

FORA COM O MARCHUETA!
GUERRA DO POVO À GUERRA COLONIAL-IMPERIALISTA!
MORTE AO REVISIONISMO!
VIVA A REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA POPULAR!

28 de Julho de 1973
COMITÉ POPULAR "SERVIR O POVO"

Sem comentários:

Enviar um comentário