sexta-feira, 1 de junho de 2018

1978-06-01 - Unidade Popular Nº 162 - PCP(ml)


Para ver todo o documento clik AQUI
A 28 de Maio
O PCP(m-l) comemorou o Dia da Resistência Clandestina

No dia 28 de Maio, o PCP(m-l) comemorou, à semelhança do que já se verificara no ano passado, o Dia da Resistência Clandestina.
Este dia visa recordar o que foi em Portugal durante quase meio século o trabalho clandestino dos comunistas portugueses. Centenas de homens e mulheres trabalharam anonimamente contra o regime colonial-fascista de Salazar e Caetano, enfrentaram a repressão e as torturas que o fascismo infligia aos seus mais firmes inimigos e adversários.
Mas o Dia da Resistência Clandestina não tem apenas como objectivo homenagear os que lutaram contra a ditadura fascista mas também recordar os métodos de trabalhos clandestinos e dá-los a conhecer a todos os militantes do Partido que não conheceram a experiência do trabalho político antes do golpe de Estado do 25 de Abril.
Este aspecto é tanto mais importante quanto o mundo de hoje enfrenta a ameaça de guerra e agressão do social-imperialismo russo e os países da Europa em particular correm o risco de se verem sob uma nova ocupação nazi por parte das tropas e dos agentes dos novos czares. Por esse motivo, os comunistas e todos os patriotas e democratas devem estar preparados para enfrentar tal eventualidade.
Fazendo do 28 de Maio, data em que, em 1926, o fascismo se instalou no nosso País, uma jornada de aprendizagem e de luta, os verdadeiros comunistas portugueses preparam-se para enfrentar um futuro que não desejam mas que, a acontecer, terá neles os mais firmes adversários e opositores.

Sem comentários:

Enviar um comentário