quarta-feira, 16 de maio de 2018

1978-05-16 - TOMAZ NÃO VOLTARÁ! O FASCISMO NÃO PASSARÁ! - UDP


TOMAZ NÃO VOLTARÁ!
O FASCISMO NÃO PASSARÁ!

O presidente do fascismo, Américo Tomás, pode voltar ao Portugal de Abril por ordem expressa de Ramalho Eanes.
Eanes, que deveria defender a Constituição e a democracia, abre as portas aos chefes fascistas, considerando-os, dum modo escandaloso e provocatório, inocentes.
Para Eanes, Tomás não foi responsável por nada e... quem sabe, seguindo-se o raciocínio de Eanes:
- Salazar era um pobre inocente.
- Caetano um bem intencionado.
- Hitler nem sequer era nazi.
- Pinochet nunca levantou a mão contra um chileno.
- A pide foi inventada pelos antifascistas para comprometerem o pobre do Tomás, o Salazar e o Caetano.
- Caxias e Peniche nem sequer são em Portugal e o Tarrafal não vem no mapa.
- A guerra colonial foi só a brincar.
- O 25 de Abril foi um conto de fadas e veio adiantado e, por isso, passa-se a chamar 25 de Abril.
Em suma Eanes quer demonstrar uma tese sem pés nem cabeça, com o aplauso da direita e o silêncio de alguns que se dizem de esquerda.
Eanes vem-nos dizer: o fascismo nunca existiu em Portugal.
Eis Eanes, que muitos teimam em apontar-nos como defensor inflexível da Constituição, o democrata de sempre, o chefe militar incorruptível, o garante da democracia e do espírito de Abril,
Mas cada vez mais é o próprio Eanes, que nega, aos nossos olhos, esta imagem falsa, perigosa e que em nenhum momento existiu.
Na verdade Eanes nada tem a ver com Abril;
- Eanes sempre foi amigo pessoal de Spínola e com ele esteve empenhado no golpe do 11 de Março.
- Eanes chefiou militarmente o 25 de Novembro, contra a Democracia, a Constituição e o 25 de Abril.
- Eanes foi candidato da direita e é o presidente da direita.
- Eanes apadrinhou em todos os momentos as medidas e as leis contra os trabalhadores e exigiu ainda mais.
- Eanes defendeu intransigentemente a NATO e não ataca os separatistas, antes procura acalmá-los com promessas.
- Eanes impulsionou o governo PS/CDS e o acordo com o FMI, apontando a revisão da Constituição no 4º aniversário do 25 de Abril perante a Assembleia da República e o Povo Português.
Eis Eanes o garante do 25 de Novembro, dos ataques à Constituição, do regresso dos fascistas e dos ataques ao 25 de Abril!
Hoje Eanes e a direita tornam mais claras as suas intenções.
Hoje todos os que foram cedendo às exigências da direita e apelaram à calma, tornaram-se responsáveis pelo avanço do fascismo, cometeram um grande crime contra o Povo Português e traíram o 25 de Abril.
A toda esta situação não é estranha a próxima visita de Eanes ao Brasil, país onde os fascistas se refugiaram após o 25 de Abril.
Antes de partir Eanes diz a Portugal que já negociou com os chefes do fascis­mo e será o seu porta-voz, se tal lhe exigirem.
Por outro lado, Eanes, não só garante o regresso desses criminosos, como lhes descongela as contas bancárias, numa vergonhosa provocação às actuais condições de vida do povo português.
Não contente com os aumentos de preços, os empréstimos ruinosos do FMI, o desemprego e as dificuldades do nosso Povo, Eanes entrega aos fascistas, como Américo Tomas, aquilo que nos roubaram durante 50 anos.

Para Tomás há:
- dinheiro
- regresso em paz
- liberdade e ausência de qualquer acusação

Para os trabalhadores há:
- aumentos de preços
- desocupação de terras
- desemprego
- cargas policiais e repressão
Eanes ensina ao governo PS/CDS como se faz mais e melhor pelos reaccionários.
Eis Eanes o garante do desemprego, das desocupações, da repressão, da entrega do dinheiro aos fascistas!
Eis Eanes o garante da calma e do sossego para Tomás no Portugal de Abril!
Mas a direita e os fascistas enganam-se:
- o Portugal de Abril não é moeda de troca para o regresso dos fascistas. 
- o Portugal de Abril é grande e acolhedor para o Povo Português, mas nele não cabe nem um cabelo de um fascista.
- o Portugal de Abril será defendido por todos os antifascistas.
- o Portugal de Abril está vivo, porque pertence ao Povo e a vontade popular nunca morre, antes é viva e amplia-se.
- é tempo de romper com as ilusões e os mitos protectores.
- é tempo de dizer não aos reaccionários, ao fascismo e à política de direita do governo PS/CDS.
Se necessário sairemos a rua, como em Abril, e gritaremos:
Eis o Povo, o verdadeiro garante da Constituição, da Democracia e das conquistas de Abril!
Eis o Povo o construtor e o herdeira de Abril!

VIVA O 25 DE ABRIL!
TOMÁS NÃO VOLTARÁ! O FASCISMO NÃO PASSARÁ!
VIVA O POVO PORTUGUÊS!
VIVA A RESISTÊNCIA ANTIFASCISTA!
VIVA PORTUGAL!

O Secretariado da UDP dos CTT
Lisboa, 16.5.78




Sem comentários:

Enviar um comentário