quinta-feira, 24 de maio de 2018

1973-05-24 - Pela unidade nas escolas, nos tribunais e junto à população a luta aos estudantes continua! - Movimento Estudantil

Pela unidade
nas escolas, nos tribunais e junto à população a luta aos estudantes continua!

LISBOA
DIA 14-5-73 - No Técnico mantém-se encerrado de manhã (chegada de Medici) e abre tarde só para matrículas.
DIA 15-5-73 - No Técnico uma R.G.A. decide continuação de greve até ao dia 10, pelos objectivos de libertação dos estudantes presos e expulsão dos gorilas. À tarde são soltos 4 estudantes do Técnico. O Plenário dos estudantes de Lisboa é convocado para o dia 16 de Maio na Cidade Universitária.

DIA 16-5-73 - O Técnico volta a ser encerrado. A polícia de choque patrulha toda a cidade. A Cantina da Cidade Universitária é fechada. O Hospital de Santa Maria é cercado pela polícia que faz controle de entradas. Devido a haver pouca gente que consegue entrar, o Plenário não se realiza. Surge a palavra de ordem de manifestação na Graça, que é seguida pelos estudantes.
Pelas 18,30h sai uma manifestação da Graça com mais de 300 estudantes, que distribuem comunicados à população e dispersa em Martin Moniz. As palavras de ordem e os cartazes diziam "Abaixo a Guerra Colonial", "Socialismo", "Liberdade Estudantes Presos". A polícia não consegue intervir.

MEDICINA - Está em greve até ao dia 20 de Maio.
A faculdade de Letras continua encerrada.
DIA 17-5-73 - Está marcada para o Técnico uma Assembleia de Escola (Reunião de professores e alunos) que não se realiza porque o Instituto se encontrava encerrado.
DIA 18-5-73 - O Técnico reabre às 8h. Realiza-se uma R.G.A. com mais de 1.300 estudantes, que decidem continuar a greve até ao dia 22 de Maio pela libertação dos estudantes presos e pela saída dos gorilas do Instituto.
Depois desta decisão a PIDE libertou mais 3 estudantes do Técnico.
DIA 19-5-73 - Foram libertados, mais quatro estudantes do Técnico tendo um deles uma doença pulmonar. Continuam ainda presos 3 estudantes do Técnico entre os quais Carlos Costa (presidente da direcção da Associação do Técnico).
Entretanto continuam presos em Caxias muitos estudantes de outras escolas.

INFORMAÇÕES MAIS RECENTES:
LETRAS - Abre no dia 24 de Maio.
Os gorilas foram postos fora.
MEDICINA - Foi levantada a greve numa R.G.A.
ISCEF - Surgiram 3 listas candidatas às eleições da Direcção da Associação do ISCSF
TÉCNICO - Abre na 6ª Feira, (25 de Maio). As instalações da Associação estão seladas,
Continuam presos 2 estudantes do Técnico (entre eles Carlos Costa)

PORTO
ANTÓNIO NOBRE - Numa concentração neste liceu pela readmissão da colega Teresa Medina foram suspensos 3 alunos acusados de terem participado na concentração.
Ao fim de cerca de 3 meses o Conselho Disciplinar aplicou-lhes as seguintes suspensões:
GUILHERMINO MESQUITA (membro da Direcção da Associação dos liceus) a 120 dias
OLGA FORTES 45 dias
SUSANA COSTA: 26 dias
Os encarregados de educação recorreram para o Ministério da Educação.
D. MANUEL II - quando da visita do Medici ao Porto, nalguns liceus não houve aulas à tarde. Como isso não aconteceu no D. Manuel, os alunos doo 1º, 2º, 3º, 4º anos juntaram-se no recreio gritando "que também queriam ir para casa”. Partiram centenas de vidros. O Reitor chamou a polícia. Foram detidos alguns alunos e posteriormente foram suspensos 5 alunos.
 MEDICINA - O 4º ano à cadeira de Propedêutica Médica decidiu fazer ontem greve ao teste prático-teórico até que o professor ceda em não fazer prática. Não foram dadas aulas práticas ao longo do ano, por isso se recusam os alunos a serem examinados sobre uma matéria que não foi dada. Não sendo de modo nenhum uma luta contra o ensino prático, mas sim por ele.
Através desta questão concreta os alunos tem posto em causa o carácter reaccionário do ensino.
Elementos da Direcção da Associação continuam a ser chamados à PIDE.
Está-se a realizar na campanha de fundos para comprar um copiógrafo para a Associação, pois como já se sabe a PIDE assaltou a Associação e roubou todo o material que lá se encontrava. A verba projectada é de 20 contos, já se recolheram 8 contos.
Está a ser feita una escolha de fundos para os pescadores de Matosinhos.
No dia 11 de Junho pelas 15h realiza-se o julgamento dos estudantes (103) que se recusarem a pagar as multas, por estarem presentes numa Reunião de Estudantes do Porto, na Faculdade de Ciências contra o “Festival de coros”.
“Festival" que foi vivamente denunciado, pelos estudantes de todo o país, como fascista, colonialista e racista. Os estudantes multados dispostos a prosseguir a luta pelo direito de reunião no Tribunal, realizarem uma reunião na Sexta-feira com cerca de 100 estudantes, aprovando a saída de um comunicado à população.

A DIRECÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE LETRAS
A DIRECÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE ENGENHARIA
A DIRECÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE CIÊNCIAS
A DIRECÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DOS LICEUS



Sem comentários:

Enviar um comentário