quarta-feira, 23 de maio de 2018

1973-05-23 - COMUNICADO Nº 4 - C.P.R.A.A.C - Movimento Estudantil


C.P.R.A.A.C
COMUNICADO Nº 4

COIMBRA
CIÊNCIAS - A reunião dos 3 anos de Engenharia que estava para 5ª feira dia 17 foi como já deve ser do conhecimento geral, proibida pelo Director da faculdade.
Pouco depois dos colegas presentes (cerca do 100), terem tentado levar a reunião por diante, apareceu o Director da Faculdade intimidando insistentemente abandonar o local.
Em presença da situação que se gerou e perante a ameaça duma intervenção policial, que se veio a verificar as pessoas começaram a dispersar, tendo-se decidido realizar nova reunião na 3ª Feira dia 22. Neste dia à hora da reunião, foi fechada a porta que de acesso ao Bar e foi proibida a entrada na faculdade. Os estudantes ficaram à porta donde foram dispersados pela polícia. Apesar da forte repressão que se tem abatido sobre os estudantes de Ciências, a luta pelas FÉRIAS DE PONTO e 2ª CHAMADAS contínua tendo-se decidido transferir a discussão da proposta das comissões do 1º e 2º anos, para as turmas.

DIREITO - Na sequência dum processo de luta pela época de Outubro, foi marcada uma Assembleia de Faculdade para o passado dia 15. O professor Queiró proibiu a referida reunião com base em argumentos visivelmente formais e improcedentes não hesitando mesmo em fechar a Faculdade nessa tarde. Mais uma vez a polícia fez dispersar os estudantes que tinham ocorrido à reunião.
Perante os acontecimentos decidiram os estudantes de Direito marcar uma nova reunião para o dia 22 às 15 horas, no pedido da qual foram seguidos os formalismos legais. O deferimento desta petição é feita, pelo Director da Faculdade, em termos inaceitáveis, tais como:
- A reunião é apenas autorizada para as dezoito horas. As entradas serão limitadas a duzentos e oito estudantes;
- As entradas serão fiscalizadas pelo Bedel e Archeiros que identificarão todos os presentes a quem fornecerão um "bilhete" de controle de entrada;
É exigida a indicação prévia de três nomes para a mesa.
Estas exigências foram claramente repudiadas pelos estudantes de Direito, mantendo-se a convocatória da reunião para o dia e hora indicada.
Na tarde do dia 22, a Faculdade é encerrada, encontrando-se nas iniciações da Porta Férrea um grande aparato policial que impediu a realização da reunião.
Continua pois em aberto o problema da Época de Outubro dos estudantes de Direito.

TEUC - Apresentou o TEUC nos passados dias 18 e 19 os primeiros espectáculos de "O ASNO" peça de José Ruibal.
No sábado dia 19 realizaram-se as comemorações dos 35 anos do organismo.
Depois do espectáculo reuniram-se mais de uma centena de antigos e actuais sócios num jantar de confraternização.
Dentro do programa, estava previsto um colóquio no teatro de bolso, nas instalações Académicas, pelo que foi pedido, pela Direcção, ao Reitor que as instalações da AAC estivessem abertas no domingo. O Reitor informou posteriormente que a autorização só era concedida desde que a Direcção assinasse uma declaração em como se tratava de uma reunião puramente artístico-cultural e sentimental sem qualquer conteúdo político-social.
Como a direcção se tivesse recusado a assinar a dita declaração pelo que dia contém de vexatório para o grupo foi proposto aos sócios, no jantar, fazer o colóquio, imediatamente após aquele. Realizou-se pois o colóquio fora das instalações da A.A.C., tendo sido aprovado o envio dum telegrama ao Reitor protestando contra as limitações na utilização das instalações académicas e foi também aprovado um abaixo-assinado dirigido ao M.E.N. e ao Reitor pedindo a abertura da A.A.C. que recolheu cerca do 125 assinaturas. Foi ainda aprovado o envio de um telegrama ao M.E.N. pedindo a abertura do CITAC organismo da A.A.C. que se encontra suspenso.

Texto do abaixo-assinado, que recolheu cerca de 125 assinaturas;

Ministro da Educação Nacional
Magnífico Reitor da Universidade de Coimbra
As Associações de Estudantes são a expressão organizada do movimento associativo na defesa dos interesses colectivos doe estudantes.
São organizações legais, o que legais devem persistir para continuarem.
Mantêm-se intimamente ligadas às massas estudantis, são representativas desses mesmos estudantes e é nessa condição que intervêm, na vida nacional.
A A.A.C. já se encontra encerrada desde Fevereiro de 1971. Entretanto, numerosas secções encontram-se sem funcionar e outras estão mesmo dissolvidas.
Os subsídios dados aos organismos e secções são muito precários.
Considerando que a Associação encerrada acarreta graves prejuízos não só aos organismos e secções, mas à Academia em geral, nós, os abaixo-assinados, antigos e actuais sócios do TEUC reunidos na comemoração dos 35 anos - este organismo, pedimos a V.ª Exª a rápida regularização da vida académica em Coimbra, concretizando-a na abertura da sua Associação.

A SECÇÃO DE FUTEBOL E A SUA SUBIDA À 1ª DIVISÃO
No passado domingo, a secção de futebol da A.A.C. festejou a sua subida à 1ª divisão convidando os actuais e antigos sócios a comparecerem no estádio municipal. As comemorações revestiram-se dum carácter folclórico com uma fanfarra de tambores que percorreu as ruas da cidade, acompanhada de "aficionados".
Os estudantes de Coimbra encaram este espectáculo com desprezo.
Nas ruas da baixa, gritaram-se slogans como: "viva a Associação Académica de Coimbra",
Ora, a Associação Académica de Coimbra não é a secção de Futebol, nem esta representa, de qualquer maneira, a consciência e a vontade da Academia.
Este aparecimento aos olhos do público como secção da Associação do Estudantes quando a A.A.C. se encontra encerrada há mais de 2 anos, assume um carácter de mistificação da realidade da vida associativa em Coimbra, que não é do aspecto folclórico, mas sim a da dura repressão que os estudantes são vítimas diariamente (a A.A.C. encerrada é apenas um aspecto).

INFORMAÇÕES DO PORTO - (Letras)
Moção aprovada numa sessão informativa em Letras onde estavam presentes cerca de 150 estudantes
- Considerando a brutal acção repressiva da polícia nos últimos tempos do que é exemplo:
A introdução de gorilas-vigilantes em diversas faculdades;
As buscas às casas, chamadas à Pide, a prisão e tortura de dezenas de estudantes;
O ASSALTO A ASSOCIAÇÃO DE MEDICINA DO PORTO E LISBOA;
A recente prisão de 60 estudantes que se encontravam nas aulas e numa reunião;
As cargas policiais acompanhadas de rajadas de metralhadoras que recentemente, em Lisboa, feriram vários estudantes?
A nota da Pide-DGS de 1 de Maio que visa lançar à ilegalidade das A.A.E.E..
Os estudantes de Letras manifestam o seu mais vivo repúdio perante toda esta acção terrorista e solidarizam-se com a luta dos estudantes do Porto, Lisboa e Coimbra.
Foi adiado o julgamento dos 90 estudantes processados quando do festival de coros.

LISBOA
O IST encontra-se em greve às aulas, pela libertação dos estudantes presos. O Instituto está encerrado e a Associação selada. Na 6ª feira haverá uma Reunião Geral do Alunos.
Em LETRAS, dos 22 estudantes que estavam presos só 2 se encontram neste momento na prisão de Caxias, tendo sido os outros libertados.

COIMBRA 23/5/73




Sem comentários:

Enviar um comentário