sábado, 26 de maio de 2018

1973-05-00 - NA RUA, AO LADO DO POVO, OS ESTUDANTES LUTARAM PELO PÃO, PAZ, TERRA, DEMOCRACIA, LIBERDADE E INDEPENDÊNCIA!!! - FEML


NA RUA, AO LADO DO POVO, OS ESTUDANTES LUTARAM PELO PÃO, PAZ, TERRA, DEMOCRACIA, LIBERDADE E INDEPENDÊNCIA!!!

AOS ESTUDANTES DAS ESCOLAS TÉCNICAS, LICEUS, INSTITUTOS E UNIVERSIDADES,

CAMARADAS:
Oito dias após o ataque à metralhadora sobre os estudantes reunidos na Cantina da Cidade Universitária, as massas estudantis, não obstante todas as tentativas de sabotagem da sua luta desencadeadas pelas forças revisionistas, neo-revisionistas e anarco-sindicalistas todos conluiadas, ousaram romper o cerco a que estavam sendo submetidas e iniciaram, com êxito, o seu combate contra a repressão fascista e o oportunismo.
Os objectivos do fascismo e das forças reaccionárias depararam pela frente com a grande mobilização das massas, ainda recordadas da grande jornada vermelha do 1º MAIO, pelo que não puderam evitar que os estudantes marchassem de novo na rua, junto do Povo e sob a direcção do proletariado, combatendo pelos objectivos da REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA POPULAR.
Os objectivos da burguesia colonial-fascista e de todos os seus lacaios infiltrados no seio das massas é evitar a todo o custo que estas se reúnam para decidirem colectivamente das formas e dos meios de lutar pelos seus objectivos progressistas, anti-fascistas, anti-colonialistas, anti-imperialistas.
A nossa luta é uma luta de massas. O fascismo sabe-o e teme-o. É por isso, que ele recorra a todos os seus instrumentos repressivos para evitar as reuniões de massas, como aconteceu ontem ao cercar a Cidade Universitária e a ocupar a cidade com centenas de bestas de choque.
As jornadas de ontem são, sem dúvida nenhuma, uma grande vitória, mas não são uma vitória completa, na medida em que a burguesia conseguiu um dos seus objectivos - impedir a realização do Plenário dos estudantes de Lisboa. Eis porque nós, marxistas-leninistas-maoistas, defendemos a realização do Plenário e APELAMOS para todos os estudantes progressistas no sentido da sua efectivação.
Os estudantes progressistas com o apoio da FEML, convocaram uma manifestação, para as 18h, no Cais do Sodré. Entretanto, surgiu, por parte do bando anarco-sindicalista e revisionista, uma palavra de ordem para as 18h30, em Sete Rios, o que causou grande confusão entre os estudantes.
Porém, às l8h05, dentro da estação do Cais do Sodré, foram desfraldadas duas bandeiras vermelhas do MRPP - que simbolizavam a direcção proletária da luta e um cartaz onde se lia: "FOGO SOBE, A BURGUESIA COLONIAL FASCISTA". Estava assim iniciada a manifestação. Os 400 estudantes presos iniciaram a sua marcha aos gritos de "GUERRA DO POVO A GUERRA COLONIAL", dirigiram-se em direcção ao L. de S. Paulo, passaram pelo L. Conde Barão, subiram a R. das Gaivotas e dispersaram em S. Bento. Durante os 20 minutos - tempo que durou o percurso, os estudantes distribuíram um comunicado à população que falava dos objectivos populares da sua luta; gritaram, em coro, as palavras de ordem que materializa os objectivos da Revolução Popular: PÃO, PAZ, TERRA, LIBERDADE, DEMOCRACIA e INDEPENDÊNCIA NACIONAL; exprimiram o seu repúdio ao revisionismo e ao neo-revisionismo, gritando "ABAIXO A TRAIÇÃO REVISIONISTA", "ABAIXO A CONFRARIA NEO REVISIONISTA"; vitoriando as justas lutas dos Povos coloniais; exprimirem uma grande simpatia e confiança na direcção proletária da sua luta gritando: "VIVA O MRPP", "VIVA A FEML"; fizeram várias inscrições nos eléctricos que vitoriava; a Classe Operária, o Socialismo e o Comunismo,
Após a dispersão, a manifestação veio a reagrupar-se, novamente, na P. do Chile, às 19h10, cerca de 100 manifestantes desceram a Alm. Reis, apedrejaram os vidros do B. FONSECAS E BURNAY, desfraldaram bandeiras vermelhas e continuaram a gritar as palavras de ordem da Revolução Popular, tendo a manifestação dispersado, junto à Portugália,  
A manifestação com início em Sete Rios, agrupou cerca de 200 estudantes subiu a estrada De Benfica e dispersou junto à 2ª Circular. Não obstante a direcção anarco-sindicalistas e revisionista desta manifestação, um largo sector das massas soube impor, por várias vezes, justas palavras de ordem revolucionárias.
A FEML SAÚDA TODOS OS ESTUDANTES PRESENTE NESTA JORNADA DE LUTA E, EM PARTICULAR OS ESTUDANTES DAS TÉCNICAS E LICEUS, QUE SOUBERAM ELEVAR BEM ALTO A BANDEIRA VERMELHA DA CLASSE OPERÁRIA.

MORTE AO REVISIONISMO E AO NEO-REVISIONISMO! GLÓRIA AO MARXISMO-LENINISMO-MAOISMO!


FEDERAÇÃO DOS ESTUDANTES MARXISTAS-LENINISTAS – FEML


Sem comentários:

Enviar um comentário