segunda-feira, 28 de maio de 2018

1973-05-00 - Alerta Camarada!


TODOS DEVEM SER ESCLARECIDOS – LÊ E PASSA


EDITORIAL

ACABEMOS COM A GUERRA COLONIAL FASCISTA


1973 tem sido caracterizado por grandes acções contra a guerra colonial. Citemos as principais: a vigília da Paz, feita pelos católicos do Rato; a onda de protestos provocada pelo assassinato de Amílcar Cabral (secretário-geral do P.A.I.G.C.); as grandes acções do 4 de Fevereiro (data do início da Guerra de Libertação nas Colónias) a as de Abril,

POR TODO O PAÍS apareceram milhares de tarjetas e inscrições nas paredes, estradas, fábricas, quartéis, etc..


O POVO PORTUGUÊS EXPRIMIU ASSIM O SEU PROTESTO contra uma guerra contrária aos seus interesses, que só significa lucros fabulosos para os grandes capitalistas e negociatas chorudas para os generais fascistas com lugares reservados nos Conselhos de Administração das grandes empresas. O engraçado é que são estes "palhaços" que aqui, na tropa, fazem discursos patrióticos. Vê-se bem porquê - somos nós que defendemos os seus "tachos" em África. Mas, para nós, filhos do povo fardados, a guerra só significa maior miséria e exploração, somos nós que morremos ou ficamos mutilados.

Mas, como vai a situação militar nas Colónias?

Maiores dificuldades têm sido encontradas pelos fascistas? O mesmo será dizer que maiores dificuldades vão ser exigidas à JUVENTUDE PORTUGUESA.

Camaradas da Força Aéreas: Em Março, 14 aparelhos foram derrubados. Na Guiné-Bissau, foguetões terra-ar deitaram abaixo vários caças-bombardeiros Fiat. A Base Aérea de Guidage, foi bombardeada; muitos aviadores têm-se recusado a pilotar os seus aviões. Demonstrando as dificuldades que está a encontrar, o nazi Spínola é chamada precipitadamente a Lisboa; vem em "consultas". O tempo em que a Força Aérea regava impunemente as populações com "napalm" já la vai. AS RECUSAS AOS BOMBARDEAMENTOS DAS POPULAÇÕES INDEFESAS TÊM QUE AUMENTAR; RECUSEMOS E SABOTEMOS OS PLANOS CRIMINOSOS DOS FASCISTAS.

Em Angola, a base de Cuango-Cubsngo esteve cercada durante cinco dias (de 11 a 16 de Março). Vários "heli-canhões" foram derrubados. Intensifica-se a guerra de libertação conduzida pelo MPLA.

Em Moçambique combate-se próximo da Cidade da Beira, pois a zona da Gorongoza, antigamente "zona turística" transformou-se numa "nova Tete". O governo fascista, em resposta, enviou mais 10 000 homens para reforço do exército colonial. O número de operações triplicou, O ritmo da guerra intensificou-se (o número de mortos e mutilados continua a aumentar).

CAMARADAS, TEMOS QUE POR COBRO A GUERRA!

INTENSIFIQUEMOS A LUTA NOS QUARTÉIS, CONTRA A GUERRA COLONIAL!

RECUSEMO-NOS A SER CARNE PARA CANHÃO!


Escrevamos por todo o lado:

ABAIXO A GUERRA COLONIAL!

ABAIXO O FASCISMO!

NEGOCIAÇÕES COM OS MOVIMENTOS DE LIBERTAÇÃO!




Sem comentários:

Enviar um comentário