terça-feira, 1 de agosto de 2017

1977-08-01 - O Comunista Nº 45 - II Série - UCRP(ml)

EDITORIAL
Reuniu-se o C.C. do P.C. da China
Decisões de grande significado para o Movimento Comunista Internacional

A Agência Nova China informou que a terceira reunião plenária do Comité Central do Partido Comunista da China reunido aprovou três importantes decisões e decidiu convocar ainda para este ano, em data oportuna, o XI Congresso do Partido.
O CC do PCCH decidiu confirmar o camarada Hua Kuo Feng na Presidência do CC do Partido e na presidência da Comissão Militar do CC do Partido. O camarada Hua, indicado pelo próprio camarada Mao ainda em vida, tem-se revelado o dirigente clarividente do Partido Comunista da China e do povo chinês, sendo o digno sucessor do camarada Mao Tsé Tung. Importantes vitórias foram alcançadas pelo Partido e pelo povo chinês sob a sábia direcção do Presidente Hua. De que se destacam a denúncia e o desencadeamento de um movimento de massas contra o «Bando dos Quatro», a convocação das Conferências para aprender de Tatchat e Taktng e a construção em tempo record do mausoléu do camarada Mao. Também sob a sua direcção, o P.C. da China tem lutado pelo reforço do Movimento Comunista Internacional, e o Estado Chinês tem continuado a lutar incansavelmente pelo reforço da frente anti-imperialista e anti-hegemonista.

O CC do P. C. da China decidiu reconduzir em todas as suas funções dentro e fora do Partido o camarada Teng Siao Ping, que reassumiu todas as funções no CC do PCCH, na Comissão Política do CC do Partido, em vice-presidente do CC do Partido, em vice-presidente da Comissão Militar do CC do Partido, em vice-presidente do Conselho de Estado e em Chefe do Estado Maior General do Exército Popular da China. O camarada Teng Siao Ping havia sido destituído de todas as suas funções dentro e fora do Partido, por decisão do CC do Partido reunido em 7 de Abril de 1976, em virtude dos erros por ele cometidos no quadro da afirmação de um vento desviacionista de direita no seio do Partido. Mas o CC do PCCH decidiu manter a sua condição de membro do Partido sob observação, com vista a aplicar as justas directivas para a luta ideológica traçadas pelo camarada Mao, no sentido de curar a doença para salvar o homem. A recondução do camarada Teng Siao Ping é uma importante decisão do CC do PCCH. O «Bando dos Quatro» procurara deturpar as directivas do camarada Mao para a luta ideológica contra o vento desviacionista de direita, recusando adoptar uma política de reeducação dos camaradas, em erro, ao nível de todos os escalões, conduzindo a sua própria crítica aos erros, seguindo o seu próprio caminho, à revelia do CC, procurando atacar e destruir os bons quadros e dirigentes do Partido e apoderar-se da direcção do Partido e do Estado chineses.
O CC do PCCH decidiu expulsar do Partido e destituir de todas as suas funções no seio e fora do Partido, os renegados Chiang Ching, Wang Hung Wen, Chang Chiao e Yao WenYuan, o «Bando do Quatro», como responsáveis empenhados na via capitalista, como um bando ultra direitista, procurando assenhorear-se da direcção do Partido e do poder de estado, para transformar o Partido num partido social-fascista e a ditadura do proletariado numa ditadura fascista sobre as largas massas do povo chinês. Depois do poderoso movimento de massas de crítica e denúncia do «Bando dos Quatro», dirigido pelo CC do PCCH, e colocado como o centro da luta de classes para todo o ano transacto, o CC do PCCH tomou uma acertada medida, de grande repercussão no seio do Movimento Comunista Internacional.
O «Bando dos Quatro» erguendo-se pretensamente contra o direitismo, contra a teoria das forças produtivas, empenhava-se, na realidade, em sabotar a produção. A pretexto de combater aqueles que subestimavam a importância da revolução em relação ao desenvolvimento da produção, o «Bando dos Quatro» opunha-se na realidade à revolução e sabotava a produção, procurando criar o caos para darem o seu golpe de estado fascista e restaurarem o capitalismo. Atacando a justa linha traçada, pelo camarada Mao e aplicada sem desfalecimento pelo camarada Chou En Lai, para os assuntos internacionais, o «Bando dos Quatro» agia de concerto com o imperialismo e o revisionismo internacional, procurando isolar a República Popular da China de todas as forças revolucionárias, anti-imperialistas e anti-hegemonistas do mundo.
O CC do PCCH decidiu convocar o XI Congresso do Partido para data oportuna, ainda este ano. Este Congresso será um importante acontecimento histórico ao nível do Movimento Comunista Internacional. Culminará uma dura luta de classes que se travou contra o «Bando dos Quatro», grupo de renegados que procurou liquidar o eminente Partido Comunista da China e a retaguarda segura da revolução proletária mundial, a R.P. da China.

Num momento em que no seio do Movimento Comunista Internacional se afirma uma linha trotskysta encabeçada pelos dirigentes do Partido do Trabalho da Albânia, a qual no domínio dos assuntos internacionais, a pretexto de se erguer contra o direitismo, ataca, deturpa e calunia a teoria dos três mundos elaborada pelo presidente Mao, sabotando a poderosa frente de luta anti-imperialista e anti-hegemonista, procurando dividir o Movimento Comunista Internacional, vanguarda revolucionária, e isolar a República Popular da China; num momento em que o social-imperialismo soviético e o revisionismo contemporâneo desenvolvem um ataque concentrado sobre o Partido Comunista da China e o Movimento Comunista Internacional; num momento em que o grupo anti-chinês e contra-revolucionário do «PCP(r)» sai à arena atacando furiosamente o Partido Comunista da China, ainda que o pretendendo camufladamente — falando das «atitudes insólitas de certos meios internacionais» que se rebai­xariam «a um nível pouco invejável» —, desenvolvendo manobras concertadas em defesa do «Bando dos Quatro» e contra o pensamento de Mao Tsé Tung, é um dever sagrado para todos os comunistas portugueses e para todos os sinceros amigos da China apoiar as justas decisões do Comité Central do Partido Comunista da China, combater o revisionismo e o trotskysmo, defender a unidade e a pureza de princípios do Movimento Comunista Internacional, levar a bom termo o combate pela reconstituição do Partido Comunista Português.  

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo