segunda-feira, 31 de julho de 2017

1977-07-31 - Vanguarda do Povo Nº 32 - MRML

QUE FAZER?

A "Convergência Democrática" começa a estalar. O PPD desentende-se com o CDS. O PS, enquanto faz a sua política de recuperação capitalista, ataca o M.I.R.N. de Kaulza de Arriaga. Entretanto consolida-se o empréstimo de vários milhões de contos que transforma ainda mais o Governo português em marioneta do capitalismo internacional.
Mas, entendidos ou desentendidos, zangados ou contentes, estes senhores concordam todos quando se trata de consolidar a recuperação capitalista à custa dos trabalhadores. O PS prepara-se para fazer aprovar a nova lei da Reforma Agrária, que vai devolver aos antigos patrões cerca de 500.000 hectares de terra do Alentejo. O Governo devolve as empresas a antigos patrões e consolida o capitalismo em Portugal.

A estratégia dos trabalhadores, face a isto tem de ser de luta aberta, e não podem confiar em soluções de partidos em quem acreditam, de querer governar com o PS, ou de pretender um Governo de esquerda, sob a presença do General Eanes. Nada se conseguirá com estas tácticas, a não ser amarrar a classe trabalhadora à política de miséria do capitalismo!
A nossa única política deve ser a da defesa das conquistas operárias, desde os salários às nacionalizações e expropriações. É para aí que se devem voltar seriamente as organizações de trabalhadores, unindo-se numa luta que não isole sectores profissionais nem permita que a burguesia divida os trabalhadores. Saber recuar onde for preciso. Preservar o essencial.
Os trabalhadores mais conscientes; os "apartidários" que não encontrem onde militar politicamente, devem procurar encontrar-se, reunir, trocar experiências e encontrar formas de luta, numa perspectiva progressista e descomprometida de qualquer partido reformista ou burguês.
É esta a função deste jornal.

Colaborem na luta comum!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo