quinta-feira, 27 de julho de 2017

1977-07-27 - PELA LIBERDADE! CONTRA A REPRESSÃO! - Rui Gomes

PELA LIBERDADE!
CONTRA A REPRESSÃO!

BOLETIM INFORMATIVO DA COMISSÃO DE LUTA PARA A LIBERTAÇÃO DE RUI GOMES Nº 13 27-7-77

DEFENDAMOS AS CONQUISTAS DO 25 DE ABRIL!
"Gravíssimos atentados à liberdade foram cometidos nos últimos dias. É com apreensão que o Povo português vê serem atropelados elementares direitos democráticos. E com justificada preocupação que os democratas vêem avolumar-se ameaças sobre a liberdade política.
(...)
"Quando começa a haver feridos graves e um jovem de 17 anos é ceifado à vida seria cumplicidade não levantarmos a nossa voz.

(...)
"Não foi para ver de novo implantada a censura, cortada a liberdade política e reeditadas as cargas policiais que fizemos o 25 de Abril. É no entanto esse o caminho que Portugal trilhará se não nos levantarmos contra a arrogante escalada reaccionária".
Estes são alguns extractos dum importante manifesto-apelo já subscrito, para além desta Comissão de Luta, pela AE-FCL e AE-ISE e pelos seguintes democratas e antifascistas: Prof. Francisco Pereira de Moura, Prof. António José Saraiva, Jorge Sampaio, deputado Acácio Barreiros, João Paulo Oliveira e Manuel Beça Múrias, jornalistas. Major Mário Tomé, Gen. Otelo Saraiva de Carvalho, Eduardo Prado Coelho, Prof. Borges Coelho, Jorge Faqundes, José Manuel Esperto da AEPPA.
APELAMOS A TODAS AS ASSOCIAÇÕES CÍVICAS E UNITÁRIAS E A TODAS AS PERSONALIDADES ANTIFASCISTAS PARA JUNTAREM A SUA VOZ A ESTE PROTESTO, EXPRIMINDO O REPÚDIO POPULAR AOS CRIMES DA REACÇÃO.

A REPRESSÃO CONTINUA!
No passado sábado dia 23-7-77, mais uma vez a polícia assassina do jovem operário Luís Augusto Caracol carregou sobre antifascistas no seu elementar direito de expressão.
Em Queluz, um grupo de pessoas, quando procedia à colagem de cartazes denunciando a repressão do primeiro dia do julgamento-farsa de Rui Gomes, foi perseguido provocatoriamente por carrinhas da PSP.
No mesmo dia em Campo de Ourique, quando três camaradas vendiam jornais que igualmente denunciavam a brutalidade e a selvajaria policiais, foram convidados a apresentar-se ao chefe da esquadra, apesar dos protestos populares; como não o fizeram, não tardou que à polícia de choque chegasse e a isso os obrigasse, reprimindo tudo e todos que se lhes opuseram.

O MAI, A PSP E O GOVERNO CIVIL SERÃO PROCESSADOS!
Se com a repressão as autoridades julgam amedrontar os antifascistas, enganam-se! Antes pelo contrário dão-lhes maior convicção e determinação para a luta. Por isso, o MAI, a PSP e o Governo Civil serão processados pela repressão e pelo assassínio que cometeram. Não serão os comunicados intimidatórios do MAI ou da PSP que nos farão recuar. Comunicados esses, aliás, que têm o inteiro apoio das autoridades militares. Por isso o Capitão Sousa e Castro na passada semana ao referir-se aos acontecimentos de dia 13 afirmaria que estamos num Estado democrático e como tal há que não desrespeitar as decisões do poder.
Perguntamos ao sr. Capitão se é democrática a manutenção da prisão e julgamento-farsa de Rui Gomes? Se é democrática a repressão? Se é democrático um assassínio? Se é democrática a existência de uma PSP que durante o tempo do fascismo foi um dos seus principais apoios?
De facto o capitão Sousa e Castro parece mandatado pela direita reaccionária militar para tentar intimidar os antifascistas. Mas o protesto popular avançará!

IMPORTANTE DEPOIMENTO DO CENTRO DE ENFERMAGEM DE ALFAMA
As testemunhas das cargas policiais são inúmeras. São o povo de Alfama e da Graça, são jornalistas, são homens e mulheres que estavam nas ruas e que sofreram a repressão policial. Esta Comissão de Luta apela para que todos se ofereçam para prestar depoimentos e documentação fotográfica e para que procedam a exames médicos das feridas e equimoses de que foram alvo.
É importante que todos sigam o exemplo do Centro de Enfermagem de Alfama que enviou à AEPPA um precioso depoimento, onde se pode ler nomeadamente:
"Face aos acontecimentos do passado dia 13, quando da 1a sessão do julgamento de Rui Gomes, (...) informamos: Cerca de 30 pessoas foram assistidas e tratadas neste Centro, nomeadamente a feridas contusas do couro cabeludo, contusões, equimoses, escoriações e outras (...) Quanto ao número de feridos se mais não foram tratados neste Centro deve (...) a cerca das 18 horas ter sido montado forte dispositivo policial junto a este Centro é MERA CASUALIDADE?"

A FARSA CONTINUA
As próximas sessões do julgamento de Rui Gomes serão 4a feira dia 27 e 6a feira dia 29 às 14 horas no Tribunal Militar de Santa Clara (Graça), no entanto contínua sem ser marcado o seu termo, prevendo-se que sejam marcadas novas sessões em Agosto. Apelamos a todos os antifascistas e democratas que assistam às sessões para poderem testar a farsa que este julgamento está a revelar.

MORTE AO FASCISMO E A QUEM O APOIAR!
LIBERDADE PARA RUI GOMES!

A LUTA CONTINUA!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo