domingo, 23 de julho de 2017

1977-07-23 - RESPONDEREMOS TACO-A-TACO ÀS PROVOCAÇÕES DA “DEMOCRÁTICA” GNR - PCTP/MRPP

RESPONDEREMOS TACO-A-TACO ÀS PROVOCAÇÕES DA “DEMOCRÁTICA” GNR

Já desde há muito tempo que a GNR tem feito as mais vis e descaradas provocações ao nosso Partido e ao Povo da Brandoa. Foi assim que essa "democrática" força repressiva, agindo sob a cumplicidade da Câmara de Oeiras tratou de nos provocar mais uma vez.
A meio da tarde da última 6ª feira, 2 funcionários da Câmara de Oeiras, protegidos por mais de uma dúzia de GNRs armados de G3, dirigiram-se ao Largo da Brandoa e, sob o pretexto de andarem a fazer limpeza às paredes, arrancaram um cartaz mural - colado na noite anterior - onde se denunciava a lei anti-greve aprovada nesse covil da burguesia que é a Assembleia da República. Este acto juntou no local algumas pessoas que, indignadas com aquilo, comentavam o sucedido. É então que um popular, por dizer que não concordava com tal acção, foi levado preso para o posto da GNR. É nessa altura que um agente da GNR diz "os gajos do MRPP deviam, ser todos fuzilados".

Respondendo a esta afirmação, só dizemos a esse senhor e a todos os outros que pensam como ele, que isso é para nós uma honra, vindo da boca de quem vem, e porque vem mostrar mais uma vez o ódio que essa polícia fascista tem ao PCTP/MRPP e ao Povo.
Sobre a "limpeza das paredes" gostaríamos de perguntar:
- Mas que raio de "limpeza" foi aquela que só o cartaz mural do nosso Partido foi arrancado, ficando no Largo e na mesma parede todos os outros cartazes aí colados por outros partidos?
- Será que os outros cartazes já não "sujam" as paredes?
Talvez pareça mera coincidência, mas o facto e que no mesmo dia à, tarde e na Venda Nova, tal tipo de provocações também surgiram. Assim, e quando a Delegação do nosso Partido se encontrava fechada, também a GNR, armada até aos dentes e acompanhada de funcionários da Câmara, arrancaram de lá a propaganda afixada na própria parede da Delegação. Esta acção provocou também no Povo presente um vivo repúdio, pois tais senhores não tiveram coragem de fazer essa provocação quando na Delegação estivessem os nossos camaradas.
O nosso Partido, por ser o Partido da classe operária, é um Partido pobre e odiado pela classe dos capitalistas. Por isso, nós não temos acesso à imprensa burguesa, como têm todos os outros partidos. O único meio de imprensa de que dispomos é o jornal "LUTA POPULAR". Assim, e para dar a conhecer as suas posições ao Povo, o nosso Partido só tem quatro meios: ou através do "LUTA POPULAR", da agitação oral dos seus militantes, de comunicados, ou ainda de jornais murais - como foi o caso. A burguesia, ao fazer essas pretensas "limpezas" - para isso é vermos como "limpo" ficou o Largo da Brandoa - não visa senão calar a voz do nosso Partido e, através dele, silenciar a voz dos explorados e oprimidos.
A burguesia, através da fascista GNR e da Câmara de Oeiras - onde imperam os "socialistas" e os "FEPUs" começa a desencadear sobre o PCTP uma repressão cada vez mais forte, cuja razão é bem simples: o PCTP tem sido o único Partido que tem, de uma forma consequente, desmascarado todas as medidas anti-operárias e anti-populares dos diversos governos que, com o apoio dos partidos burgueses - desde o CDS fascista ao P"C"P social-fascista e seus filhotes assassinos da UDPide - têm lançado sobre os trabalhadores a fome, a miséria e o desemprego.
Nós dizemos claramente que a GNR é uma instituição completamente fascista, ela foi criada por Salazar e depois do 25 de suas estruturas mantêm-se intactas. A GNR e todas as outras polícias servem unicamente para reprimir o Povo, como aconteceu recentemente na EMPREITAL e na AUTO-RECONSTRUTORA do Barreiro. É bom vermos que o P”C”P, esse partido que se diz "defensor dos trabalhadores” e "comunista" afirma ser a GNR "democrática", e promove para os seus agentes bailes e festas como aconteceu em 1975 no Barreiro. Lá diz o ditado popular: “Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és.”
Nos dizemos claramente que as Autarquias Locais não estão interessadas em servir o Povo. A Câmara de Oeiras preocupa-se mais, em trazer funcionários seus a arrancar propaganda do nosso Partido, do que em alcatroar e arranjar as ruas da Brandoa, em criar creches para os filhos dos trabalhadores, em electrificar correctamente todas as ruas do nosso bairro, etc.
Estas acções provocatórias da Câmara e da GNR não estão de maneira alguma desligadas da situação política actual, situação essa caracterizada fundamentalmente por um aprofundar da crise criada pelos capitalistas.
Estas provocações surgem numa altura em que a Assembleia da Republica aprova uma série de decretos reaccionários, como sejam a lei anti-greve, a lei da reforma agrária, etc. e também numa altura em que as desintervenções aumentam a passos largos provocando assim o desemprego a milhares de trabalhadores. É também nesta altura que as manobras militares se sucedem dia após dia culminando em Outubro com uma série de manobras militares de uma envergadura nunca antes vista no nosso país.
Estas provocações surgem também, numa altura em que a classe operária e o povo, vêm que quem tem razão é o nosso Partido e que só ele desmascara e os pode dirigir na luta contra as medidas reaccionárias dos Governos da burguesia, no caminho da Revolução e na tomada do poder político por aqueles que tudo produzem e nada têm.
Nós mais uma vez dizemos à "socialista" Câmara de Oeiras, à GNR fascista e a todas as polícias ao serviço do grande capital que RESPONDEREMOS TACO A TALCO ÀS SUAS PROVOCAÇÕES.

MORTE AO FASCISMO E AO SOCIAL-FASCISMO!
NINGUÉM HÁ-DE CALAR A VOZ DA CLASSE OPERÁRIA!
SÓ OS TRABALHADORES PODEM VENCER A CRISE!
VIVA O PCTP/MRPP!

23/7/77

A Célula do PCTP/MRPP na Brandoa

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo