domingo, 23 de julho de 2017

1977-07-23 - ML Informação Nº 10 - Série I - PCP-ml

ARRANCAR A MÁSCARA DO MARXISMO-LENINISMO E DA DEFESA DE STALIN AOS REVISIONISTAS ALBANESES!
Com este título, o número 127 de Unidade Popular publica uma declaração do CC do PCP(m-l) sobre as actividades contra-revolucionárias dos revisionistas albaneses em Portugal e no movimento comunista internacional. A declaração denuncia as manobras dos revisionistas albaneses desde 1970 nas suas relações com o PCP(m-l), os ataques de Hoxha a Mao Zedong, o seu apoio às teses de Khruchtchev nomeadamente sobre a questão de Stalin, o seu apoio a Brejnev, a Cunhal e ao partido dos «rachados», etc. O mesmo número de Unidade Popular publica um artigo intitulado Os Revisionistas Albaneses contra o Materialismo Dialéctico.
OS RACHADOS CONSIDERAM INEVITÁVEIS AS ALIANÇAS COM CUNHAL
Manuel Monteiro, MDP «arrependido» em 1974, caixeiro-viajante de Cunhal e duplo ou papagaio do Chico Bufo, em artigo que assina no «Bandarra Negra», abre claramente o jogo: pinta de cor-de-rosa, de sociais-democratas, os sociais-fascistas e defende como inevitáveis na prática as alianças com os sociais-fascistas em nome da luta contra a «reacção».

OS RACHADOS EMPURRAM PARA A MORTE MAIS UM JOVEM
Depois de terem assassinado a frio o jovem Alexandrino de Sousa e de, igualmente por agressão e afogamento e no mesmo local, terem tentado assassinar vários jovens das Juventudes Comunistas (m-l), os criminosos à solta do «PCP(R)-UDP» empurraram agora para aventuras o jovem Luís Caracol, o que conduziu à sua morte nos recontros com a PSP. É já velha a táctica dos sociais-fascistas cunhalistas e seus lacaios: manipular e empurrar pessoas para aventuras, fazer vítimas, para depois poderem fazer grande espalhafato com o crime, que é afinal da sua responsabilidade antes de ser da repressão. Ao mesmo tempo que denuncia o «PCP(R)-UDP» e o tal Rui Gomes («Tarzan») como agentes do social-imperialismo russo e as manifestações frente ao tribunal como provocações arquitectadas pelos seus patrões do Kremlin, o PCP(m-l) não pode deixar de condenar vigorosamente o espancamento na cabeça, por parte da PSP, de jovens manipulados e inocentes, quando afinal à polícia não teria sido difícil, com outros métodos, dispersar, a manifestação promovida pelos sociais-fascistas. Se alguém merece a morte são os que manobram os jovens e os enviam para essas manifestações provocatórias e criminosas do social-imperialismo russo e nunca os jovens que, embora temporariamente enganados pelos seus chefes, mantêm acesos os ideais de independência nacional, da democracia, do progresso social.

A POSIÇÃO DO PCP(M-L) SOBRE A LEI BARRETO
A Lei da Reforma Agrária é um esforço para retirar aos sociais-fascistas parte das posições que estes detêm no Centro e Sul do País e que utilizam para sabotar a economia e subverter a democracia. A lei reflecte, apesar disso, a política de conciliação do governo PS, contendo concessões aos sociais-fascistas, que não deixarão de utilizar a seu favor a demagogia socializante do Governo e as indefinições da lei.
Na lei, o PCP(m-l) apoia o regime de uso de terras expropriadas e nacionalizadas, que possibilita a expulsão dos sabotadores sociais-fascistas das terras que ocupam; apoia as marcações das reservas e os critérios de majoração das respectivas áreas, assim como a exclusão de certas benfeitorias dos critérios de pontuação — com estas medidas, será susceptível diminuir o controle social-fascista no conjunto das terras expropriadas; apoia as medidas referentes à criação de estabelecimentos agrícolas intensivos, a concessão de seguros inerentes â actividade agrícola e o arrendamento compulsivo ou a expropriação das explorações abandonadas por mais de cinco anos.
Na lei, o PCP(m-l) denuncia as omissões relativas à repressão da sabotagem económica, de acordo com critérios não determinados com precisão — um governo conciliador como o de Soares utilizará esta liberdade para negociar com os sociais-fascistas a sua continuação no poder fazendo-lhe concessões; condena a proibição de formação de sociedades agrícolas a partir da associação de diversos reservatórios — enquanto estas poderiam munir-se de equipamentos e processos modernos para desenvolver a agricultura, estando no entanto proibida a sua constituição, milhares e milhares de hectares poderão permanecer na posse dos caciques sociais-fascistas; condena a indefinição implícita no que respeita ao sancionamento do uso, não efectuado de forma imperativa, das terras expropriadas e nacionalizadas; condena a indefinição da legislação face aos novos latifúndios cunhalistas e à necessidade imperiosa do seu desmantelamento.
Quanto à posição tomada pela CAP de atacar globalmente a lei, o PCP(m-l) condena-a porque essa posição não toma em consideração a defesa de uma agricultura ao serviço da independência nacional, da democracia e do progresso social. Tais ataques favorecem, afinal, a escalada social-fascista de Cunhal e a demagogia socializante dos conciliadores do PS.

CENTENAS DE COMUNISTAS ADEREM EM CADA MÊS AO PCP(M-L)
Em cada mês, pessoas que compreendem que estão a ser enganadas, abandonam o partido social-fascista de Cunhal ou seus satélites do Chico Bufo, o partido dito «socialista» de Soares mas capitalista na realidade ou o partido do «grande educador». Muitas dessas pessoas aderem imediatamente ao PCP(m-l), o verdadeiro e único partido comunista, o verdadeiro e único partido de Marx, Engels, Lenin, Stalin e Mao Zedong, o verdadeiro e único partido socialista. Por isso o PCP(m-l) está a cumprir o seu plano mensal e anual de desenvolvimento orgânico.

PEDIDO DE CONTACTO
Nome -
Profissão -
Morada -

NOVOS TÍTULOS NAS EDIÇÕES SEARA VERMELHA
Foram postos à venda os títulos: V. Lenin, Acercada Frase Revolucionária, I. Stalin, Trotskismo ou Leninismo?; I. Stalin, Notas sobre Temas Contemporâneos: a China, V. Molotov, XXX Aniversário da Grande Revolução Socialista de Outubro; A. Marty, Georgi Dimitrov, Grande Combatente Proletário e Antifascista, Júlio Dias, Os Submarinos de Cunhal no PS.
Foi posto à venda o número 9 da revista Seara Vermelha, que trata, entre outros: Vieira da Silva, falsificadora do azulejo português, o psicologismo de Soeiro P. Gomes; a unidade da Europa face à ameaça russa; etc.

OS «EUROCOMUNISTAS» FRANCESES ASSASSINAM UM OPERÁRIO PORTUGUÊS
Os chamados «eurocomunistas», na realidade eurodiversores para apanhar borboletas, mostram bem o que são não nas lindas declarações que fazem mas sim na prática. Na noite de 3 para 4 de Julho, António Costa Gonçalves, operário emigrante português, tentou entrar com dois companheiros numa festa do Avante! francês. Os elementos da segurança, alegando que a festa estava a acabar, não o deixaram entrar. Gerou-se discussão que terminou na agressão e assassinato do operário português.

DELEGAÇÕES PORTUGUESAS NA CHINA
Desloca-se em Agosto, à China uma delegação das Juventudes Comunistas (marxistas-leninistas) composta de 7 jovens de vários pontos do país. Na mesma data parte também para a China, a convite da Guozi Shudian (Centro de Publicações da China), uma delegação da proLibris. Em Setembro parte ainda para aquele país uma delegação de amizade composta por várias personalidades portuguesas e organizada pela Associação Democrática de Amizade Portugal-China.

PUNIDOS AGENTES DO KGB
O tribunal que julgou o general suíço Jeanmaire, espião do KGB, condenou-o a 18 anos de prisão. Foi expulso de Espanha o espião do KGB Svechnikov, que usava a camuflagem de funcionário da companhia de navegação hispano-soviética Intramar, idêntica à Aminter. Entretanto, foram detectados em Espanha mais de cem agentes do KGB.

PARTIDO COMUNISTA DE PORTUGAL (MARXISTA-LENINISTA)

AVENIDA 5 DE OUTUBRO 293, LISBOA - 1 — TELEFONE 76 95 78

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo