terça-feira, 11 de julho de 2017

1977-07-11 - Liberdade para quem trabalha Repressão sobre os fascistas - PCP(R)

Liberdade para quem trabalha Repressão sobre os fascistas

OPERÁRIO, TRABALHADOR, ANTIFASCISTA, DEMOCRATA!
Tu que em 25 de Abril de 1974 saíste à rua — porque aspiravas a uma vida livre e mais digna — gritando Liberdade, tu que no 28 de Setembro e no 11 de Março, assim como noutras ocasiões saíste à rua em defesa da Liberdade e contra o regresso do fascismo, decerto já te apercebeste que a Liberdade e as conquistas que alcançaste pela luta após o 25 de Abril estão seriamente ameaçadas!

SOARES E OS SEUS MINISTROS DÃO O EXEMPLO!
Incapaz de impor por meios pacíficos o Pacto Social, e de conter a crescente força do movimento operário e popular em luta por melhores condições de vida e de trabalho e pela defesa das conquistas de Abril, o governo vem lançando mão, cada vez mais, da repressão e da arbitrariedade. Os cantoneiros de limpeza da CML em luta por aumentos salariais e melhores condições de trabalho, são alvo de requisição civil, durante a qual são presos 46 trabalhadores e 33 de entre 75 são despedidos.

Nos STCP e nos CTT dezenas de trabalhadores são alvo de processos disciplinares só porque se "atreveram" a lutar pelos-seus direitos e aspirações. Isto para já não falar da brutalidade com que se lança a odiosa Polícia de choque e a GNR assassina sobre os estudantes em luta, sobre os ocupantes que querem um tecto para os seus filhos, sobre os assalariados rurais alentejanos que lutam pela defesa da Reforma Agrária ou ainda sobre outros trabalhadores em luta.
Ao mesmo tempo, o governo envia a PSP ao Brasil para aprender (o quê?) com a criminosa polícia política brasileira e prepara-se para aumentar para o dobro os efectivos da PSP e da GNR, de modo a tornar mais eficiente o seu aparelho repressivo.

OS CAPITALISTAS E SEUS LACAIOS ENTRAM PELA PORTA QUE SOARES ABRE!
Sob a política do Governo de cedência às forças do capital e do fascismo, os patrões e administradores fascistas encontram ampla liberdade para pôr em prática os seus planos de recuperação capitalista que neste momento passam por fazer calar os organismos representativos dos trabalhadores, a começar pelos mais consequentemente revolucionários. É assim que se pode entender, entre outros exemplos, o despedimento em bloco da CT da EFACEC-INEL (Sul) por parte da administração da empresa e o facto de a administração do Hotel do Mar despedir 65 dos 131 trabalhadores, entre os quais 4 membros da CT, 2 delegados e 2 dirigentes sindicais.

NAS MÃOS DE QUEM ESTÁ O PODER JUDICIAL?
Ao mesmo tempo que se promove o regresso de figuras gradas do fascismo, e à libertação e reabilitação dos pides, ao mesmo tempo que os bombistas e demais inimigos do Povo gozam da mais vergonhosa impunidade, mantém-se o estudante antifascista Rui Gomes, escandalosamente preso em Caxias, mais de 20 meses sem culpa formada.
É este crescendo da repressão e esta vergonhosa liberdade de que gozam os inimigos do Povo que vão criando as condições para uma crescente fascização da vida nacional que a chamada “convergência democrática" do CDS e PPD, porta-vozes do capital e do fascismo, não se cansam de exigir e que o governo da camarilha vendida de Soares vem facilitando.

DE PÉ, FIRMES NA LUTA PELO PÃO E PELA LIBERDADE!
— O Partido Comunista Português (Reconstruído) aponta o caminho da luta firme e decidida como a única via para alcançar melhores condições de vida e de trabalho, para travar a política de recuperação capitalista do governo e derrotar a conspiração fascista. A unidade e firmeza dos trabalhadores dos STCP estão na base das importantes vitórias que têm alcançado. Só a firme e decidida greve da fome de 26 dias de Rui Gomes, que contou com a solidariedade activa do Povo trabalhador, fez recuar os juízes fascistas que se viram obrigados a marcar o seu julgamento para o próximo dia 13.
— O PCP(R) alerta para o caminho de conciliação e cedência apontado pelo partido revisionista de Cunhal e denuncia a sua traidora política de calúnia das lutas, promovendo o seu isolamento, facilitando o caminho à repressão. Nas manifestações de 22 de Junho, os caciques revisionistas instalados no Secretariado da CGTP-Inter impediram o uso da palavra aos trabalhadores dos STCP no Porto e aos cantoneiros de limpeza em Lisboa.
— O PCP(R) apela aos sindicatos, às CTs e demais organismos representativos dos trabalhadores, à classe operária e ao povo trabalhador em geral a apoiar por todos os meios as lutas que os seus irmãos de classe travam pelo pão e contra a repressão, seguindo o princípio de que trabalhadores em luta não podem ficar isolados.
— O PCP(R) chama a classe operária, todos os trabalhadores, todos os antifascistas e democratas a concentrarem-se junto ao Tribunal Militar de Santa Clara (junto à Feira da Ladra) no próximo dia 13 pelas 14 horas, onde irá ser julgado o antifascista Rui Gomes e aí exigir a sua libertação imediata, não reconhecendo ao tribunal que liberta os pides autoridade para julgar um antifascista.

NÃO AO PACTO SOCIAL - OS RICOS QUE PAGUEM A CRISE!
CONTRA A MISÉRIA E A REPRESSÃO - LUTEMOS PELO PÃO E PELA LIBERDADE!
CONTRA OS PROCESSOS DISCIPLINARES E OS DESPEDIMENTOS - LIBERDADE PARA QUEM TRABALHA, REPRESSÃO SOBRE OS FASCISTAS!
PIDES, BOMBISTAS, FASCISTAS PARA A PRISÃO!
TRIBUNAIS FASCISTAS NÃO, RUI GOMES LIBERTAÇÃO!

11 de Julho de 1977

O Comité Regional Enver Hoxha do Partido Comunista Português (Reconstruído)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo