segunda-feira, 3 de julho de 2017

1977-07-03 - HOMENAGEM A ALFREDO DINIS (Alex) - PCP

HOMENAGEM A ALFREDO DINIS (Alex)
BUCELAS 3 JULHO 1977 17H.

ALFREDO DINIS (ALEX)
HERÓI DA CLASSE OPERARIA

"Quatro de Julho de 1945; a manha preludiava um quente dia de verão e tu, Alex, descias, soltos os pedais, decerto as mãos no travão da tua bicicleta, a estrada de curvas suaves que te conduziria à casa onde virias reunir connosco.
Eram cerca de 9 horas e tu não sabias, Alex, que às 4 da madrugada, num esforço desesperado para decifrar papeis de um camarada que nas salas de tortura da PIDE, defendia e defendeu valentemente o Partido - o nosso PARTIDO - os teus assassinos tinham conseguido o dado que lhes faltava para levarem a cabo o seu monstruoso crime.”

Era isto que te diria, Alex, se pudesses ainda - ouvir-me.
Mas não nos ouviria jamais este filho heróico do proletariado português.
Apenas com 28 anos, pois nasceu em 29 de Março de 1917, Alfredo Dinis foi assassinado a 4 de Julho de 1943 na estrada de Bucelas pelo famigerado agente da PIDE José Gonçalves, agora encarcerado em Caxias. Dessa brigada faziam parte os agentes Mário Constando e António Baptista da Silva.
Operário e filho de operários, Alex destacou-se desde muito jovem na defesa dos interesses dos seus companheiros de trabalho, estando sempre à cabeça das lutas reivindicativas. Por isso os trabalhadores, os seus companheiros de trabalho, devotavam-lhe uma grande afeição.
Nos anos de 1937-1939, Alfredo Dinis desenvolve uma intensa actividade da Federação das Juventudes Comunistas, no SOCORRO VERMELHO INTERNACIONAL e no PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS. Ao mesmo tempo, Alfredo Dinis ainda arranjava tempo para frequentar o Curso Industrial nocturno.
Preso em 1938 Alex portou-se valentemente, estando então preso 18 meses. Continuando a sua actividade revolucionária de novo em liberdade, Alex é obrigado a passar à clandestinidade, após as greves da classe operária da região de Lisboa em Outubro/Novembro de 1942.
Na clandestinidade, como dirigente do PCP, Alfredo Dinis desenvolve uma extraordinária actividade no decorrer das greves de Lisboa e Baixo Ribatejo em Julho/Agosto de 1943 e Maio da 1944.
O inimigo fascista não poupa esforços na perseguição deste valente filho da classe operária e destacado dirigente comunista. No dia 4 de Julho de 1945, no ano da derroca ao nazi fascismo hitleriano, Alfredo Dinis cai para sempre varado pelas balas assassinas dos inimigos da classe operária e do povo português.
Faz agora 32 anos, mas hoje como ontem a sua memória, o seu grande exemplo de revolucionário comunista estão para sempre gravados nos nossos corações.
************

”O exemplo de Alfredo Diniz é uma e uma luz, entre as muitas luzes dos heróis e dos mártires da luta anti-fascista, que nos guia no caminho até à vitória final.”
Álvaro Cunhal, num comício em Almada, em 4 de Julho de 1974.

PROGRAMA:
DIA 3 de Julho, às 17 Horas - CONCENTRAÇÃO NO LARGO SE BUCELAS
ROMAGEM AO LOCAL ONDE FOI ASSASSINADO ALFREDO DINIS. ***************

APELO
A Comissão Concelhia da Loures e a Comissão de Freguesia de Bucelas do PCP, promovem uma homenagem à memória de Alfredo Dinis (Alex), no próximo dia 3/7/77, por altura do 32º aniversário do seu assassinato em 4 de Julho de 1945, pelos criminosos da PIDE.
Para a celebração deste acto em que estarão presentes, camaradas da Direcção do Partido, a Comissão Concelhia e a Comissão de Freguesia de Bucelas do PCP, apelam para os seus militantes e simpatizantes, à classe operária, aos trabalhadores em geral, às massas populares e a todos os antifascistas deste concelho para que se associem a esta homenagem.
Concentração às 17 horas no Largo de Bucelas (junto às bombas de gasolina), de onde se sairá em romagem ao local onde foi assassinado o destacado dirigente da classe operária.

A Comissão Concelhia de Loures

A Comissão de Freguesia de Bucelas do Partido Comunista Português

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo