sábado, 29 de julho de 2017

1977-07-00 - Juventude Nº 24 - UJC

UMA FORMA DE CORRUPÇÃO
CAMARADAS
A droga é um dos problemas com que a nossa juventude se debate.
O número de drogados aumenta de dia para dia. Muitos jovens entram por isso no meio da droga inconscientemente. Fumam a primeira «passa» de liamba, continuam e facilmente adquirem o vício pois o seu organismo pede-lhe cada vez mais droga. O indivíduo aumenta assim a quantidade de droga que consome, passando progressivamente de liamba ao haxixe e deste ao LSD e à morfina.
A droga é assim tal como outros meios de alienação uma forma de corrupção da juventude. Levar um indivíduo a drogar-se é faze-lo esquecer os seus problemas. Daí o grande número de jovens que se drogam nas sociedades onde existe exploração, nos países sob o jugo imperialista, nas sociedades capitalistas.

Resolver este problema é difícil mas de modo algum impossível.
Existem a funcionar em algumas escolas grupos de professores e alunos que promovendo debates pretendem recuperar jovens drogados. É uma iniciativa a seguir mas que só por si não pode resolver um problema que atingiu tão alto grau de gravidade. A criação de outros a nível hospitalar de recuperação de drogados é uma medida que urge ser tomada.
Porém não é reprimido o drogado que se leva a deixar a droga é sim levá-lo ideologicamente ao caminho certo.

José Carlos
OEIRAS

NÃO PADECER DE NENHUMA DOENÇA
Camaradas:
Nós os jovens comunistas, orgulhosos de pertencer às fileiras da primeira linha de luta contra o fascismo, temos perfeita consciência das enormes responsabilidades que nos estão atribuídas. Não fomos, nós somos, sem seremos nunca envolvidos pelas frases demagógicas, porque sabemos que o esquerdismo é a doença Infantil do marxismo. E a nossa acção da luta não padece de nenhuma doença, porque o nosso espírito revolucionário é são, justo e consciente. Não lado-a-lado com forças de ideologia fascista - os partidos de direita - porque partilhamos uma noção de humanismo contrária aos interesses do capital explorador, e é contra este que dirigimos as nossas armas.
Também não somos orgulhosamente sós. Nunca está sozinho quem tem a companhia do Povo!
Uniremos a nossa força a todas as forças progressistas com vista à reconstrução nacional. Estaremos sempre atentos às manobras dos golpistas e dos aventureiros, desmasca­rando as suas tentativas de retorno a um passado que repudiamos.
Esta é a nossa linha de luta, é o ideal do qual não abdicámos.

Fernando Fonseca
V. N. de Gaia

MAIOR DIVULGAÇÃO
Como jovem trabalhador e leitor assíduo do “Juventude", venho por este meio expressar as minhas saudações.
Camaradas, a UJC e o seu órgão central “Juventude” tem vindo, dentro das suas possibilidades, a esclarecer a juventude trabalhadora no sentido de se manter coesa e organizada em prol da luta que terá de travar para pôr cobro às medidas antijuvenis do Governo PS. Mas, camaradas, para que esse esclarecimento fosse mais acentuado deviam-se encontrar formas para uma maior divulgação que merece o “Juventude".
As entrevistas, as reportagens dos grandes acontecimentos da vida da juventude trabalhadora são de um conteúdo bastante esclarecedor daquilo que deve ser a luta dos jovens por uma vida melhor. O 1.° Congresso da UJC, como marco histórico na vida da organização, foi mais uma amostra da importância que tem o “Juventude” em divulgar acontecimentos desse tipo.
A todos quantos contribuem para o “Juventude” aqui deixo as minhas maiores felicitações.

José Mendes
COIMBRA


Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo