segunda-feira, 31 de julho de 2017

1972-07-31 - Novaport Nº 01 - ANPP

EDITORIAL

A vida política portuguesa, enquadrada pelo aparelho repressivo do estado fascista, é em grande parte desconhecida tanto do povo português como da opinião pública mundial. A censura, o controle cerrado de todos os meios de informação pelos órgãos de opinião da burguesia dominante e a constante oposição à livre difusão de notícias são meios usados pelo regime caetanista para impedir o conhecimento das contradições em que se debate o sistema capitalista e as lutas revolucionárias do povo. Estas medidas opressivas fascistas visam isolar as lutas populares e são uma condição essencial à sobrevivência da ditadura da minoritária burguesia portuguesa.

Nestas condições, organizar um aparelho de informação constante e actualizada ao serviço do nosso povo e da opinião pública internacional é uma tarefa que reputamos de grande importância.
A Agência Noticiosa Popular de Portugal (NOVAPORT) vem cumprir essa tarefa. Por seu intermédio dar-se-á a conhecer aos trabalhadores, à imprensa e à rádio internacionais, aos jornais portugueses publicados no estrangeiro:
- as lutas políticas em geral, nas fábricas, nos campos, nas empresas, nos quartéis, nas escolas, nas Universidades, etc.;
- a situação económica: crises, actividade dos grandes monopólios, dos bancos, concentração de capitais, fusões de empresas, investimentos portugueses e estrangeiros, situação da agricultura, custo de vida, carência de produtos no mercado, desemprego;
- principais acontecimentos da vida política nacional e das relações com o estrangeiro;
- actividade militar relacionada ou não com as guerras coloniais; luta popular contra a guerra; movimento de entradas e situação nos hospitais militares;
- problemas da segurança no trabalho, a exploração do trabalho feminino e da juventude, agravamento das condições de vida; problemas da saúde pública, da assistência e da educação; crise da habitação, movimentos migratórios;
- informações sobre o aparelho repressivo: exército, polícia, pide, G.N.R., legião, censura, tribunais, etc;
- exploração colonial e dos emigrantes das colónias em Portugal, suas condições de vida;
- interesses económicos da Igreja em Portugal e sua acção ao lado do fascismo e do exército colonial;
- corrupção administrativa;
- situação nas prisões políticas;
- actividade cultural e dos órgãos de informação: vida literária e científica, cinema, rádio, televisão, imprensa, teatro, etc.
NOVAPORT inicia com este número a publicação do seu Boletim de Informação em três línguas: português, francês e inglês. Os nossos leitores e amigos poderão contribuir para o seu desenvolvimento endereçando a NOVAPORT informações do seu meio social ou profissional que considerem importantes.
Essas informações — que não necessitam ser redigidas, sendo suficiente a enumeração do local, datas, acontecimentos, personagens, organismos intervenientes, etc. — devem ser enviadas tão depressa quanto possível, mas só depois de bem confirmadas e quando se conhecerem os seus dados fundamentais, numa palavra, as informações enviadas devem ser seguras.
Os nossos amigos em Portugal deverão fazer uso da sua imaginação para que as informações possam chegar à NOVAPORT sem se exporem à repressão.


NOVAPORT

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo