terça-feira, 11 de julho de 2017

1972-07-11 - Comunicado nº 3 - PRP-BR

Comunicado nº 3

ACÇÕES DE SABOTAGEM CONTRA A GUERRA COLONIAL REALIZADAS PELAS BRIGADAS REVOLUCIONARIAS
15 CAMIÕES PESADOS BERLIET DESTRUÍDOS EM CABO RUIVO

Na madrugada do dia 11 de Julho, em Cabo Ruivo, as BRIGADAS REVOLUCIONARIAS realizaram, com êxito, mais uma acção armada: 15 camiões pesados BERLIET (franceses), que iam ser entregues ao exército fascista para servirem na guerra colonial, foram destruídos. O seu valor ascende a cerca de 15 mil contos.
Esta acção está na sequência das acções realizadas pelas BRIGADAS REVOLUCIONÁRIAS na madrugada do dia 1o de Maio, com a tentativa de corte da energia em parte do centro e em todo o sul do país e da acção do dia 11 de Junho, de recuperação de centenas de quilos de explosivos, na pedreira entre Loulé e Boliqueime, no Algarve.

A acção do 1°de Maio, que visava paralisar toda a actividade económica, para que os trabalhadores comemorassem o seu dia, embora tendo sido realizada com os maiores cuidados técnicos, não resultou, devido a uma alteração na potência do explosivo utilizado.
A recuperação do explosivo da pedreira do Algarve, visou superar esta situação, o que foi totalmente conseguido. O guarda da pedreira, ao contrário do que afirma a nota da PIDE, foi tratado com todo o respeito, o respeito que nos merecem os trabalhadores: ao mesmo tempo que lhe foi explicado o significado e importância política de uma tal acção.
Com esta primeira acção contra a guerra colonial, as BRIGADAS REVOLUCIONÁRIAS manifestam a sua profunda determinação de tudo fazerem para transformar a guerra colonialista dos fascistas e imperialistas, numa guerra revolucionária dos trabalhadores contra os seus opressores.
E na prática do combate contra o inimigo comum que se torna viva a solidariedade entre o povo português e os povos das colónias.
A acção armada das BRIGADAS REVOLUCIONÁRIAS é parte integrante da luta geral dos trabalhadores portugueses pela revolução socialista. Contrariamente ao que pretende fazer crer o Governo fascista de Marcelo Caetano através dos comunicados da PIDE, o processo da luta armada é irreversível em Portugal.
A única alternativa para a tomada do poder pelos trabalhadores e o triunfo da ditadura do proletariado é a luta armada e não qualquer outra via, como pretendem ilusões reformistas, através de manobras de cúpula desligadas das massas.
Caminhar firmemente para ligar num mesmo objectivo a acção armada e a luta de massas - eis a tarefa imperiosa que se põe a todos os revolucionários.

- LUTA CONTRA O CAPITALISMO E O SEU APARELHO DE ESTADO FASCISTA
- LUTA CONTRA O COLONIALISMO E O NEO-COLONIALISMO
- LUTA CONTRA O IMPERIALISMO

VIVA A LUTA REVOLUCIONÁRIA ARMADA!

11 de Julho de 1972                       

BRIGADAS REVOLUCIONARIAS

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo