terça-feira, 6 de junho de 2017

1977-06-06 - LEVANTEMO-NOS CONTRA A DESOCUPAÇÃO DA HERDADE do BORRAZ - PCTP/MRPP

PARTIDO COMUNISTA DOS TRABALHADORAS PORTUGUESES (PCTP/MRPP)

LEVANTEMO-NOS CONTRA A DESOCUPAÇÃO DA HERDADE do BORRAZ

AOS TRABALHADORES DA COOPERATIVA ESTRELA NEGRA:
A nessa cooperativa que nós, trabalhadores de Sousel, pusemos de pé com as nossas mãos e o nosso suor, vai ser de novo atacada pelos inimigos da reforma agrária.
Desta vez é a herdade do Borraz que os latifundiários parasitas pretendem roubar-nos.
O nosso Partido não quis deixar de alertar todos os trabalhadores para aquele facto.
Este ataque dos latifundiários contra a nossa cooperativa á lançado pela mão do Governo do dr. Soares e dos seus lacaios do Ministério da Agricultura, da GNR e do Centro Regional da Reforma Agrária de Portalegre.
Para lançar este ataque o Governo apoia-se na chamada lei da reforma, agrária feita em 1975, no 4º governo provisório de Vasco Gonçalves e assinada pelo P”S”, PPD e P”C”P. É  essa lei que estabelece o direito dos latifundiários receberem 50 mil pontos das terras que lhes foram expropriadas, argumento que é utilizado para entregar o Borraz.
Desta forma, os partidos P”S”, PPD e P"C"P são igualmente responsáveis pelo ataque que é agora desencadeado contra a nossa cooperativa.
O nosso Partido, o PCTP/MRPP, sempre atacou aquela lei da reforma agrária, como sendo contrária à verdadeira reforma, agrária que foi feita pelos trabalhadores rurais nas suas cooperativas.
O falso partido "comunista" de Barreirinhas Cunhal, para além de a ter aprovado no 4º Governo provisório, sempre defendeu aquela lei da reforma agrária e sempre disse que os trabalhadores deviam apoiar a lei.
Cá está agora bem claro o resultado da lei a mostrar o seu carácter reaccionário e a provar que era o nosso Partido que tinha razão.
Os trabalhadores para levarem para a frente a sua reforma agrária não podem confiar nas leis dos governos da burguesia.
Para lançarem este ataque à nossa cooperativa, a burguesia e os latifundiários enviam para Sousel, como fizeram das outras vezes, os seus lacaios da GNR com o objectivo de impedir que os trabalhadores corram a pontapé os latifundiários e delegados do Centro Regional da Reforma Agrária.
A GNR é uma polícia fascista, armada e preparada para reprimir o povo e para defender os latifundiários, os capitalistas e todos os exploradores do povo.
O nosso Partido sempre chamou o povo a não ter quaisquer ilusões sobre essas polícias (GNR, PSP, etc.) e sempre exigiu o seu desmantelamento total.
O falso partido "comunista” de Barreirinhas Cunhal fez tudo por tudo para defender essas polícias e chega a chamar-lhes democratas" e a dizer que "eles devem estar ao serviço do povo".
Mas como podem estar ao serviço do povo aqueles que sempre atacaram o povo e que vivem à custa do nosso trabalho?
Agora que a GNR volta a invadir os campos alentejanos e a reprimir os trabalhadores rurais está bem provado quem diz a verdade e quem diz a mentira.

CAMARADAS:
A tentativa de desocupação do Borraz e de entrega aos latifundiários é um passo do ataque que a burguesia pretende lançar para destruírem totalmente a reforma agrária que nós, trabalhadores, pusemos de pé.
O governo de Mário Soares prepara uma nova lei da reforma agrária, ainda pior do que a que existe.
É a fome, a miséria e o desemprego aquilo que eles pretendem abater sobre nós. Não podemos ficar de braços cruzados. Temos de perder as ilusões na política oportunista e traidora, dos partidos burgueses. Temos de tirar as lições dos erros cometidos. Temos de resistir às desocupações. Temos de reforçar a nossa cooperativa e prepararmo-nos para lutar pela defesa da reforma agrária camponesa, de forma a destruir até à raiz o regime latifundiário.

SÓ OS TRABALHADORES PODEM VENCER A CRISE!
ABANDONEMOS AS ILUSÕES E PREPAREMO-NOS PARA A LUTA!
RESISTÊNCIA ACTIVA AS DESOCUPAÇÕES!
CONTRA AS LEIS DA REFORMA AGRÁRIA DA BURGUESIA!
VIVA A REFORMA AGRÁRIA CAMPONESA!

Sousel, 6 de Junho de 1977
PARTIDO COMUNISTA DOS TRABALHADORES PORTUGUESES
(PCTP/MRPP)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo