quinta-feira, 8 de junho de 2017

1977-06-00 - BIDAE Nº 1 - Movimento Estudantil

BOLETIM INFORMATIVO DA DIRECÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA ESCOLA DO MAGISTÉRIO PRIMÁRIO DE GUIMARÃES

BIDAE
Boletim Nº 1 Ano 1

SUMÁRIO:
- EDITORIAL
- SOBRE O MOVIMENTO ESTUDANTIL; OUTRAS LUTAS (PROF. PRIMÁRIOS)
- RELATÓRIO DAS ACTIVIDADES DA ASSOCIAÇÃO
 realizadas
acampamento
jogo de voleibol
exposição De textos infantis ilustrados
projecçao de filmes

a realizar
campanha de sensibilização ao Teatro
jogos do magistério com organizações da zona
projecção de filmes


EDITORIAL
Com este boletim informativo (B.I.D.A.E.) é nosso objectivo fundamental fazer a ligação entre todo o movimento estudantil (ME) e movimento associativo (MA) e a nossa Associação, para além de todo, um conjunto de informações sobre o ensino em geral e outras, bem como relatórios das actividades da nossa Associação de Estudantes.
Pensamos que por as razões acima apontadas se justifica amplamente a saída regular deste boletim.

SOBRE O MOVIMENTO ESTUDANTIL
1 - GREVE NA ACADEMIA DE COIMBRA
O processo foi desencadeado em virtude da tentativa por parte do MEIC da reintegração de 5 professores saneados, à qual os estudantes responderam com a não comparência, em massa às aulas desses professores.
A reacção do MEIC foi a suspensão destas até o Conselho Directivo da Faculdade de Ciências e tecnologia da Universidade de Coimbra, repor a normalidade da vida académica de tal forma que possibilitassem o exercício das funções destes professores saneados passando por cima da Assembleia de representantes, que tinha contestado a posição do MEIC,
Seguiu-se uma R.C.A. e uma A.G.E. as quais convocaram um plenário de Academia (com 1.500 alunos), decidindo este apelar à greve geral.
Os estudantes da Academia de Coimbra reunidos em Assembleia Magna em 5 e 7 de Maio decidiram a continuação da greve geral na academia como forma de luta pela reabertura da Faculdade de Ciências e Tecnologia sem os saneados. Entre outras coisas discutidas como forma de ocupar os tempos ficou decidido continuar as tentativas de diálogo com os órgãos do poder, pois as primeiras não resultaram (até àquele momento só houve hipóteses de entregar uma exposição da situação ao Conselho da Revolução).
Em entrevista a “O Jornal" um membro da Direcção da Associação Académica de Coimbra afirmou: "Somos contra a reintegração dos professores de forma autoritária que o ministro pretende. Entendemos que a reintegração dos professores tem de ser feita pela Assembleia Geral da Escola. A posição de fundo que a própria Academia tem reafirmado em Assembleias Gerais é a de que os saneados só poderão voltar às escolas se isso passar pelas respectivas Assembleia Geral. Para nós é a única forma correcta e democrática de reintegração.

LUTA DOS ESTUDANTES DA FACULDADE DE PSICOLOGIA
Esta luta foi desencadeada pelo facto de o MEIC ter encerrado este curso e marcado testes de reavaliação nos dias 3, 4 e 5 de Maio. Os alunos contestam esta reavaliação na medida em que já estão nos 1º e 2º anos, já gastaram até este momento bastante, dinheiro e além do mais se queriam fazer provas de avaliação seria à entrada para o curso e não depois de lá estarem. Assim este processo caracterizou- se por grande combatividade como reuniões gerais, recurso ao Supremo Tribunal num processo contra o MEIC, encontro com o Dr. Cardia, conferências de imprensa, manifestações pelas ruas do Porto e conseguiram o apoio dos professores do curso que se recusavam a fazer os testes e das seguintes escolas: ISEP, Engenharia, ISCAP, Letras, Medicina, Magistério Primário do Porto e Biomédicas.
Depois da primeira tentativa do MEIC falhar em relação aos exames, este resolveu abrir novas inscrições agora no Governo Civil. Para fazer face a esta atitude, os estudantes de Psicologia resolveram em RGA:
- realizar uma conferência de imprensa.
- mobilizar toda a academia do Porto para o boicote aos testes.
- distribuição massiva de comunicados.
- pôr ao corrente da situação a Assembleia da Republica.
Depois destes acontecimentos (Coimbra e Psicologia) fizeram-se reuniões, como a RIA (reuniões inter-associações do Porto) que deliberou um dia de greve em toda a Academia do Porto. Mais tarde em 15 de Maio realizou-se um ENDA (encontro nacional de direcções associativas) que deliberou um dia de greve (em 17 de Maio) nacional como solidariedade pelas lutas estudantis vindas a travar.
Os alunos da faculdade de psicologia do Porto enviaram ao MEIC um caderno reivindicativo em que não aceitavam os testes de reavaliação, mas sim aulas de reciclagem. Estas reivindicações foram aceites pelo MEIC e as aulas reabriram naquela faculdade.
Entretanto realiza-se em Lisboa um ENDA (22 de Maio) decidindo-se que a Academia de Lisboa entraria em greve se até quarta-feira o MEIC não tivesse respondido aos seus pedidos: abertura da universidade de Coimbra sem os saneados - o que seria ratificado num próximo ENDA a domingo (29) onde tomariam novas medidas.
"Durante o Encontro Nacional Direcções Associativas do Ensino Superior realizado em Coimbra, ficou assente que "Haverá uma resposta enérgica à escala nacional caso o MEIC insista na reintegração de saneados na Universidade de Coimbra e exerça represálias disciplinares sobre professores de Lisboa que aderiram à greve a semana passada.
Aquelas direcções pretendem neste caso fazer aprovar em plenário das três Academias formas superiores de luta que impeçam a efectivação de tais medidas.
O documento aprovado pela maioria das vinte e duas direcções associativas com direito a voto que estiveram presentes, começa por reafirmar ao governo a exigência de reabertura de diálogo no sentido da resolução dos problemas estudantis em particular a reabertura, da Universidade DE Coimbra, sem os saneados, o fim das medidas repressivas e apuramento das responsabilidades pelos acontecimentos do Porto e a resolução de todos os problemas concretos já apresentados (caderno reivindicativo).
O ENDA apela ainda à unidade de todos os estudantes na adopção de formas de luta de solidariedade para com Coimbra e outras escolas em luta, responsabilizando o MEIC por todos os prejuízos causados ao funcionamento normal das escolas. Vincula também as associações de estudantes ao desenvolvimento de uma intensa campanha de esclarecimento sobre os actuais problemas universitários.
Foram ainda aprovadas quatro adendas àquele documento, através das quais se decidiu exigir uma entrevista com o primeiro-ministro através do executivo nacional; fazer participar o movimento estudantil na jornada de luta do movimento sindical (ao que parece no próximo dia 16); criar um boletim de luta nacional e organizar manifestações culturais para informações e esclarecimento."
in "O Comercio do Porto"
Entretanto o MEIC decide fazer um referendo a todos os estudantes de Coimbra no sentido da reabertura ou não da Universidade de Coimbra. Até 1 de Junho tinham respondido 4000 alunos sendo a Direcção da Associação Académica de Coimbra convidada a participar no escrutínio, o que esta rejeitou.

LUTA DOS ESTUDANTES DO ENSINO SECUNDÁRIO
O MEIC pretende, este ano, realizar exames a nível nacional, o que suscitou a inquietação e desacordo por parte dos alunos na medida em que as aulas, para além de terem começado mais tarde, nem todas começaram na mesma altura e existem ainda escolas que não têm professores a algumas disciplinas.
Devido a este desacordo entre o MEIC e os alunos, fizeram-se a nível nacional abaixos-assinados como prova de demonstração das suas (dos alunos) posições.
Consideram ainda que os exames, ao nível nacional não favorecem o bom andamento e ambiente escolar porque não respeitam as características específicas de cada escola e a sua dinâmica de trabalho.

OUTRAS LUTAS
"FRENTE AO MEIC PROFESSORES PRIMÁRIOS RECUSAM INSPECÇÃO CONFIDENCIAL"
"Os professores primários concentraram-se ontem diante do MEIC manifestando a sua oposição à inspecção com "classificação confidencial", exigindo o processamento e pagamentos dos vencimentos em atraso aos professores agregados que não foram colocados em tempo devido e, ainda, a retribuição das "diuturnidades, em atraso".
Sobre o ponto respeitante à inspecção pedagógica confidencial, que os professores primários denunciam como pidesca e totalmente arbitrária, abrindo as portas a toda a espécie de repressão e que pode levar à irradiação do professor sem que este saiba os motivos... O que os professores contestam nesta inspecção pedagógica é o seu carácter totalmente arbitrário. Com efeito o inspector pode surgir inesperadamente na escola proceder à inspecção, enviando em seguida uma classificação com ficha confidencial de zero a cinco. Ninguém mais, além do inspector, controla a inspecção pedagógica. O professor não tem qualquer instância a que se possa dirigir para reclamar ou pedir as motivações da sua classificação. No entanto se o inspector, dispondo de totais poderes, lhe atribuir una má nota o professor visado não verá esse ano lectivo considerado para efeitos de diuturnidade nem para a reforma e, se por três vezes for mal cotado, é irremediavelmente irradiado do ensino.

RELATÓRIO DAS ACTIVIDADES DA ASSOCIAÇÃO:
- Já realizadas;
ACAMPAMENTO
Como é do conhecimento de todos foi levado a cabo um acampamento no parque da Penha, promovido pela Direcção da A.E. nos dias 28 e 29 de Maio. Só temos a lamentar a falta de participação pois o acampamento correu da melhor forma. Destacamos como muito positivo o convívio que houve entre as pessoas desde a caminhada a pé da escola à Penha, aos passeios que lá se deram, jogos e convívios musica (cantar em conjunto é a melhor forma das pessoas se sentirem unidas).
Para além dos que estavam a acampar tivemos a participação de um professor e alguns colegas o que animou muito a nossa estada.
Todos gostamos tanto que só desejamos a realização de um outro acampamento desta vez com todos os nossos colegas.

JOGO DE VOLEIBOL
Efectuou-se no dia 28 de Maio, sábado, mais um jogo de voleibol desta vez entre a equipa do Liceu Nacional de Guimarães e a Escola do Magistério Primário. Com bastante assistência por parte do Liceu o jogo iniciou-se e seria vencedora a equipa que ganhasse o maior número de setes dos cinco que se disputavam. O primeiro sete foi ganho pela equipa do Liceu (que demonstrou um melhor conjunto) embora a equipa do Magistério tivesse estado a ganhar por 8-0; mas começou a desorientar-se e veio a perder um jogo que à partida parecia ser ganho facilmente
O segundo sete disputado com algumas alterações em ambas as equipas acabou por ser ganho com facilidade pelo Magistério. Todavia o mesmo não aconteceu no 3º e 4º setes em que as equipas se bateram de igual para igual acabando por vencer a equipa do liceu.
A equipa do Magistério nos dois últimos jogos manteve-se mais calma, fazendo o melhor possível em relação aos treinos que têm. Nota-se que há bons elementos, que não fazem uso de todas as suas potencialidades por faltarem aos treinos.

E EXPOSIÇÃO DE TEXTOS INFANTIS ILUSTRADOS
Temos nesta escola uma exposição de textos infantis ilustrados que nos foram enviados pelas escolas do concelho a partir de um tema livre.
Quem se dê ao trabalho e prazer de analizar atentamente alguns dos textos e desenhos, ficará maravilhado com a luz, cor exuberante da ilustração e a simplicidade criadora e atenta dos textos. Para além disso está ali um imenso e rico laboratório para um estudo psicológico, sociológico que se impõe numa escola do Magistério primário. Por isso daqui lançamos a ideia para os professores directamente ligados a estas investigações (psicologia, psico-pedagogia, sociologia, literatura infantil, linguística, educação visual) que se debrucem sobre aquelas obras e baseada nelas façam uma análise conjunta (professores e alunos) que, estames certos, será muito rica para todos.

PROJECÇÃO DE FILMES
Foram passados três filmes enviados pela embaixada austríaca e um sobre "Desporto na RDA": No primeiros a participação foi razoável o mesmo não acontecendo na segunda projecção, pois apenas umas duas dezenas de interessados apareceram e um facto é que gostaram e foram para casa mais ricos. A generalidade dos colegas manifesta-se mais interessada pela sua comodidade pessoal, que por um enriquecimento sócio-cultural (que é imprescindível o professor primário realizar a todo momento).
Uma pergunta se põe a todos os interessados: quem serão os nossos futuro professores primários? Pessoas ultrapassadas dentro de 5 anos? Sabemos que o ensino avança intransigentemente e quem não se esforçar por acompanhar e valorizar-se constantemente ficará desactualizado e não será nunca um professor (aquele que professa a verdade) como se impõe.

A REALIZAR
CAMPANHA DE SENSIBILIZAÇÃO AO TEATRO
Pretendemos levar a cabo nos meses de Junho e Julho uma campanha de sensibilização ao teatro. Planeámos fazer colóquios, trazer os grupos de teatro amador à escola, assim como alguns profissionais, caso lhes seja possível.

Achamos que esta é uma realização importante que deverá merecer a maior atenção e participação da parte de todos os colegas. Esperamos que a colaboração de todos em comparecer seja a justificação do imenso trabalho a que esta campanha nos obrigará.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo