domingo, 25 de junho de 2017

1977-06-00 - América Latina Nº 01 - CALPAL

PLATAFORMA DO COMITÉ DE APOIO ÀS LUTAS DOS POVOS DA AMÉRICA LATINA

I - PREÂMBULO
Os povos da América Latina vivem sob regimes ditatoriais fascistas. A democracia e a liberdade não existem. Os direitos do Homem são constantemente violados. Estes regimes ditatoriais desrespeitam as suas próprias leis, já suficientemente repressivas. A soberania nacional é sacrificada e a Pátria entregue à exploração de monopólios estrangeiros.
As ditaduras fascistas, que negam as mais sentidas aspirações de democracia dos povos latino-americanos, estão ao serviço de minorias retrógradas, antidemocráticas e antipatrióticas. Estas ditaduras mantêm-se no poder graças ao uso da força e ao apoio do imperialismo norte-americano, que intervém de maneira flagrante na América Latina.

Os povos latino-americanos não aceitam viver sob a opressão fascista. Não aceitam ver-se privados dos mais elementares direitos humanos. Não aceitam a dominação imposta pelo imperialismo norte-americano nem qualquer outro tipo de dominação imperialista.
Apesar das condições de repressão, os povos latino-americanos lutam pelos seus direitos, contra o fascismo, contra o imperialismo e pela liberdade, pela democracia, por uma verdadeira independência nacional.
A solidariedade internacional contribui, através da denúncia das torturas e assassinatos de patriotas e democratas e dos protestos contra as acções repressivas aos movimentos populares, para isolar internacionalmente as ditaduras fascistas, desmascarar a sua política e em muitos casos salvar a vida de vítimas da repressão.
O povo português, que durante 48 anos sentiu os efeitos do fascismo, sentiu também a solidariedade internacional para com a sua luta pela liberdade, compreende a importância de se solidarizar com os povos da América Latina em luta pelos seus direitos.
Os democratas portugueses, conscientes da necessidade de apoiar os que lutam pela liberdade e pela democracia, e de prestar assistência às vítimas da repressão, decidem constituir um Comité de Apoio às Lutas dos Povos da América Latina.

II - PRINCÍPIOS E OBJECTIVOS DO CALPAL
1. Informar o povo português sobre as lutas dos povos latino-americanos, assim como as diferentes formas de oposição interna aos regimes vigentes.
2. Informar o povo português sobre as condições de vida impostas aos povos da América Latina, assim como a divulgação das atrocidades contra eles cometidas.
3. Apoiar e solidarizar-se com todas as formas de luta dos povos da América Latina contra o fascismo e o imperialismo.
4. Criar condições para que o povo português se solidarize e apoie essas lutas.
5. Ajudar e prestar assistência às vítimas da repressão, utilizando todos os meios ao alcance do Comité.
6. Denunciar a cumplicidade do imperialismo norte-americano com os regimes vigentes.

III - PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO TRABALHO DO CALPAL
1. Solidariedade expressa aos povos da América Latina.
2. Esta solidariedade é desenvolvida por portugueses, que orientarão o desenvolvimento do trabalho do Comité.
3. Este trabalho deve ser o reflexo da luta desenvolvida internamente pelos povos da América Latina, o que pressupõe uma orientação a partir das lutas concretas aí travadas.

IV - MEIOS DE ACÇÃO DO CALPAL
1. Publicação de um boletim informativo.
2. Organização de grupos de trabalho.
3. Organização de conferências, exposições, debates, etc.
4. Publicação de documentos vários.
5. Organização ou participação em encontros sobre a América Latina.

6. Organização de campanhas de informação pública e de imprensa.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo