sexta-feira, 30 de junho de 2017

1972-06-30 - Enzima - FML - Movimento Estudantil

ENZIMA
boletim da pró-associação da FML
SUPLEMENTO INFORMATIVO 30/6/72

PELA REABERTURA INCONDICIONAL DA SUA ASSOCIAÇÃO OS ESTUDANTES DO TÉCNICO DECIDEM GREVE A EXAMES
Ontem em R.G.A. expressamente convocada para decidirem formas de luta a adoptar durante o período dos exames, cerca de 1500 estudantes do dando provas de ama UNIDADE, COMBATIVIDADE e FIRMEZA exemplares, decidiram por esmagadora maioria (1065 votos a favor, 78 contra e 65 abstenções) continuar a luta travada até aqui pela reabertura da Associação de Estudantes, decretando QUE AOS EXAMES.

O Governo tenta liquidar definitivamente os organismos democráticos dos estudantes (só este ano foram encerradas a Associação de Direito, a C.P.A. de Letras, a Livrelco, e mais recentemente da Associações do ISCSF e do IST). Nestes dois últimos casos houve simultaneamente invasão e brutais espancamentos pela polícia acompanhada, de cães e armada de metralhadoras (em Económicas nem sequer foram poupados os próprios professores).

UNIDADE E FIRMEZA NA LUTA!
O momento é decisivo para o M.A.! Com esta nova ofensiva repressiva pretende o governo tornar o Movimento Associativo mais fraco, preparar o terreno para lhe dar o golpe final. Os estudantes do Técnico e Económicas têm consciência disso! Sabem que a luta pela reabertura das suas Associações tem neste momento uma importância fulcral na reconquista das Associações fechadas, no reforço da UNIDADE dos estudantes de Lisboa e de todo o país na luta contra a repressão
A LUTA DOS ESTUDANTES DO TÉCNICO E ECONÓMICAS É A LUTA DE TODOS OS ESTUDANTES, DE TODO O MOVIMENTO ASSOCIATIVO
UNIDADE E FIRMEZA NA LUTA PELA REABERTURA INCONDICIONAL DAS AAEE DO IST E DO ISCEF!
A Direcção da CPA de Medicina

REVOGADA A DECISÃO DE DIA DE 24/4
Realizou-se na quarta-feira passada uma reunião Inter Associações. A Ordem de Trabalhos, além da revogação da decisão de expulsão dirigente de Medicina, compreendia o apoio à luta dos estudantes do Técnico e Económicas e à luta pela libertação dos estudantes presos.
Transcrevemos a seguir as propostas aprovadas:
SOBRE A RIA-FARSA DE 24/4
Considerando:
1. Que em RIA de 24/4/72 não se procedeu a uma prévia demonstração da acusação de "provocador" feita ao dirigente da CPA de MEDICINA J.M. JARA, nem sequer essa demonstração foi ate agora feita.
2. Que este estudante foi espancado violentamente à porta da sala onde decorria a RIA.
3. Que a RIA nestas condições além de expulsão ratificou com o seu silêncio tal espancamento
4. Que este procedimento atenta contra a democraticidade do M.A.
5. Que estes acontecimentos se deram precisamente quando o movimento mais precisava de encontrar a sua unidade, agravando mais a divisão reinante
6. Que as Reuniões Gerais de Alunos de Medicina, Técnico, Veterinária, Reunião Conjunta dos estudantes de Medicina da Lisboa, Porto o Coimbra, Comissão Associativa de Coimbra (Direcção Geral do M.A. em Coimbra neste momento), Junta dos delegados de Medicina de Coimbra, Direcção da CPA de Medicina do Porto, Direcções das AAEE de Económicas, Industrial, Letras, Medicina, Veterinária de Lisboa, se pronunciaram pela revogação das decisões da RIA que levou à expulsão do dirigente,
A RIA DECIDE:
1. Revogar a decisão tomada sobre a permanência em RIA do estudante em causa. (aprovado por unanimidade).
2. Que se anule a reunião de 24/4/72 a que se pretendeu chamar RIA (1 voto contra)
3. Que seja feito um comunicado federativo denunciando o que se passou e as implicações que poderão daí advir e que a repressão governamental pode utilizar (1 abst. e 1 voto contra)


* SOBRE A LUTA DOS ESTUDANTES DO TÉCNICO E ECONÓMICAS foi aprovada a elaboração dum comunicado federativo, e um outro de apoio à luta pela libertação dos estudantes presos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo