sábado, 10 de junho de 2017

1972-06-10 - COMUNICADO - CRSPP

COMUNICADO

Seguindo o apelo da Comissão Nacional, um grupo de pessoas do Porto e Braga esta a desenvolver nos respectivos distritos um trabalho de consolidação de Comissões Regionais de Socorro aos Presos Políticos. Em Braga, em Julho de 1971, culminando um trabalho realizado desde há cerca de meio ano, trabalho esse que consistiu num ampla recolha de assinaturas que abrangeu largas camadas da população (operários, funcionários públicos, professores, médicos, advogados, etc.), realizou-se uma reunião geral onde se decidiu a constituição da C.R.S.P.P. publicando depois o Comunicado nº 1, assinado pelos componentes da mesma, assim superando o impasse em que se estava a cair. No Porto, o processo foi semelhante, só que se começou a trabalhar em meados de Novembro, aproveitando os ensinamentos da experiência de Braga. Idênticos movimentos estão a processar-se nos distritos de Aveiro, Guarda-Castelo Branco, Coimbra e Viana do Castelo.

Qual o interesse destas Comissões Regionais de Socorro aos Presos Políticos?
Trabalhando em íntima ligação entre si e com a Comissão Nacional, permitem um alargamento ao País das informações relacionadas com os presos políticos. Neste momento em que a repressão se desencadeia sobre as camadas trabalhadoras, estudantes e intelectuais, as Comissões de Socorro são a única forma legal de apoio aos presos e suas famílias. A repressão não mostra indícios de se atenuar, pelo contrário, tem aumentado, como o provam os números publicados na circular da C.N. - 165 presos em 1970, 216 em 1971. Em 1972, embora não haja ainda estatísticas, podemos afirmar que cerca de uma centena de cidadãos portugueses foram já presos pela Pide/Dgs. Recorde-se a repressão desencadeada na altura da manifestação de 15 de Abril, no Porto, contra o aumento do custo de vida, e a recente vaga de prisões em Lisboa.
Principalmente nos distritos em que a informação e mais reduzida, ou mesmo nula, caso de alguns distritos do interior, as Comissões Regionais, além de propiciarem um meio de ultrapassar esse problema, permitem “congregar os portugueses responsáveis e conscientes para que se torne impossível a continuação de uma situação contrária ao direito, à moral, e até à Constituição vigente” (da declaração ao País da C.N.S.P.P., de 31/12/69).
Está ao alcance de todos os distritos aproveitarem as experiências de Braga e do Porto, e também de Aveiro, Castelo Branco, Guarda, Coimbra e Viana do Castelo, seguindo o seu exemplo. Conjugando esforços, mantendo contactos permanentes e uma troca de informações constantes prosseguindo com as reuniões conjuntas das Comissões Regionais, conseguir-se-á desenvolver mais rápida e eficazmente o trabalho nos distritos onde ele se encontra mais atrasado ou nem sequer existe.
As Comissões e Pró-Comissões Regionais de Socorro aos Presos Políticos apelam para todos os cidadãos no sentido de apoiarem activamente as Comissão existentes e de incentivarem a criação de novas Comissões onde elas não existam ainda.
Aprovado em reunião conjunta das Comissões Regionais.

Coimbra, 10 de Junho de 1972
A Pró-Comissão R.S.P.P. de Aveiro A Comissão R.S.P.P. de Braga
A Pró-Comissão R.S.P.P. de Castelo Branco-Guarda
A Pró-Comissão R.S.P.P. de Coimbra
A Comissão R.S.P.P. do Porto

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo