terça-feira, 16 de maio de 2017

1977-05-16 - O Jovem Nº 02- JC (ML)

o jovem
BOLETIM DAS JUVENTUDES COMUNISTAS {MARXISTAS-LENINISTAS)

CONTRA AS GREVES REACCIONÁRIAS, PELO FUNCIONAMENTO DAS ESCOLAS!
Agressões a estudantes democratas, proibição da propaganda comunista e democrática, sequestro de dirigentes estudantis durante um encontro associativo, eleições-burla para a Associação Académica, agressões a professores — tem sido a acção das ultra-reaccionárias «brigadas Brejnev» e seus lacaios da UDP para imporem o domínio social-fascista sobre a Universidade de Coimbra. A actual ofensiva social-fascista nas escolas visa impedir a concretização das medidas tardias tomadas pelo MEIC para repor a legalidade democrática — de que é exemplo a readmissão, em Coimbra, de professores injustamente saneados — e para melhorar a qualidade do ensino — de que são exemplo as medidas para elevar o nível do curso de psicologia, no Porto.
Os estudantes, em particular os de Coimbra e Porto, devem dizer não às greves reaccionárias e desestabilizadoras dos sociais-fascistas! Em Coimbra, devem dizer sim ao referendo do MEIC e exigir novas eleições para a Associação Académica. O MEIC não soube dar, até agora, o devido apoio aos estudantes e professores democratas e tem permitido que os terroristas actuem sem serem condenados pelos seus crimes. Se forem tomadas firmes medidas, não serão 500 terroristas que paralisarão uma Universidade contra a vontade de milhares de estudantes e professores.
ACTIVIDADES CULTURAIS E DESPORTIVAS DA JC(M-L)
Realizou-se nos dias 16 e 17 de Abril a anunciada excursão educativa à região da Serra da Estrela. Na manhã do dia 17, decorreu com êxito o Circuito Juvenil de Seia, corrida pedestre ganha por António Gomes e a sua equipa, o Sport União S. Martinho, que recebeu a Taça da Amizade. Na prova feminina venceu Jacinta Fernandes, do Grupo Desportivo da UEC(m-l) do Liceu D. Dinis, que ganhou por equipas.
Para comemorar o 1.° de Maio, a JC(m-l) organizou nos Olivais {Lisboa) várias corridas pedestres, sob o lema «amizade primeiro, competição depois». As três primeiras provas foram ganhas, respectivamente, por António Joaquim, Jorge Rena e Jacinta Fernandes. Na prova para rapazes com mais de 14 anos, participaram 9 equipas. David Santos foi o vencedor, percorrendo os 4 mil metros em 13 minutos e 18 segundos. A Taça 1.º de Maio foi ganha pela equipa do Palma, seguindo-se-lhe a equipa de Olivais B e o Grupo Desportivo da JC(m-l) do Vale Formoso.

DELEGAÇÃO DO PCP(M-L) NA REPÚBLICA POPULAR DA CHINA
Chefiada pelo camarada Heduíno Gomes Vilar), partiu para Beijing uma delegação do Comité Central do PCP(m-l), a convite do Comité Central do Partido Comunista da China. «Esta visita contribuirá para estreitar ainda mais os laços de amizade fraterna que unem o PCP(m-l) e o PCC e os povos de Portugal e da China», afirmou o Secretário-Geral do PCP(m-l).

NOVAS ADESÕES À JC(M-L) E A UEC(M-L) EM TODO O PAÍS
Desde 20 de Março até 8 de Maio, houve mais 67 adesões à JC(m-l) e à UEC(m-l). Só em Lisboa, no dia 1.º de Maio, aderiram 10 jovens às Juventudes Comunistas (marxistas-leninistas).
E tu, o que esperas para aderir?

AS TESES DOS «SUPER-REVOLUCIONÂRIOS» SÃO ANTILENINISTAS
Os «super-revolucionários» do «PCP(R)-UDP» papagueiam a tese de um pisca-pisca internacional segundo a qual ninguém se pode «apoiar sobre um imperialismo para combater o outro», é do Informe apresentado pelo camarada Vilar ao VII Congresso do PCP(m-l) o texto que a seguir reproduzimos, onde é desmascarado o carácter antileninista e trotskista dessa tese.
Analisemos o Que se passou no tempo de Stalin, que os «super-revolucionários» tanto dizem amar. Para derrotar o imperialismo alemão da época do nazismo, a União Soviética apoiou-se — no sentido de aliar-se ou contar com a existência de — no imperialismo inglês, americano e francês, da mesma maneira que estes imperialismos se apoiaram na União Soviética socialista para derrotar o imperialismo alemão. A União Soviética e os três países imperialistas aliados apoiaram-se mutuamente, pois a vitória de cada um era a vitória da causa comum. O apoio mútuo ia mais além do que um país em guerra com a Alemanha nazi contar com o facto do outro também combater a Alemanha e daí encontrarem-se unidos do mesmo lado da barricada. O apoio mútuo era também colaboração aberta que se concretizava quer a nível político quer a nível material e nada escandalizava os comunistas na época. Bem entendido, o apoio mútuo não significa dependência em relação ao apoiante. Um país oprimido, um povo oprimido ou o proletariado apoiar-se num imperialismo para combater o outro significa, num jogo de forças tri ou quadripartido, beneficiar da existência de um imperialismo que combate o inimigo principal, que o enfraquece, facilitando a vitória desse país oprimido, desse povo oprimido ou do proletariado sobre o imperialismo que constitui o inimigo principal. Apoiar-se num imperialismo para combater o outro não significa ficar como «protectorado» do primeiro, como pretendem demago­gicamente meter-nos complexos de direita os «super-revolucionários». Cada país oprimido, cada povo oprimido ou o proletariado podem perfeitamente e devem apoiar-se — no sentido de aliar-se ou contar com a existência de — num imperialismo ou em vários para combater o outro imperialismo que constitui o seu inimigo principal sem que isso implique a sua dependência política ou militar. É deste modo, aliás, que as coisas se passam na realidade, independentemente do falso pudor dos que pretendem não se apoiar no imperialismo americano para resistir e derrotar o social-imperialismo russo — se é que nisso estão interessados.

O QUE CUNHAL TENTA ESCONDER SOBRE A ARGENTINA
Na Argentina, o ditador fascista Videla é um homem do social-imperialismo russo. O partido social-fascista actua na legalidade. Comunistas, sindicalistas revolucionários, estudantes anti-imperialistas, patriotas peronistas são presos e assassinados. Calcula-se que existem 8 mil desaparecidos e 10 mil presos, na maioria já assassinados.
Solidariedade activa com o povo argentino! Liberdade para os milhares de presos políticos! Que apareçam com vida Gody Alvarez, René Salamanca e Angel Manfredi, dirigentes do Partido Comunista Revolucionário da Argentina!

O «SOCIALISMO» DA «UEC»: ALCOOLISMO E DELINQUÊNCIA JUVENIL
Na Polónia existem cerca de 30 mil jovens toxicómanos. Na Checoslováquia, o número de jovens judicialmente incriminados duplicou em dez anos e setenta jovens em cada cem estão viciados na droga. Na Rússia dos novos czares, segundo estatísticas oficiais, já em 1971,95 por cento dos alunos dos primeiros anos das escolas secundárias tomavam bebidas alcoólicas, enquanto no décimo grau do ensino secundário o alcoolismo atingia 95 por cento dos alunos e 90 por cento das alunas. É isto o que a «UEC» quer impingir como «socialismo»...

LANÇAMENTO DA COLECÇÃO ENSINO DAS EDIÇÕES SERVIR O POVO
A Colecção Ensino das Edições Servir o Povo luta por uma concepção materialista do mundo. Combate todas as deformações do marxismo levadas a cabo pelos sociais-fascistas e pelos idealistas envergonhados da social-democracia à PS, ao mesmo tempo que desmascaram os apologistas descarados da ciência burguesa, à maneira do PSD-PPD e do CDS. O primeiro número desta nova colecção tem por título Introdução à Psicologia Científica. Faz-nos o teu pedido.

EXAMES E ANO PROPEDÊUTICO
Ao determinar a realização de exames nacionais para todas as disciplinas do sétimo ano (provas iguais para todos os liceus), o Ministério da Educação parece não estar disposto, neste caso, a sancionar dois anos de bandalheira e sabotagem sociais-fascistas. Esta medida, bem como os exames de aptidão às universidades e a anunciada intenção de criar um ano propedêutico (que segundo o MEIC visa facilitar a integração pedagógica na universidade aos novos alunos, de um modo geral mal preparados), tem como objectivo melhorar a qualidade do ensino. A nós não nos preocupa, antes pelo contrário, que Cunhai passe nas pontes construídas pelos engenheiros formados nos últimos anos... O pior é que Portugal precisa dessas pontes.

JUVENTUDES COMUNISTAS (MARXISTAS-LENINISTAS) RUA EÇA DE QUEIROZ, 14 - LISBOA

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo