quinta-feira, 25 de maio de 2017

1972-05-25 - Comunicado n.° 1 - CNSPP

COMISSÃO REGIONAL DE SOCORROS AOS PRESOS POLÍTICOS
CONSTITUÍDA AO ABRIGO DO ARTIGO 199.º DO CÓDIGO CIVIL
PORTO

Comunicado n.° 1
25 de Maio de 1972

A — No dia 31 de Dezembro de 1969 constituiu-se, nos termos do art. 199 do Código Civil, a Comissão Nacional de Socorros aos Presos Políticos. Num seu comunicado ao país foi então declarado:
«A Comissão constituída pretende congregar os portugueses responsáveis e conscientes para que se tome impossível a continuação de uma situação contrária ao direito, à moral e até à Constituição vigente, pela qual tantos portugueses, e por simples delito de opinião ou por obediência a princípios que consideram superiores, têm sido ou estão sujeitos a serem:
     — Presas arbitrariamente sem possibilidades efectivas de defesa;
— tratados injustamente e desumanamente nos vários estabelecimentos prisionais dependentes dos Ministérios do Interior, da Justiça e do Ultramar, e também da jurisdição militar;
— submetidos a tribunais e legislações especiais em condições manifestamente contrárias aos preceitos constitucionais;
— sujeitos a prisão praticamente perpétua, através de arbitrárias medidas de segurança.
É para esta acção solidária que a Comissão Nacional faz apelo a todos os portugueses. Pela sua parte tudo fará para conseguir os objectivos que se propõe, reunindo e divulgando informações e estudos, apoiando os presos e suas famílias, representando ao Governo, intervindo junto das autoridades. Mas é necessário que os portugueses secundem, apoiem e multipliquem este trabalho, fazendo convergir para a Comissão elementos informativos e meios de auxílio, colaborando nas tarefas das comissões especializadas e constituindo núcleos regionais e locais de apoio.»
B — Considerando que estas palavras continuam hoje com igual ou maior acuidade, os abaixo-assinados, cidadãos maiores de vinte e um anos ou emancipados, no pleno gozo dos seus direitos civis, respondendo àquele apelo e aos ditames da sua consciência, declaram constituir-se em Comissão Regional de Socorro aos Presos Políticos' (Distrito do Porto), dispondo-se nomeadamente subscrever os seguintes pontos já enunciados pela Comissão Nacional ao Presidente do Conselho:
1 — Chamar a atenção do Governo e do País para os graves problemas ligados à situação dos presos políticos em Portugal, focando, com base em factos incontroversos, flagrantes e repetidas injustiças cometidas à sombra da legislação aplicável aos presos políticos.
2 — Proclamar a necessidade de se pôr cobro a essa situação dos indivíduos e a libertação dos presos políticos, fazendo apelo aos sentimentos de solidariedade e à responsabilidade de todos os cidadãos.
3 — Auxiliar por todas as formas legais os presos políticos e suas famílias, de modo a que sejam minorados, através de uma acção solidária, os sofrimentos morais e materiais causados por uma legislação injusta e agravada por um tratamento desumano.»
C — A Comissão Regional do Porto confia no apoio efectivo, material e moral, dos Homens e Mulheres do distrito para a realização das tarefas apontadas, e procurará essa ajuda, mas espera também a sua colaboração espontânea, o seu espírito de iniciativa para conseguir que o problema seja amplamente debatido na imprensa, com a participação dos familiares dos presos políticos, juristas, médicos, sacerdotes, antigos presos e de todo o público em geral, e ainda publicamente debatido, quer em colóquios, mesas-redondas, quer de outros modos.
No imediato, impor-se-á, pois, lutar sem desfalecimento por:
1 — Assistência jurídica de advogados livremente escolhidos pelos presos durante todos os interrogatórios destes, e durante a sua permanência na prisão;
2 — Libertação imediata de todos os presos políticos com metade da pena cumprida, o que a lei vigente, aliás, faculta, senão mesmo impõe;
3 — Abolição- de todas as «medidas de segurança» de índole política, inclusivamente as de tipo governamental ou administrativas;
4 — Amnistia total para todos os presos políticos.
Só da união de todas as vontades, de todas as acções, resultará a força necessária para resolver o grande problema nacional de todos os presos políticos.
Por isso mesmo nos constituímos em comissão, lado a lado com as demais existentes.

AS COMISSÕES DE SOCORRO AOS PRESOS POLÍTICOS, REIVINDICANDO A MAIS COMPLETA INDEPENDÊNCIA EM RELAÇÃO A QUALQUER GRUPOS OU TENDÊNCIAS DE CARÁCTER POLÍTICO, AFIRMAM-SE NUMA ESTRITA PERSPECTIVA DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS, ENTRE OS QUAIS SE CONTAM OS DIREITOS DOS PRESOS A SEREM TRATADOS EM CONFORMIDADE COM AS LEIS JUSTAS, NUM «ESTADO DE DIREITO» E NUM PAÍS QUE SE PRETENDE CIVILIZADO.
(Da Circular n° 1 da C.N.S.P.P., de 25/6/70).

Lista dos nomes das pessoas que aderiram à Comissão Regional de Socorro aos Presos Políticos, do Distrito do Porto, até 19 de Maio de 1972.

FELGUEIRAS
António José da Silva Pinto Guimarães — estagiário de medicina
Deodato Júlio Martins — estudante
Emílio José de Vasconcelos Pinto Ribeiro — estudante
Francisco da Silva Melo — comerciante
Maria Emília Andrade — estudante
Maria de Lurdes Moura Azevedo — estudante
Mário Jorge Lemos de Carvalho — estudante

GONDOMAR
Adriano Duarte Soares — metalúrgico
Alberto Teixeira de Sousa — matemático
Ana Maria Fernandes Duarte — médica
António Lobão Vital — arquitecto
António Nunes Martins — litografo
Armindo Mendo — empregado comercial
Artur J. Gomes da Silva — empregada de escritório
Avelino Martins da Fonseca — empregado dos Telefones
Carlos Manuel Silva Milho — médico
Elisa de Jesus da Silva — doméstica
Fernando Celso Ferreira — têxtil
José Pimenta — padeiro
Leónida Trigo de Miranda médica (a)
Manuel J. Macedo — empregado de escritório
Manuel Strecht Monteiro — médico
Sara Ferreira da Silva — empregada de escritório
Virgínia de Moura — engenheira

MAIA
António Brune — desenhador
António Mota — controlador industrial
Joaquim Manuel Almeida Martins — médico
José Eduardo Ferreira da Silva — barbeiro
Maria José Moura Dias de Oliveira — médica

MATOSINHOS
António Bessa Dias — estudante
António Jorge Mendes de Carvalho — empregado de armazém António Manuel Rodrigues Dias — estudante
Joaquim Ribeiro — empregado comercial
José Agostinho Salgadinho — delegado de propaganda médica Manuel Vasco Paiva — empregado de escritório
Maria José Ribeiro — profissional de seguros

PAÇOS DE FERREIRA
Aloísio Lobo — professor
Álvaro Neto — estudante
António Mesquita — estudante
Fernando Manuel Souto da Costa Vilela — estudante
Joaquim Ferreira Meireles — sacerdote
Maria do Carmo Mesquita — estudante
Maria José Ribeiro Gomes estudante

PORTO
Abílio Monteiro Almeida — estudante
Agostinho dos Reis Monteiro — professor estagiário
Alberto Carneiro — escultor
Alberto Eduardo Teixeira Lima — estudante
Alberto Jorge Jerónimo — estudante
Alberto Pereira de Morais — fabricante
Alberto Secca — estudante
Alberto da Silva B. — industrial
Alberto Soares Lopes — técnico têxtil
Alexandre Ferreira Barros — proprietário
Alexandre Jorge Almeida — profissional de seguros
Alfredo Fernando Vilela — tipógrafo
Álvaro Loureiro Esperança — estudante
Amândio Secca — engenheiro
Américo Correia — empregado de armazém
A. da Mota — Doméstica
Ana Maria Parente Figueiredo Mota — médica
António Antunes — médico
António Coelho — empregado de escritório
António Correia Freitas — profissional de seguros
António Henrique de Sá Magalhães — estudante
António Joaquim da Cruz Carvalho — impressor tipográfico
António José da Costa Carvalho — professor do ensino secundário
António José Sampaio Raposo — Profissional de seguros
António José dos Santos Araújo Moreira — jornalista
António Luís Rosmaninho — estudante
António Machado Álvaro — empregado de escritório
António Manuel de Oliveira Magalhães Mateus
António Manuel Pereira Castro — empregado de escritório
António Rodrigues da Silva — contabilista
António dos Santos Graça — médico
António dos Santos Ribeiro — jornalista
Arlete Jesus Pereira Martins — correspondente comercial
Armando Artur Teixeira da Silva — litografo
Armando Bacelar — advogado
Armando Gomes de Sá — engenheiro
Armando S. Esteves — estudante
Armando Secca — administrador de empresa
Arnaldo Mesquita — advogado
Artur Pimenta Alves — estudante
Artur da Silva M. — micrologista
Augusto Pereira D. — viajante
Aurélio Ferreira de Sousa — estudante
Belmiro Ferreira — reformado de seguros
Benilde Viana Passos — profissional de seguros
Berta Maria Sá Magalhães — professora do ensino secundário
Camilo Morais — médico
Carlos Barreira — escultor
Carlos Manuel Ramalho Silva — estudante
Carmen Carmo Brito
Cassiano Abreu e Lima — médico
Cassiano Almeida — estagiário de medicina
Celeste Jesus Pereira Martins — correspondente comercial
César Augusto de Santos Vieira — professor do ensino secundário
César Príncipe — jornalista
Constantino Costa — padeiro
Daniel Augusto Marques Dias — estudante
Dulcília Barros Couto — professora
Edgar Maciel Almeida Correia — engenheiro
Eduardo Falcão de Andrade — agente técnico de engenharia
Elisabete Reis Ferreira
Manuel Augusto Vidal Lima — estudante
Eugénio da Costa Oliveira — estudante
Felisbela da Glória dos Reis Teixeira — doméstica
Fernanda Cândida Tender Sampaio — médica
Fernanda Jorge Canossa — professora de ballet clássico
Fernando Augusto Soares Pestana — médico
Fernando Castro — professor
Fernando Filipe Rodrigues — estudante
Fernando Neves Pessoa — estudante
Fernando Nunes Ferreira — estudante
Francisco José Fernandes Horta — técnico de contas
Gilma Peixoto — preparadora de análises
Henrique José Carvalho de Sousa — empregado de escritório
Hernâni Silva — gerente comercial
Hildeberto Martins Secca — estudante
Isaura de Jesus Vieira — estudante
Jaime Aires Lopes — gerente comercial
João Augusto Sampaio Macedo Leal — médico
João França Rodrigues Alves — empregado de escritório
João Huet Viana Jorge — estudante
João Queirós da Mota — empregado bancário
João Raul Valdiviesso — comerciante
Joaquim Augusto Pina Moura — estudante
Joaquim Duarte Martins — professor
Joaquim José Rosas Firmino — empregado de armazém
Joaquim Nunes — técnico de contas
Joaquim Pinto Leite — vendedor
Jofre Amaral Nogueira — professor
Jorge Abílio Cabral Brandão — estudante
Jorge Alexandre Vasconcelos — médico
Jorge José da Mota — médico
Jorge Manuel Ribeiro Resende — estudante
Jorge Salgado — estudante
Jorge Sequeira — estudante
Jorge Teixeira de Sousa — estudante
José António Alves Barrias — médico psiquiatra
José António Fernandes — estudante
José António Gomes B. — professor
José António Teixeira — estudante
José Aranda Silva — farmacêutico
José Arnaldo Rodrigues Ferreira — Aspirante do Exército
José Eugénio Soares Moreira — viajante
José Luís de Castro Nogueira — comerciante
José Luís Jorge Soares Barbosa — empregado de escritório»
José Luís Nunes — advogado
José Manuel Antunes Gonçalves Soares — empregado de escritório
José Manuel D. Ferreira — gerente industrial
José Manuel Ferreira da Costa — estudante
José Manuel Rodrigues — empregado de escritório
José Manuel S. H. Castro Guimarães — escultor
José Manuel Sapage Monteiro — estudante
José Maria Baptista Sousa Rocha — serralheiro
José Maria Nunes de Azevedo — estudante
José Martins Marques — litografo
José Rui Fonseca Ferreira — estudante
José Salvador — barbeiro
José Soares — alfaiate
Júlio Henrique Ferreira Alexandre — estudante
Júlio Sereno Cabral — jornalista
Julita Leontina Madureira Almeida — médica
Justino Mário Pereira Maia de Miranda — engenheiro
Lino Gonçalves da Silva — agente técnico de engenharia
Luís de Castro Caseiro — advogado
Luís Gouveia de Oliveira — proprietário
Luís Jorge Oliveira Dias — estudante
Luís Pereira de Oliveira
Luís Ramalho — estudante
Luís da Silva Carvalho — delegado de propaganda médica
Luís Taborda — advogado
Manuel A. Lopes — contabilista
Manuel Augusto Ribeiro Peixoto — estudante
Manuel Correia Fernandes — arquitecto
Manuel Duarte — administrador de empresa
Manuel Faria de Almeida Marques — agente técnico de engenharia
Manuel Fernandes de Sá — arquitecto
Manuel Figueira Amaral Nogueira — estudante
Manuel Joaquim de Almeida Matos
Manuel Pinho Ferreira
Manuel Reinaldo de Sá Torrão — agente técnico de engenharia Manuel dos Santos Graça — estudante
Marcela Figueiredo Tomaz Torres — empregada de escritório
Maria Alexandra Babo — professora do ensino secundário
Maria Alina Peixoto — estagiário de analista
Maria Amélia Cabral Brandão — estudante
Maria Angelina Cruz Carvalho — modista
Maria do Céu Ferreira — professora do ensino secundário
Maria Clara Fernandes — professora do ensino secundário
Maria da Conceição Guedes — empregada de escritório
Maria da Conceição Sousa Dias — empregada de escritório
Maria Emília Lopes — praticante
Maria Eugênia Santiago — farmacêutica
Maria de Fátima Cerejeira Gonçalves de Castro — estudante
Maria de Fátima Matos Pereira da Costa — empregada de escritório
Maria de Fátima Santana de Campos Rodrigues — professora
Maria Fernanda C. Lopes — professora
Alaria Fernanda Loureiro — empregada de escritório
Maria da Graça Castelo Branco — médica
Maria Helena Guimarães Medina — estudante
Maria Helena Oliveira — correspondente
Maria Isabel Gomes Barca de Oliveira — professora
Maria de Jesus Costa dos Santos — preparadora de análises
Maria José Soares — estudante
Maria Lisete da Cunha Cardoso — médica
Maria Luísa da Costa Peixoto — escriturária dactilógrafa
Maria de Lurdes Botelho — empregada de escritório
Maria Manuela Lima Castro Azevedo — licenciada em letras
Maria Manuela de Medina e Moura — prof. do ensino secundária
Maria Margarida Damião — empregada de escritório
Maria Margarida Santos — estudante
Maria Matilde Cerejeira Nunes Bento — professora
Maria dos Prazeres Lomba — estudante
Maria Otília Vidal Leal — médica
Maria Teresa Moreira
Maria Virgínia Matos — correspondente comercial
Maria Zélia Pinto Linhares Funa — estudante
Miarianela Figueiredo Secca — gerente comercial
Mário Augusto Azevedo Ferreira Lopes — estudante
Nerina Maria Carvalho de Miranda — empregada de escritório
Nídia Maria Estelito de Macedo — professora do ensino secundário
Orlando Couto — farmacêutico
Orlando David B. Dias — empregado de escritório
Orlando Juncai — advogado
Papiniano Carlos — escritor
Pedro Lago — estudante
Raul de Castro — advogado
Raul Pereira Laguisão
Rosa Maria Moreira — estudante
Rui Adriano Dantas Ferreira — engenheiro
Rui Gonçalves Ribeiro — estudante
Rui da Sousa Louro — engenheiro
Sílvia António Queiroz Marques
Valdemar Ferreira — tintureiro
Ventura Tavares Rufino — estudante
Victor Óscar Magalhães Silva Passos — empregado de escritório Vilhena de Andrade — advogado
Virgínia Alves de Oliveira — empregada de escritório
Vladimiro Lenine Pereira Soares — empregado comercial

PÓVOA DE VARZIM
Abeilardo dos Santos Sobral — comerciante
Adriano Cerejeira Gonçalves de Castro — estudante
Ambrosina Augusta M. Ferreira — doméstica
António Carlos Gonçalves Lopes
António Fernandes S. — empregado de escritório
António Fernando C. Sá Couto — livreiro
António Francisco Pereira — professor
António Joaquim Machado Casanova — estudante
António Augusto Mota — estudante
Artur Henrique Gonçalves — estudante
Artur Pinto Basto Júnior — oficial do exército
Artur Rego Alves de Pinho — estudante
Benjamim Gonçalves — estudante
Carlos Alberto V. de Sousa Valle — engenheiro
Carlos Maria Mota — estudante
Deolinda Amélia Santos — doméstica
Domingos Martins Morim Lopes — estudante
Francisco Belmiro Fernandes Frasco — director técnico
Hernâni Joaquim Martins de Campos — estudante
João Martins Soares — funcionário da TAP Joaquim Porto Soares
Joaquim Teófilo Nunes Bento — comerciante
José Armando Lopes — empregado de escritório
José Armando Torcato da Costa — estudante
José Santos da Costa
Luís Adriano L. C. Calafate
Manuel Alves dos Santos — industrial de garagem
Manuel José Ferreira Lopes — funcionário de biblioteca
Margarida Valença — professora Primária
Mariazinha Martins — estudante
Maia Amélia Bento — estudante
Maria Clara de Lemos Cesariny Calafate — estudante
Maria de Fátima Brandão Marques — estudante
Maria de Fátima Campos — professora primária
Maria Fernanda Faria Fonseca — professora do ciclo preparatório
Maria Luísa de Lemos Calafate
Maria Matilde da Silva — doméstica
Rui V. Cesariny Calafate — arquitecto

VALONGO
Augusto Meireles dos Santos — candidato à advocacia Fernando António Vaz de Faria Sampaio — estudante

VILA DO CONDE
António Romeu Azevedo da Cunha Reis — estudante
Jorge Manuel Gomes da Silva Correia

VILA NOVA DE GAIA
António de Sousa Estêvão — viajante
Carlos Casaux Nunes — empregado de escritório
Ilídio Carracena — guarda-livros
Isabel de Castro — estudante
João Gonçalves de Pinho — proprietário
Jorge Manuel da Bessa Lage
Laura Barros Moreira Valente — doméstica
Lídia da Conceição Tente — estudante
Luís Alberto Espinha Rodrigues — estudante
Palmira de Sousa Fernandes
Sérgio dos Santos Valente — fotógrafo

NOTA: Muitos aderentes não figuram neste comunicado dado o atraso na entrega dos documentos de adesão, razão porque só no próximo comunicado serão incluídos. Continuam a circular os abaixo-assinados.
3000 ex. — 20-5-72

PRISÕES EFECTUADAS NO DIA 14 DE ABRIL DE 1972
David Rodrigues, casado, tecelão aposentado, residente no lugar da Mó, S. Pedro da Cova — Gondomar. Preso de madrugada, em casa. Solto no dia 15 às 20 horas.
Pedro Fernandes Martins Pereira, solteiro, estu­dante, residente na Rua Álvaro Castelões, 298 - Matosinhos. Solto no dia 15 à noite.
Ângelo Pinho Ferreira, casado, desenhador de máquinas, dirigente sindical, residente na Rua do Miradouro, 44. Preso de manhã, em casa. Solto no mesmo dia às 16 horas.
José Eduardo, barbeiro, residente na Areosa,
Porto. Solto no dia 15 à noite.
Alfredo Oliveira dos Santos, casado, metalúrgico, residente na Rua Dr. Cancelas, 165-C-4, Rio Tinto. Solto no dia 15 à noite.
José Augusto Monteiro dos Santos, casado pin­tor de construção civil, residente na Rua de S. Roque da Lameira, 620 C-3, Porto. Solto no dia 15 à noite.
Manuel Domingos, Caboverdiano, residente em S. João da Madeira, de 39 anos, preso no Largo da Maternidade.

PRISÕES NO DIA 15 DE ABRIL DE 1972
Carlos Alberto Simões Semedo, solteiro, estudante do 2° ano de Ciências, residente na Bonjoia, 268-2.°-Dto., Porto. Preso em casa no dia 15 de manhã e solto no dia 18 às 20 horas. Apreenderam-lhe mais de 70 livros.

Prisões numa manifestação, no dia 15 de Abril contra o aumento do custo de vida
Nelson Bertini da Silva Lopes e Maria Luísa Costa dos Santos Peixoto, casados, ele desenhador e ela funcionária pública, residente na Rua da Telheira, 440, Porto. Ele, preso e violentamente espancado; não teve visitas nos dias 16, 18, 21 e 23. Só teve recreio dois dias. Não deixaram entrar livros e jornais «porque não era estudante». Fizeram busca e apreenderam sete livros. Esteve sempre isolado. Solto no dia 2 de Maio, aguardando julgamento caucionado. Ela, solta no dia 18.
António Teixeira Mesquita, solteiro, profissional de seguros, residente na Rua de Francos, 285-2.°-Esq., Porto. Violentamente espancado na manifestação, internado para observações no Hospital de Santo António, recolheu a casa no dia 16. Preso no dia 27/4/72, solto em 2/5/72, aguarda julgamento caucionado.
Luís Manuel Guimarães Ferreira da Silva, de 16 anos, estudante do 6.° ano do Liceu D. Manuel II. Violentamente espancado na manifestação (vários ferimentos no couro cabeludo). Solto em 2 de Maio, aguarda julgamento caucionado.
Jorge Manuel Ferraz Coutinho, solteiro, de 17 anos, estudante do Liceu D. Manuel II, residente na Rua Vasco Valente, 168-r/c-Esq., Porto. Teve uma visita no dia 17 só por 15 minutos. Solto com termo de identidade, aguarda julgamento.
Mário Nunes Pires Cardoso Vaz, estudante do 7.° ano do Liceu Alexandre Herculano. Agredido na cara à chibatada depois de algemado. Solto no dia 2, aguarda julgamento caucionado.
Fernando Manuel Matos Neves Pessoa, solteiro, finalista de Engenharia, residente na Avenida da Boavista, 333, Porto. Violentamente espancado (hematomas que só cicatrizaram ao fim de 10 dias). Só teve recreio dois dias. Agredido durante os interrogatórios, esteve no isolamento durante 15 dias. Solto no dia 2/5/72, aguarda julgamento sob caução.
Domingos Olmeira Dias, operário da Ferreirinha; aluno da Escola Industrial de Espinho (curso nocturno). Isolado durante 3 dias e solto no dia 2/5. Aguarda julgamento caucionado.
Ângelo de Jesus Oliveira, estudante liceal. Aguarda julgamento com termo de identidade.

PRISÕES AINDA NA MANIFESTAÇÃO DO DIA 15
Mário Domingos Teixeira Vieira, Boletineiro dos CTT; aluno da Escola Industrial do Infante D. Henrique (curso nocturno).
Rui Alexandre Rafael, estudante de Lisboa, de 18 anos e ainda vários outros todos soltos e não identificados nem levados a tribunal.
A todos foi recusada a presença de advogado.
Foi ainda preso no dia 11 de Maio o estudante do 6.° ano do Liceu D. Manuel II. Clementino de Oliveira Mesquita. Recusou-se a prestar declarações sem a presença de advogado constituído e não lhe tendo sido facultado esse direito não prestou mesmo declarações. Solto no dia 13 de manhã, aguarda julgamento caucionado.

LIBERTADOS DEPOIS DA PENA CUMPRIDA
Mário Araújo, de 36 anos, casado, com dois filhos menores, de Fafe, preso em 31/3/64, condenado a 7 anos e 6 meses de Medidas de Segurança, libertado em 8/5/72.
José Carlos, de 52 anos, casado, com 4 filhos, operário corticeiro, natural de Santiago de Cacém, preso em 7/5/63, julgado a 31/3/66, condenado a 15 anos e 6 meses com Medidas de Segurança, saiu por sofrer de tuberculose em estado adiantado.

JULGAMENTO DO 1.° DE MAIO DE 1971
Começou no dia 11 do corrente no Tribunal Plenário do Porto o julgamento de António Joaquim, de Azevedo Ferreira Lopes, casado, Professor de Educação Física, residente em Coimbra.
Dr. José Cardoso, casado, empregado de escritório, residente na Rua Fernando Costa, 235-1.°, Porto. Candidato pela C.D.P. às últimas Eleições Legislativas.
Engenheiro Manuel José Magalhães Gomes Mota, casado, residente em Beata D. Mafalda, 21, Porto.
António Jorge Mendes de Carvalho, solteiro, encarregado de armazém, residente em Matosinhos.
Francisco Artur Tibúrcio Ribeiro, casado, estudante do 2.° ano de Engenharia, residente na Rua do Zaire, 85-l.°-Dto., Porto.
São todos acusados de no dia 1.° de Maio de 1971 terem participado na manifestação havida na Avenida dos Aliados. O julgamento continua todas as 5.as e 6.ª feiras.

ÚLTIMA HORA
Chegou-nos a notícia de que foram presas, em Lisboa, nos últimos 15 dias, várias dezenas de pessoas.

O PROBLEMA DOS PRESOS POLÍTICOS É UM PROBLEMA DE TODOS

PARA QUALQUER FORMA DE APOIO, COLABORAÇÃO, FORNECIMENTO DE INFORMAÇÕES, CONTACTAR. COM QUALQUER MEMBRO DA COMISSÃO.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo