quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

1972-02-00 - 1 - pelo reforço do movimento associativo - Movimento Estudantil

LUTEMOS UNIDOS POR UMA ASSOCIAÇÃO OS TODOS OS ESTUDANTES

1 - pelo reforço do movimento associativo
diversificação do trabalho – 2

A Universidade portuguesa, como instituição de um estado reaccionário, vértice de um sistema de ensino caduco, deformante e repressivo, reflexo de uma estrutura sócio-política e económica ao serviço de uma classe minoritária e exploradora, serve de instrumento de difusão da ideologia de uma classe que procura impor uma cultura reaccionária e anti-popular que em nada serve os anseios progressistas dos estudantes e do povo português.
As várias tentativas que o fascismo tem feito ao longo destes anos para impor a sua ideologia, nomeadamente através da criação de estruturas reaccionárias e anti-estudantis como a Mocidade Portuguesa, Secretariado para a Juventude, Procuradoria dos Estudantes Ultramarinos, etc., não têm tido a adesão desejada por parte dos estudantes. Estes souberam encontrar as suas formas organizativas a nível sindical - as Associações - onde através de princípios democráticos, vêm desenvolvendo uma acção em torno da defesa dos seus múltiplos interesses.
As Associações, pelo seu carácter democrático e progressista tornam-se alvo da repressão governamental que a todo o custo visa aniquilá-las.
Tendo os estudantes desenvolvido nos últimos anos uma luta constante contra a repressão feroz que sobre eles se abate, têm descurado as realizações de carácter cultural, social e pedagógico que pela sua natureza são mobilizadoras de amplas massas estudantis. Também algumas orientações sobre o modo (des) organizativo do M.A. e contra as realizações citadas, têm sido entraves fortes a estas realizações progressistas, factores importantes para o reforço do M.A..
É nesse sentido que encaramos como tarefa importante, realçada pelas actuais condições repressivas e pela necessidade de fortalecimento das A.A.E.E., todo o trabalho a realizar e consolidar, tendo em vista o reforço das estruturas associativas existentes, através de um trabalho regular, dinâmico e responsável.
Assegurando a realização de uma ampla actividade de carácter cultural (sessões de convívio, cinema, teatro, música, debates e colóquios), social (secção de farmácia, turismo universitário), desportivo e pedagógico, estamos conscientes que contribuiremos para o REFORÇO DO MOVIMENTO ESTUDANTIL PORTUGUÊS.

secção cultural
"Cultura e liberdade identificam-se. Sem cultura não pode haver liberdade, sem liberdade não pode haver cultura"
Bento Jesus Caraça

Tem esta secção procurado levar à prática realizações que, integrando os estudantes na Associação, possam ao mesmo tempo contribuir para um melhor esclarecimento e visão crítica da sociedade. Consideramos um importante passo as realizações já feitas, nomeadamente as sessões de teatro ("Os pequeno-burgueses" de Máximo Gorky, “Moscheta" pelos Bonecreiros) e de cinema ("Vida em Família", "Couraçado de Potemkin", "Alexandre Nevsky", etc.) que tiveram um carácter massivo.
Como perspectivas de trabalho a realizar por esta Secção, propomos:
- o incremento da actividade já mencionada, acompanhada da publicação de textos, debates e colóquios;
- a interligação com o Cine-Clube Universitário, virando este organismo decisivamente para as massas estudantis;
- a criação de um Grupo Cénico da Academia de Lisboa que supra as carências sentidas neste campo e assim preencha o vácuo criado pela dissolução, por parte do Governo, dos grupos teatrais verdadeira mente representativos;
- o incentivar de exposições de artes plásticas e fotografia, sessões de convívio e audições musicais que contribuam para a divulgação da cultura popular e de representantes progressistas da mesma;
- contactos com agremiações recreativas e grupos populares que contribuam para quebrar o isolamento estudantil.
- projecção de filmes de carácter científico acompanhados de colóquios e textos de esclarecimento. Para este trabalho parece-nos importante e essencial a participação das C.C. com a secção cultural.

secção sonora
Com um trabalho regular e responsabilizado, pretendemos que esta secção além do papel INFORMATIVO que lhe cabe (tomando-se eco da informação que o Governo a todo o custo tenta abafar e desmascarando as mentiras e falsidades que a propaganda e censura vigente condicionam) desenvolva a divulgação da música progressista e o aprofundamento da consciência crítica dos estudantes (sessões de música gravada, audições e convívios com agrupamentos de música de câmera, bandas populares, corais, etc.).

secção desportiva
Por dificuldades de vária ordem, nomeadamente deficiências financeiras e organizativas, não tem havido neste momento uma secção virada para o verdadeiro desporto, promovendo o espírito colectivo, em detrimento do de competição.
Em busca do aperfeiçoamento físico e intelectual e do equilíbrio psíquico, procuraremos incentivar a prática desportiva; como primeiro passo poderá praticar-se, na Sala de Alunos, o xadrez e o ping-pong, incentivando ulteriormente as relações com o CDUL. Procuraremos realizar ainda colóquios sobre o desporto e sua função social, integrados com as realizações desportivas.
É importante o apoio que neste sentido possam dar todos os estudantes interessados.

secção de turismo
Foi aberto um posto de venda da SIAEIST em Medicina aquando do último encerramento da AEIST. Uma apreciação das condições existentes na nossa escola para funcionamento de uma tal secção e a importância que atribuímos ao Turismo universitário como factor de aprofundamento e extensão de contactos e cooperação entre a juventude portuguesa e a juventude de todo o mundo, leva-nos a criar uma secção própria da escola. Esta funcionara em paralelo com as demais secções, dentro do mesmo espírito associativo e aportará para o lançamento de um turismo de massas no meio estudantil, em nada virado para a comercialização e sob controle dos estudantes. Em colaboração com a secção cultural programar-se-ão sessões de convívio e excursões, promovendo o contacto dos estudantes das várias escolas e as Academias entre si.
participação dos estudantes nesta secção, é condição de sobrevivência da mesma, tendo em vista a concorrência que lhe é movida pelo CITU, organismo para-governamental, criado para sufocar as organizações de turismo controladas pelos estudantes. O lançamento em breve de um inquérito no meio universitário, possibilitará a ligação dos estudantes à secção e a definição por parte destes de programas e realizações da Secção.

secção de propaganda
     Deverá esta Secção funcionar em estreito contacto com a Secção Cultural e Sonora, trabalhando também na divulgação da informação não falseada e não sujeita ao filtro dos grupos económicos que detêm o poder. Pelas suas características, deverá funcionar como base técnica de apoio para a saída de textos, publicações várias, comunicados de cursos e secções e saída de cartazes informativos vários.
A feitura de jornais murais de carácter informativo e cultural é função também importante como forma complementar do desenvolvimento da consciência crítica dos estudantes.
Pela responsabilidade que surge da publicação de material diverso nas instalações associativas, compete à Direcção velar para que sejam respeitados e salvaguardados os vários princípios do M.A., competindo ao elemento da Direcção ligado à Secção, o cumprimento deste objectivo e a interligação desta actividade ao trabalho geral da escola.

secção editorial
Por deficiências de vária ordem, nomeadamente as ocasionadas pela não concretização do programa da anterior Direcção no que respeita à Secção Editorial, consideramos que esta, apesar do seu funcionamento regular, está longe de suprir todas as necessidades existentes e ser uma secção virada decisivamente para os estudantes. A defesa dos interesses destes, em concreto, a saída regular e a tempo de sebentas actualizadas e bem elaboradas a preços acessíveis, só será possível com a participação activa das Comissões de Curso.
Competirá ao Conselho Fiscal a elaboração do relatório de contas da Secção, a apresentar aos estudantes.

secção de farmácia
Já a funcionar, prestará apoio a todos os estudantes, no fornecimento de medicamentos. É também objectivo desta secção a realização de um curso de primeiros socorros e outros que se venham a definir pelos colaboradores da Secção.

bar
Como importante foco aglomerador de estudantes, no sentido até de fornecer determinados produtos usuais, a preços módicos, funcionará na Sala de Alunos um Bar, regido em moldes democráticos e sob controle estudantil.

enzima
Como único boletim regular da escola, compete-lhe um importante papel mobilizador e unificador dos estudantes. Da responsabilidade da Direcção, fomentaremos, no entanto, uma maior participação por parte dos estudantes, não só para a elaboração de textos, como para a crítica dos mesmos. Incentivaremos ainda a sua saída regular.
As Secções e o trabalho associativo é aberto a todos os estudantes. No sentido de concretizar todos os objectivos apontados, apelamos para a participação de todos nos vários tipos de trabalho a realizar.
A amplitude e o valor deste dependerão do esforço que soubermos desenvolver conjuntamente.

dinamizemos o trabalho das secções!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo