quinta-feira, 20 de abril de 2017

1977-04-20 - Bandeira Vermelha Nº 066 - PCP(R)

EDITORIAL
ORGANIZAÇÃO
garantia da vitória

1. O grandioso comício realizado pelo nosso Partido no passado domingo foi um êxito completo em todos os domínios. Um êxito de profundo significado e de enorme projecção nacional e internacional.
A presença de onze delegações de Partidos e organizações irmãs e em particular a do heróico e combativo Partido do Trabalho da Albânia transformou o comício num importante acontecimento para o movimento comunista internacional. Estreitaram-se os laços internacionalistas entre os Partidos Comunistas, reforçou-se a sua unidade combativa e deu-se ao mundo a imagem real da força e vigor crescentes do marxismo-leninismo nos diferentes países. O Comício constituiu um poderoso incentivo às relações entre Partidos irmãos, um vigoroso passo para o reforço do movimento comunista internacional e um rude golpe no revisionismo contemporâneo e no oportunismo de toda a espécie.
O comício uniu todo o Partido, dirigentes, militantes e simpatizantes em torno das conclusões do II Congresso e do novo Comité Central eleito. Demonstrou os enormes êxitos alcançados nos primeiros quinze meses de vida do PCP(R), as grandes vitórias alcançadas com a revolucionarização e proletarização do Partido. Constituiu uma impressionante demonstração da força, da influência e do carácter classista do jovem PCP(R). Afirmou a superioridade absoluta dos métodos e do estilo leninistas na organização do trabalho e no trabalho de organização. Expressiva manifestação da firmeza e determinação dos comunistas portugueses na luta contra a reacção e o capital, o massivo comício do dia 17 de Abril foi também uma indiscutível festa de alegria e entusiasmo militantes, de confiança revolucionária no futuro livre e socialista de Portugal. Constituiu sem dúvida uma poderosa alavanca para a acção partidária entre as massas.
Finalmente, o nosso comício teve ainda importantes reflexos na cena política nacional. O seu elevado carácter internacionalista, a massiva afluência de cerca de quinze mil lutadores da Liberdade, afirmou o nosso Partido na vida nacional como uma importante e decisiva força política que nenhuma classe, nenhum partido podem deixar de ter em conta. Abriram-se novas e excelentes perspectivas ao alargamento do Partido e ao crescer da sua influência no seio da classe operária e das massas trabalhadoras. Melhoraram as condições para a conjugação de esforços entre as verdadeiras forças democráticas e anti-imperialistas, fora do alcance e contra a influência venenosa da, política revisionista. O PCP(R) afirmou-se mais uma vez e de forma indubitável, como força consequente da esquerda deste país, como verdadeiro Partido da classe operária sem o qual nada de significativo poderá ser feito para esmagar a reacção e assegurar um futuro de Liberdade e bem-estar para o nosso povo.
2. A grande realização de massas levada a cabo pelo nosso Partido foi uma expressiva vitória do movimento de revolucionarização e pro­letarização que alterou radicalmente as ideias e as práticas partidárias. Sem esse vigoroso movimento que abalou e desarticulou as heranças do grupismo pequeno-burguês no seio do PCP(R), jamais teria sido possível a impressionante manifestação de dia 17, o seu carácter massivo, a sua composição proletária, a sua rigorosa organização.
É por isso particularmente importante explicar a participação de mais de 15 000 pessoas no grande comício do Partido. Como entendê-la, numa altura de recuo das grandes realizações políticas, num momento em que a maioria das formações políticas não se atreve a convocar realizações para recintos tão amplos como o Campo Pequeno?
Não é possível explicar a magnífica manifestação do passado domingo pela exemplar e eficiente convocação realizada. Esta constituiu apenas um aspecto acessório, complementar dum trabalho de longos meses, persistente, diário e em profundidade junto da classe operária e das massas populares.
As grandes vitórias na mobilização são sempre resultado dum trabalho persistente de organização e esclarecimento. Actuando diariamente nas grandes empresas e nas herdades, nas aldeias e nas oficinas, lá onde se encontram os mais pobres e oprimidos, o Partido dá a conhecer as suas orientações, molda a sua própria fisionomia, ganha a confiança merecida, pelos actos, das largas massas trabalhadoras. É esse trabalho capilar, minucioso, em profundidade, que permite os grandes êxitos de mobilização. É através da organização que se tornam sólidos e duradouros os êxitos superficiais e temporários de agitação.
É no corte com o passado agitativista dos grupos pequeno-burgueses e no lançamento de todo o Partido na acção de massas diária em torno de uma táctica precisa, ampla e combativa, que se devem procurar as raízes profundas do grandioso êxito do passado domingo.
3. O que hoje é urgente fazer é transformar a grande vitória de mobilização do passado domingo em novas e maiores vitórias de organização, em novos avanços duradouros e consolidados.
Isto significa que todo o Partido se deve lançar de imediato na mais ampla divulgação do comício, no mais enérgico esforço para fazer conhecer a novos sectores o grande êxito do comício internacionalista.
Isto significa ainda que todos os colectivos partidários se precisam de lançar num audacioso programa de recrutamentos, principalmente junto daqueles homens e mulheres explorados que participaram no grande comício. Aqueles proletários avançados que actuam nas Comissões de Trabalhadores e sindicais, aqueles agricultores e rendeiros que estão ao lado dos comunistas nas comissões do MARN e nas Cooperativas, estão hoje em melhores condições para compreender que o seu lugar é no Partido Comunista Português (Reconstruído) — o único verdadeiro Partido da classe operária, o único verdadeiramente capaz de conduzir o povo ao esmagamento da recuperação capitalista e agrária, e de encaminhar o país para a Democracia Popular e o Socialismo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo