quarta-feira, 19 de abril de 2017

1977-04-19 - ORDEM DE TRABALHOS PARA A REUNIÃO DA DORL DE 3ª FEIRA DIA 19/4/77 - MES

ORDEM DE TRABALHOS PARA A REUNIÃO DA DORL DE 3ª FEIRA DIA 19/4/77

Pede-se a todos os camaradas para chegarem às 21h, em ponto como determina o regulamento. Caso alguns camaradas não possam chegar a horas terão que apresentar justificação do atraso.

O.T.
PONTO 1. AS COMEMORAÇÕES DO 25 DE ABRIL
INFORMAÇÕES- Desde já podem informar que não se realiza o comício dos ex-militares conforme estava previsto.
As realizações locais de carácter unitário em que estamos empenhados são até agora 4 e são em Algés, B. Fonsecas, Campo de Ourique e Cascais (não confirmado).
Das sessões partidárias promovidas pelo MES até agora só se confirmaram a de Moscavide e a da Amadora.
BALANÇO DO TRABALHO FEITO - Divisão de responsabilidades no trabalho a fazer e análise detalhada do programa de realizações e iniciativas até ao dia 25.
Chama-se a atenção dos camaradas da DORL que para além da propaganda que irá sair, deve-se desde já e sem perda de tempo começar a propagandear a festa de dia 24 que já vem anunciada na capa do Poder Popular.
PONTO 2. DISCUSSÃO DO PLANO DE TRABALHO APRESENTADO PELA DIRECÇÃO DA ACÇÃO LOCAL (ver texto em anexo)
A direcção da acção local (D.A.L.) é uma estrutura que tem dirigido na zona de Lisboa a frente de luta pela habitação.
Essa estrutura é composta por 3 camaradas ligados aos problemas da habitação (membros das brigadas do SAAL) e pelo camarada Albano.
Para além desta estrutura ainda existe uma direcção para a luta dos bairros da lata e que dirige a intervenção dos nossos camaradas na Inter Comissões de Moradores dos Bairros Pobres. Esta estrutura é composta pelos seguintes camaradas: Albano (DORL e Com. de Moradores das Fonsecas), Guida Guimarães (D.A.L.); João Vieira (Com. de Morad. da Associação 25 de Abril de Linda-a-Velha), e pelo camarada Francisco Correia (C.M. Falagueira).
A D.A.L. no documento que apresenta analisa as insuficiências do seu trabalho até agora e apresenta um plano de trabalho para as resolver.
Nota-se que esta direcção tem estado praticamente voltada para a acção num conjunto de bairros pobres e não tem coordenado a intervenção dos vários núcleos do Partido no campo de luta pela habitação.
Formou-se também há pouco tempo um grupo para orientar o trabalho cultural mas cujo trabalho é ainda incipiente.
A importância destas frentes de luta no nosso trabalho é imensa, basta disser que a acção de muitos núcleos se resume a essas actividades. Por isso é urgente a definição de um programa que oriente a acção dos nossos núcleos ao nível local, em que a luta pela habitação aparece em 1º plano, mas em que muitos outros problemas das populações exigem a nossa intervenção (Ex. saúde, ensino, creches, etc.).
É urgente também e principalmente na actual fase de luta política, definir e orientar a nossa acção ao nível do trabalho cultural, tanto na organização de instrumentos de que nos possamos servir (Exª filmes, músicos, exposições, material de alfabetização); como na definição de um programa que oriente a nossa intervenção nos centros culturais, nas escolas, fábricas e bairros (Ex: cooperativas, academias recreativas, colectividades de cultura e recreio, clubes desportivos, associações de moradores, grupos desportivos e culturais de empresa, etc.).
PONTO 3. MEDIDAS IMEDIATAS A SEREM TOMADAS PARA MELHORAR O FUNCIONAMENTO DA DORL (ver texto em anexo do camarada Beato)
Este ponto é para ser rápido e destina-se a tomarmos algumas medidas imediatas no sentido de impedir que passem em claro e sem soluços algumas deficiências da DORL.
O Executivo apresentará algumas propostas simples que têm por base as críticas feitas pelo camarada Beato ao modo de funcionar das reuniões da DORL.

PELO EXECUTIVO
Carla Matos

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo