sábado, 8 de abril de 2017

1977-04-00 - o 25 de Abril está vivo! - MES

o 25 de Abril está vivo!

UNIDOS DERRUBAMOS O FASCISMO EM ABRIL DE 1974

No próximo dia 25 comemora-se o terceiro aniversário da jornada histórica do 25 de Abril de 1974, quando os capitães do MFA lançaram a acção militar que, prontamente apoiada pelo povo português, iria derrubar o regime odioso que nos oprimiu durante quase meio século.
O significado histórico desta data é imenso:
Derrubado o governo de Tomás e Caetano, o povo português, os soldados e marinheiros, apoiados pelos oficiais progressistas do MFA, lançou-se na luta pela conquista de muitos dos seus mais profundos anseios.
    - o fim da guerra colonial e da exploração e opressão dos povos das colónias;
    - a expulsão dos fascistas dos Sindicatos e o direito à greve;
   - as liberdades políticas - a destruição da PIDE, da censura, a libertação dos presos políticos.
Foi o povo português, os soldados e marinheiros que fizeram do 25 de Abril a Jornada libertadora que ele constituiu.
Quando o povo saiu para a rua a exigir o fim da guerra e a independência para as colónias, quando os operários pararam as fábricas e exigiram melhores salários, quando os trabalhadores do campo lançam a Reforma Agrária, quando os moradores dos bairros pobres se organizaram para lutarem por casas decentes, o 25 de Abril começou a ganhar a sua verdadeira face, não apenas uma mudança de regime, mas sim um processo que mostrou a cada passo que só o povo organizado, tomando o seu destino nas suas próprias mãos, poderia construir uma nova sociedade. Foi a força do movimento popular que impôs o avanço da Reforma Agrária, as Nacionalizações, o Controle Operário, foi essa força que conseguiu lançar aqui e ali os alicerces do poder dos trabalhadores o PODER POPULAR.
NÃO ÀS COMEMORAÇÕES OFICIAIS; SIM AS COMEMORAÇÕES POPULARES
Hoje quando o patronato e os seus partidos (CDS e PPD), quando os servos dos patrões imperialistas, lançam grandes homenagens ao espírito do 25 de Abril, mas lutam cegamente para recuperar todos os seus privilégios, para recuperarem as fábricas que abandonaram e para voltar a impor ao povo a sua lei, temos de perceber que estes senhores nada têm a ver com o 25 de Abril, Ao mesmo tempo que são suspensos e julgados militares como Otelo, que estiveram à frente dos soldados de Abril e ao lado do Povo, temos de compreender que estas Forças
Armadas, já pouco têm a ver com aqueles que lá dentro, ajudaras a fazer o 25 de Abril.
Quando os partidos que dizem defender os trabalhadores (PS, PCP) mais não fazem que conciliar com os inimigos do povo temos de compreender que só nas nossas mãos está a defesa de tudo o que já conquistámos.
O MES denúncia as "comemorações" oficiais do 25 de Abril e todos os que com elas conciliam, já que com elas se pretende roubar ao 25 de Abril o seu significado popular e revolucionário.
O MES apoia activamente as comemorações populares e unitárias do 25 de Abril, convocadas para o Largo do Camões para dia 24 dê Abril, à noite.
UNIDOS TEREMOS DE ESTAR EM ABRIL DE 77 NA LUTA CONTRA A RECUPERAÇÃO CAPITALISTA E O IMPERIALISMO Se hoje três anos após o 25 de Abril, o nosso povo não viu profundamente alteradas as suas condições de vida, se centenas de milhares de famílias estão sem trabalho e sem pão, se o custo de vida aumenta e se torna incomportável para quem trabalha, se milhares de famílias ainda vivem em barracas a culpa não é do 25 de Abril nem das lutas dos trabalhadores.
Isto acontece porque cada vez mais quem manda no nosso país são os mesmos que já antes mandavam. São os imperialistas americanos e alemães a quem o governo empenha Portugal, são os grandes capitalistas que recuperam o seu poder e as empresas que abandonaram, são os pides e bombistas assassinos que são soltos e conspiram em segurança.
O caminho que o MES aponta é um caminho longo e difícil, é o caminho da resistência e da luta, o único que os revolucionários e os comunistas podem apontar às massas populares.
O nosso caminho é o caminho da unidade popular, unidade dos explorados que cresce e se reforça nos Sindicatos e, nas Cooperativas, nas Comissões de Trabalhadores, nas Associações de Moradores, unidade que é a mais importante barreira contra o avanço dos inimigos do povo, dos exploradores.
Unindo a classe operária e o povo trabalhador, desmascarando a política dos partidos burgueses e dos conciliadores, estaremos de novo no caminho que o 25 de Abril aponta: o caminho do Poder Popular, o caminho do Socialismo.
Façamos do 25 de Abril um dia de Festa e Luta. LIBERDADE PARA OTELO E PARA OS MILITARES DE ABRIL, PIDES, BOMBISTAS, FASCISTAS PARA A PRISÃO CONTRA O IMPERIALISMO, INDEPENDÊNCIA NACIONAL.

Direcção da Organização Regional de Lisboa do Movimento de Esquerda Socialista

Todos às Comemorações Populares do 25 de Abril
Largo do Camões, 24 de Abril, 21.00 H

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo