segunda-feira, 17 de abril de 2017

1972-04-17 - BRUTAL VAGA REPRESSIVA no centro, da cidade do PORTO - Movimento Estudantil

BIPE
Edição da secção de informação e propaganda de engenharia

BRUTAL VAGA REPRESSIVA no centro, da cidade do PORTO

Na tarde de sábado, dia 15, verificou-se na Praça da Liberdade um selvático ataque das forças repressivas, durante uma manifestação contra o aumento do custo de vida.
No centro da Praça indivíduos fardados e à paisana(*) obrigavam quem quer que fosse a sair do lá, intimidando as pessoas com pistolas e agredindo-as brutalmente. Ao mesmo tempo, as saídas estavam fechadas por cordões da PSP que, com bastões completavam de um modo feroz aquilo que os colegas de profissão tinham iniciado, obrigando grande número de pessoas, algumas em estado muito grave a receber tratamento hospitalar. A par disto foram presas cerca de 50 pessoas. Entre os presos figuram alguns estudantes. Até agora temos informações das seguintes prisões:
Luís Guimarães - aluno do liceu D. Manuel II, residente em S. Machede (foi hoje hospitalizado e depois levado para a PIDE)
Luís Lopes - aluno do liceu D. Manuel II, residente em S. Mamede
Mário Vaz - aluno do liceu Alexandre Herculano
Jorge Coutinho - aluno do liceu D. Manuel II
Fernando Pessoa - aluno da Faculdade de Engenharia
Nelson Bertini — desenhador
Luísa Peixoto - preparadora de análises
Domingos - operário da Eduardo & Ferreirinha.

Já na sexta-feira tinham sido presos, em casa as seguintes pessoas:
David Rodrigues - têxtil reformado
Ângelo Pinho Ferreira - metalúrgico, da direcção do sindicato; já foi solto
José Eduardo Barbeiro — da Areosa
Alfredo — metalúrgico; já foi solto
Pedro Pereira - estudante de Matosinhos; já solto
Augusto - delegado metalúrgico - Fábrica do cobre

e no sábado de manhã foi preso em casa Carlos Alberto Semedo, estudante da Faculdade de Ciências.
Como alguns destes presos são estudantes é necessário a solidariedade de todos os seus colegas no sentido de forçarem a pide-dgs a conceder visitas, areceitar comida, cigarros, etc., e a proceder à sua libertação.
Uma das formas de apoio a prestar desde já aos colegas presos é a comparência de todos os estudantes às 11 horas na REUNIÃO INFORMATIVA e na ida ao Director da Faculdade de Engenharia.
A Direcção da Associação de Engenharia procurará também contactar com outras autoridades escolares a fim de lhes solicitar a sua intervenção imediata junto das autoridades policiais no sentido de se informarem das condições em que estão os nossos colegas, interferindo em favor de todos os estudantes vítimas da repressão.
(*) - PSP, Legião, PIDE, cães polícias

A Direcção da Associação e Estudantes da FEUP
Porto, 17 do Abril de 1972

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo