quarta-feira, 12 de abril de 2017

1972-04-00 - ELEIÇÕES ATÉ SÁBADO - Movimento Estudantil

Texto de apoio nº 4
Lista B

ELEIÇÕES ATÉ SÁBADO

- informação –
Por uma Associação de Todos os Estudantes Liceais  
    
Tem vindo a lista A, que representa um grupo minoritário de colaboradores da Associação, e convocar Reuniões Gerais de Colaboradores sob o pretexto de que as eleições são anti-democráticas. Os colaboradores e estudantes presentes, justamente, têm defendido a impossibilidade de uma lista candidata, como pequeno grupo de estudantes sem representatividade, reconhecida pelos estudantes, de convocar uma R.G.C. mas apenas reuniões de discussão sobre as eleições. Foram por isso as duas R.G.Cs. transformadas em reuniões informais de colaboradores e de discussão das listas.
Mas a lista A, não desistiu de tentar sabotar as eleições. A Comissão Associativa de Gaia, convocou uma R.G.A. para o dia 6, quinta. A ordem de trabalhos aprovada era a seguinte;
1. Alteração do prazo das eleições.
2. Fixação dos locais das urnas.
3. Distribuição de programas e reuniões de discussão.
Que procurava a lista A?
1. Adiar as eleições (com as votações já há 3 dias) e dar a possibilidade de rectificar os votos aos estudantes que já tivessem votado.
2. proibir que se colocassem as urnas dentro dos liceus, (Alexandre e D. Manuel)
3. proibir reuniões de estudantes dentro do Alexandre e no D. Manuel.
Mostraram-se os estudantes liceais atentos a tais manobras, que procuram do desmobilizar os estudantes nas suas escolas, restringiam as votações, numa tentativa desesperada da lista A para vencer as eleições.
Algumas das razoes dadas pela lista A para alterar as eleições, eram ainda não ter tido tempo para tirar textos de apoio à sua lista e uma má distribuição dos seus programas. Esta foi denunciado na R.G.A., em que se viu que afinal, essa falta de tempo não impediu a lista A de tirar dois comunicados provocatórios sobre as eleições, e quanto à sua distribuição e das tarjetas de convocação das R.G.Gs apareceu a lista A à saída dos liceus (porque não teria feito o mesmo com os seus programas?).
Vendo a necessidade de uma maior discussão dos programas nalguns liceus e de um maior número de estudantes a votarem, 20 estudantes do Liceu D. Manuel II apresentaram una proposta de prolongamento das eleições por mais una semana, com a qual a lista B concordou. Alista A propôs o seu adiamento, foi derrotada.
No 2º ponto da ordem de trabalhos, começou a lista A por concordar que as urnas pudessem estar dentro do liceu Alexandre e do liceu D. Manuel e apresentou depois uma proposta em que só poderiam estar nos liceus onde houvesse colaboradores de ambas as listas (a lista A não tem colaboradores no liceu Alexandre e D. Manuel) e houvesse uma urna em Engenharia. A proposta da lista B era que as urnas fossem colocadas em todos os liceus, onde houvesse condições para as defender e que houvesse também uma urna em Engenharia para os outros liceus.
Um estudante do D. Manuel referiu que a lista A comportava-se como um grupo sem apoio dos estudantes e com medo das decisões destes, ao procurar que nos dois únicos liceus do Porto (Alexandre e D. Manuel) onde é possível defender uma urna, o que é una grande vitória dos estudantes destes liceus, não se pudesse colocar lá sob o pretexto de que a lista A não tinha colaboradores nesses liceus. A lista A demonstrou pois o seu isolamento perante a luta dos estudantes liceais; ela colocou-se ao lado dos reitores que através dos contínuos procuram proibir as votações dentro dos liceus e que têm sido recebidos no Alexandre por dezenas a dezenas de estudantes que defendem a sua urna com gritos de "fora" e apupos empurrões e vários objectos lançados pelo ar; no D. Manuel impediram que o Vaz roubasse a urna e levasse à reitoria um estudante dispondo-se como forma de protesto a ir com ele à reitoria em concentração.
A lista A desmascarou-se, mostrou de uma forma clara perante os estudantes o seu carácter reaccionário, tendo naturalmente a sua proposta sido derrotada por esmagadora maioria.
No terceiro ponto a posição da lista A era a mesma. A realização de reuniões amplas de estudantes dentro dos liceus (no Alexandre e no D. Manuel) eram unilaterais e como tal não se poderiam efectuar (variando os pretextos a lista A, tal como os reitores, procura proibir reuniões amplas de estudantes). A isso opôs a lista B que os colaboradores da lista A poderem ir a esses liceus, e que o facto de a lista
A não ter colaboradores nesses liceus não pode impedir uma maior informação aos estudantes, já que é dentro dos liceus que se consegue uma ampla discussão dos programas. A proposta da lista B foi aprovada por esmagadora maioria.
As eleições para todos os estudantes liceais saíram vitoriosas. As tentativas oportunistas da lista A, para procurar restringir o número de estudantes votantes e realizarem umas eleições anti-democráticas (à semelhança do que acontece no MATESL – movimento associativo dos estudantes do ensino secundário de Lisboa - em que só os colaboradores - escolhidos pela direcção - podem votar) foram desmascaradas e rejeitadas pelos estudantes liceais reunidos em Reunião Geral de Alunos.
CONTRA AS MANOBRAS OPORTUNISTAS DA LISTA A, UMA AMPLA PARTICIPAÇÃO NAS ELEIÇÕES POR UM REFORÇO DO MOVIMENTO ASSOCIATIVO LICEAL.
Todos à Faculdade de Engenharia (rua dos Bragas, junto a Cedofeita) até sábado todas as tardes.

A LISTA B “POR UMA ASSOCIAÇÃO DE TODOS OS ESTUDANTES”

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo