terça-feira, 21 de março de 2017

1977-03-21 - Juventude Revolucionária Nº 07 - I Serie - UJCR

EDITORIAL 
Libertar Rui Gomes, é lutar contra o fascismo

MANTER VIVO O 25 DE ABRIL
A juventude portuguesa viveu a jornada do 25 de Abril de 1974 com uma intensidade muito grande. Todos nós que percorremos as ruas em manifestações que participámos na "caça" popular aos pides, queríamos acabar, realmente, com o fascismo. Aqueles de nós que em Caxias e Peniche assistiram à libertação dos presos políticos antifascistas, não se esqueceram, decerto, da alegria incontível que se viveu quando começaram a sair os antifascistas presos. Todos se lembram que nesses históricos dias, milhares e milhares de gargantas gritaram, como uma só, o seu ódio à ditadura e o seu amor à liberdade. "Era a determinação dum povo" como houve alguém que disse.
Era realmente a determinação do povo e, continua a ser determinação popular não permitir que o fascismo regresse ao nosso país. É determinação do povo não permitir o avanço do fascismo em nome da "democracia política". É determinação do povo não permitir que se mantenha preso um lutador antifascista, um jovem que foi perseguido pela PIDE e expulso do ensino, no tempo do fascismo.
Rui Adelino Machado Gomes encontra-se preso, há mais de dezoito meses, sem culpa formada, no Forte de Caxias, que volta a cumprir a sua primeira função: encarcerar antifascistas, amantes da Liberdade e do Progresso.
RUI GOMES É UM PRESO POLITICO ANTI-FASCISTA
A longa prisão de Rui Gomes, ao mesmo tempo que os pides e os bombistas são libertados para continuaram a sua criminosa actividade terrorista, prova-nos pela evidência dos factos, que Rui Gomes não está preso por engano, mas sim: "que existe uma maquinação conscientemente planeada", conforme ele afirma no "Apelo” recentemente tornado público.
Rui Gomes está preso por se manifestar ao lado dos deficientes das Forças Armadas, na noite de 28 de Setembro de 1975 em S. Bento, Rui Gomes está preso por ser antifascista — é claro que os seus carcereiros não dizem as coisas como elas realmente são. Seria demasiado escandaloso! Assim inventaram a ridícula história do assalto a um quartel — a realidade é esta: a prisão de Rui Gomes é um ataque ao movimento popular, aos revolucionários e ao 25 de Abril. Ela significa, para-a direita, um contrapeso em relação aos pides e bombistas que ainda é obrigada a manter presos.
RUI GOMES É UMA BANDEIRA DE LUTA DE TODOS OS ANTIFASCISTAS
A firmeza demonstrada por Rui Gomes ao fim de dezoito meses de prisão, a sua coragem e determinação de continuar a luta contra o fascismo — mesmo encerrado numa cela — fazem de Rui Gomes uma bandeira de todos os jovens antifascistas, de todos os homens e mulheres que não querem que Portugal volte aos negros tempo do 24 de Abril.
Na luta da nossa juventude contra o fascismo, a libertação de Rui Gomes é a questão central para onde devem ser virados os esforços principais.
Com a formação da Comissão de Luta pela libertação de Rui Gomes cresceu consideravelmente a corrente de opinião pública que exige a sua liberdade, é importante que ela cresça e se alargue a cada vez maiores sectores da sociedade portuguesa.
A grande maioria dos estudantes do ensino secundário, de alguns anos atrás, reconhecia Rui Gomes como seu dirigente e apoiava firmemente as suas posições intransigentes de combate à ditadura. Todos esses estudantes, têm que vir engrossar as fileiras daqueles que querem acabar com a situação injusta de que é vítima Rui Gomes. Temos que tornar cada vez mais forte o grito de "Liberdade para Rui Gomes" e não parar de lutar enquanto ele não estiver ao nosso lado no combate à besta fascista.
LIBERTAR RUI GOMES É LUTAR CONTRA O FASCISMO!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo