terça-feira, 21 de março de 2017

1977-03-21 - COMUNICADO DE IMPRENSA - OCMLP

COMUNICADO DE IMPRENSA

A recente invasão da Republica do Zaire por parte de um exército mercenário saído de Angola não pode deixar indiferentes aqueles que em Portugal lutam pela independência Nacional dos povos, contra o imperialismo e o hegemonismo das duas superpotências.
A ofensiva expansionista do social-imperialismo soviético, em busca da hegemonismo mundial e procurando realizar o cerco à Europa Ocidental, tem vindo a avançar no continente africano e, em particular, na África Austral.
Utilizando as armas da manipulação e da divisão do alguns povos o países africanos o das suas organizações nacionais, os novos czares tornaram-se já nos novos senhores coloniais em Angola, através da utilização das tropas mercenárias cubanas o da agressão sanguinária contra o povo angolano, e procuram infiltrar-se noutros países a pretexto de "ajuda ao movimento do libertação".
Ao dirigirem uma agressão armada, com todas as características das invasões imperialistas tradicionais, contra a integridade territorial e a soberania nacional da República do Zaire, os social-imperialistas soviéticos, com os seus vassalos cubanos o fantoches angolanos à mistura, deram um novo passo cm frente na sua escalada expansionista e de preparação de uma nova guerra mundial imperialista.
Ao repetirem, passo a passo, a mesma manobra imperialista que há anos caracterizou a aventura secessionista de Tehombé, os novos czares não hesitaram em servir-se precisamente dos mesmos grupos mercenários e reaccionários que então colaboravam com a tropa colonial portuguesa contra o Povo angolano.
São ridículas as afirmações do governo de Luanda de que nada tem a ver com a agressão ao Zaire: um exército armado que investe pela fronteira sul daquele país não cai certamente do céu. O que sucede na realidade é que o social-imperialismo soviético procura alargar pela força a sua influência na África Austral, e para isso não hesita em organizar a invasão de um país que tem mostrado claramente a sua oposição às manobras do Kremlin, e em agredir um povo que não tem qualquer desejo de ser "libertado” pelas armas soviético-cubana como não hesita em continuar a armar e a sustentar as forças da repressão que tentam era vão, pelo terror e pelo massacre, suster a histórica luta que travam o povo Angolano e as suas organizações patrióticas contra a dominação soviética.
Nesta situação grave, quando ninguém — à excepção da Republica Popular da China — ousou ainda denunciar com clareza a nova manobra guerreira do Hitler dos nossos dias, é imprescindível que todos os verdadeiros patriotas o anti-imperialistas de Portugal (que tão bem conhecem as manobras de manipulação das forças pró-soviéticas) manifestam por todas as formas a sua solidariedade com o povo do Zaire e os povos africanos vítimas dos apetites expansionistas da camarilha de Brejnev.
Os comunistas da OCMLP, que juntam a sua luta à luta de todas as forças que compõem a Frente Unida Mundial contra as duas superpotências, alertam os patriotas e o povo de Portugal para a necessidade de uma ampla denuncia da agressão pró-social-imperialista ao Zaire, e para a condenação e combate por parte das forças progressistas - à expansão militar dos hogemonistas de Moscovoo.
VIVA A JUSTA LUTA DO POVO E DAS FORCAS ARMADAS DO ZAIRE CONTRA A AGRESSÃO ESTRANGEIRA E PELA SOBERANIA NACIONAL!
MORTE AO SOCIAL-IMPERIALISMO SOVIÉTICO E AOS SEUS LACAIOS!

O SECRETARIADO DA COMISSÃO POLÍTICA DO CC DA ORGANIZAÇÃO COMUNISTA MARXISTA LENINISTA PORTUGUESA - OCMLP.

21 de Marco de 1977

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo