domingo, 19 de março de 2017

1977-03-19 - PARA QUE O POVO POSSA VIVER, O CAPITALISMO TERÁ QUE MORRER! - PCTP/MRPP

PARTIDO COMUNISTA DOS TRABALHADORES PORTUGUESES – EMIGRAÇÃO

PARA QUE O POVO POSSA VIVER, O CAPITALISMO TERÁ QUE MORRER!

O Governo do Dr. Mário Soares tomou ultimamente toda uma série de medidas que devem merecer dos trabalhadores emigrantes o maior repúdio mas, também a maior atenção.
O sistema dos capitalistas afunda-se cada vez mais, numa crise geral que não teve igual desde a 2ª guerra mundial até esta data. A burguesia portuguesa tenta desesperadamente salvar o seu sistema corrupto, podre e de exploração e para isso tenta obrigar os trabalhadores a pagar o preço dessa política anti-operária e anti-popular.
A desvalorização do escudo em 15%, os aumentos verificados nos produtos de Ia necessidade para a sobrevivência do Povo, assim como os ataques às organizações dos trabalhadores, ao nosso Partido e ao nossa jornal "LUTA POPULAR", demonstra que o Governo actual obedecendo às ordens dos patrões estrangeiros imperialistas e social-imperialistas quer salvar o sistema capitalista da morte para onde a história inevitavelmente o lança.
Para os trabalhadores, para a classe operária e o Povo puderem viver, o capitalismo terá que morrer!
Para o Governo do Dr. Mário Soares, a maneira de salvar a economia da banca rota é: entregar o País a imperialistas e social-imperialistas, mendigar a entrada no Mercado Comum capitalista e reaccionário, desvalorizar a moeda, aumentar o custo de vida e congelar os salários, enfim lançar o Povo na miséria, no desemprego e na fome, enquanto enche mais os cofres já cheios dos capitalistas.
Os programas apresentados pelos partidos burgueses PS, P"C”P, PPD, CDS, U"DP", etc., são tudo soluções burguesas destinadas a enganar operários!
Contra essas políticas, o nosso Partido o PCTP/MRPP, aponta ao, Povo tra­balhador o único programa capaz de resolver a crise a favor do Povo. E também esse Programa para resolver a crise actual que os Emigrantes devem apoiar
PROGRAMA DA CLASSE OPERARIA E DO SEU PARTIDO PCTP/MRPP:
- Expropriação das terras dos latifundiários e grandes agrários e sua entrega aos assalariados rurais e aos camponeses pobres, sem "direito de reserva", nem indemnizações;
- Nacionalização de todos os monopólios estrangeiros (da TIMEX à AMINTER), bem assim a continuação das nacionalizações onde se revelem necessárias e ainda não tenham sido efectuadas;
- Confiscação da propriedade dos que sabotam a produção e boicotam a aplicação do plano;
- Inventário de todas as riquezas nacionais, a sua utilização planeada para servir os interesses dos trabalhadores na aplicação do princípio de que o Povo português deve basear-se nas suas próprias forças;
- Planificação e controlo de toda a produção pelos trabalhadores (operários, camponeses e técnicos);
- Planificação e controlo de todo o consumo pelos trabalhadores através das suas organizações populares;
- Criação de um Banco Nacional único e controlo do sistema bancário (reservas, depósitos e créditos) pelos órgãos que exprimam a vontade do povo trabalhador;
- Aplicação imediata da semana das 40 horas;
- Inventário da força de trabalho nacional, planeamento da sua aplicação e controlo pelos próprios trabalhadores; a instituição do sistema do trabalho obrigatório para todos;
- Aplicação de uma política que tome a agricultura como base e a indústria como factor dirigente:
- Fixação dos preços agrícolas compensadores e estáveis; controlo dos preços e eliminação da inflação;
- Auxilio aos pequenos camponeses, pequenos comerciantes e pequenos industriais, estimulando a entreajuda e a cooperação, bem como a salvaguarda dos bens dos médios empresários democratas e patriotas;
- Aplicação de medidas severas e exemplares contra os sabotadores, os açambarcadores, os especuladores e a corrupção.
NINGUÉM HÁ-DE CALAR A VOZ DA CLASSE OPERÁRIA!
Os Caetano e Spínolas, os Vascos Gonçalves, os Cunhal e os Soares, todos eles sonharam em conseguir um objectivo: tentar calar o "LUTA POPULAR", O JORNAL DA VERDADE E DA CLASSE OPERARIA E DO POVO.
Desta feita, o Governo do Dr. Soares, decidiu-se primeiro a suspender o "O Século" em cujas tipografias era feito o "LUTA POPULAR", tentando assim impedi- lo de sair diariamente, c “Luta Popular" foi assim obrigado a passar para as tipografias do "Jornal do Comércio" e, aqui mais uma vez, os capitalistas da administração deste jornal, sob pressão do Governo, tentaram também impedir o "LUTA POPULAR" de chegar ao Povo, exigindo condições de pagamento que não exigem a mais jornal nenhum desses que saem todos os dias para enganar os operários.
O "LUTA POPULAR" foi assim, obrigado a passar para as tipografias do "Diário de Coimbra" onde puseram condições difíceis de aceitar: 20 contos por dia a pagar sempre antes do Jornal sair, e somente 4 folhas.
As dificuldades que estas condições nos criaram, obrigaram o nosso Partido o PCTP/MRPP a passar o "LUTA POPULAR" a semanal enquanto o Partido se esforça por criar as condições para que o jornal passe a ser feito por nós mesmos, sem ter de depender de nenhuma tipografia burguesa.
No entanto, a vida de um jornal operário é sempre difícil numa sociedade capitalista. SOMENTE O APOIO DOS TRABALHADORES PUDERA FAZER VIVER O ÚNICO JORNAL QUE EM PORTUGAL APONTA AOS OPERÁRIOS O CAMINHO DA LIBERTAÇÃO, COMBATENDO SEM TRÉGUAS O SISTEMA CAPITALISTA A EXPLORAÇÃO E OPRESSÃO BURGUESAS!
-VIVA O "LUTA POPULAR" DIÁRIO!
-ERGAMO-NOS CONTRA A FOME, A MISÉRIA E O DESEMPREGO!
-VIVA OS TRABALHADORES EMIGRANTES!
-POR UM PORTUGAL DONDE NÃO PRECISEMOS DE EMIGRAR!
-VIVA O PCTP/MRPP!
-VIVA O POVO!

O COMITÉ DO PARTIDO COMUNISTA DOS TRABALHADORES PORTUGUESES - PCTP/MRPP para os EMIGRANTES
Paris, 19 de Março de 1977

IMP. SPC. VINCENNES

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo