terça-feira, 7 de março de 2017

1977-03-07 - DEFENDAMOS A DELEGA. ALEXANDRINO DE SOUSA CONTRA AS MANOBRAS SOCIAL-FASCISTAS! - PCTP/MRPP

DEFENDAMOS A DELEGA. ALEXANDRINO DE SOUSA CONTRA AS MANOBRAS SOCIAL-FASCISTAS!

AO POVO DA VENDA NOVA
Em 9 de Outubro de 1975, data do vil e covarde assassinato do nosso querido camarada Alexandrino de Sousa, e com o apoio e carinho do Povo do Bairro da Venda Nova, o nosso Partido levou a cabo a ocupação de uma casa abandonada, semi-arruinada, na Rua S. João de Deus nº 33.
Contra todos os exploradores e especuladores da construção civil, contra todos os parasitas burgueses que vivem à custa da miséria e da fome do povo e que dão pelo nome de senhorios, o nosso Partido sempre indicou ao povo que a única atitude revolucionária e a única palavra de ordem justa, nesta matéria, é que "as casas são do povo e o povo ocupa as casas".
Todos os partidos e governos da burguesia, desde o C"D"S ao P"C"P/U"D"P, sempre sonharam calar a única voz que não vende os seus princípios revolucionários aos princípios do dólar ou do rublo, e retirar do seio do povo os únicos que se encontram sempre nas primeiras fileiras da luta que ele trava pela sua libertação.
A delegação "Alexandrino de Sousa" é uma necessidade vital para a classe operária, para o povo e para a Revolução. Por isso, desde há muito tempo que os contra-revolucionários de todos os matizes, e o Povo do Bairro bem os conhece, têm o engulho de olharem aterrorizados uma cada vez mais íntima ligação às massas do povo por parte do nosso Partido, o que os leva a ensaiarem toda a espécie de manobras e conluios, com vista a obterem os seus vis intentos e afastar a nossa presença para melhor poderem atraiçoar o Povo.
É o partido social fascista o promotor do último ataque contra o nosso Partido, num conluio que abarca desde a comissão de moradores da Venda Nova, passando pela Câmara de Oeiras, até chegar ao Entroncamento onde mora um réptil repugnante e execrável social-fascista, o senhorio da nossa delegação, experimentado espoliador da classe operária e do povo, através da construção civil.
O nosso Partido nunca teve ilusões quanto a seres desta natureza, por isso, depois de ter deitado por terra todas as investidas dessa es­cumalha, levou a farsa até ao fim e desmascarou os intentos do senhorio nas suas próprias barbas, indo ao Entroncamento e atacando o touro pela frente.
O senhorio, o repelente verme António Matos Canhoto mostrou claramente as suas intenções não se dirigiam à obtenção de uma renda, e ultrapassam o "simples" desejo de um capitalista de querer valorizar a "sua" propriedade, construindo outro prédio. As intenções vão mais longe: visam atacar primordialmente o nosso Partido, visam servir os ditames dos seus amos social fascistas, os seus vizinhos social-fascistas (o centro de "trabalho" do partido social-fascista no Entroncamento é mesmo ao lado da sua casa).
Não será nenhum Canhoto social-fascista que conseguirá fazer andar para trás a roda da História.
O Povo e só o Povo pode dar a devida resposta a todos os ataques que a burguesia lança contra o Partido da classe operária. O Povo e só o Povo é o criador, é a força motriz da História, contra o qual todas as leis da burguesia estão votadas ao mais estrondoso fracasso.
O Povo vai erguer-se como um só homem e decerto irá defender a sua case de todos os seus inimigos e de todos os esbirros e polícias do capital.

ABANDONEMOS AS ILUSÕES E PREPAREMO-NOS PARA A LUTA!
MORTE AO FASCISMO E AO SOCIAL-FASCISMO!
AS CASAS SÃO DO POVO, O POVO OCUPA AS CASAS!
A LUTA É DURA MAS NOS NÃO VERGAMOS
VIVA O PCTP/MRPP!
VIVA O POVO!

7.3.77
COMITÉ LOCAL DA AMADORA

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo