quarta-feira, 15 de março de 2017

1977-03-00 - NEM UM SÓ DESPEDIMENTO! - PCTP/MRPP

Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP)

COMUNICADO N° 2
NEM UM SÓ DESPEDIMENTO!
POR UMA SOLUÇÃO A FAVOR DOS TRABALHADORES!

Camaradas:
Realizou-se na passada 3ª feira, dia 5 de Março, no dito Ministério do Trabalho a tão esperada reunião com os Sindicatos do nosso ramo e a Administração da nossa Empresa. Tal como o nosso Partido apontou, ela não resolveu nada visto que a resposta ficou adiada até ao dia 11 do mesmo mês, o que, também como a prática prova nada nos diz que no dia 11 algo se resolva, porque se algo se resolver por parte do Ministério será contra a classe, contra os trabalhadores da Marriott.
Como o último comunicado do nosso Partido diz, este chamado plano de reforma não passa de um relambório de contas viciadas; a comprovar isto está o processo levantado pelos nossos Sindicatos e pela Comissão Sindical da Empresa.
- Não é verdade que a Administração pagou a um director quando em férias com a família 28.905$90 de viagens?          
É claro que a Administração não pagou a nenhum trabalhador nenhuma viagem de férias. Isto só por si demonstra que relatório de contas apresentado são de facto contas viciadas.
- Não é verdade também que a Administração pagou de mudanças de directores e de viagens de outros estrangeiros no ano de 76 mais de 750 contos?
- Também não é verdade que a Administração transferiu para a América mais de 1.200 contos a pretexto de publicidade no ano de 76?
- Não é verdade que a Administração paga mais de 97 mil escudos por mês de ordenados acima das tabelas do contrato colectiva de trabalho dando esta soma ao fim do ano a linda quantia de mais de 1.300 contos e que este dinheiro se situa principalmente nos vencimentos da própria Administração?
Camaradas, não são estes exemplos a prova real de como são uma farsa os números apresentados no programa da Administração e que, como é claro, a actual chamada crise da Empresa é só e unicamente da culpa da Administração que mais não quer que sugar o produto do nosso trabalho?
E já agora, pergunta-se, porque é que o senhor Director chamou bêbados a representantes de duas companhias, S.A.S. e S.A.A., nossas clientes na altura?
Não será isto a demonstração de um completo desprezo pelos seus clientes? Ou será desta forma que o Sr. Director quer fazer da MARRIOT PORTUGAL uma grande empresa?
Camaradas, em 1976 a Administração teve ao serviço da Empresa 81 trabalhadores com contrato de trabalho eventual. Este número divide-se por todos os meses do ano e só no mês de Agosto o número destes trabalhadores foi de cerca de 30, o que demonstra (e segundo as previsões turísticas para este ano) que a Empresa terá que ter muito mais trabalhadores nesta situação mesmo sem despedir os 46 trabalhadores.
Isto prova que a intenção da Administração, tal coro já apontava o nosso anterior comunicado, é a de despedir os 46 trabalhadores para contratar trabalhadores eventuais.
No último relatório apresentado à Secretaria de Estado do "Emprego" a Administração faz mais uma série de provocações aos trabalhadores, que já se vão tornando habituais, de entre as quais se destaca a chantagem que faz dizendo que se não forem despedidos os 46 trabalhadores fecharia a Empresa. É evidente que esta provocação se destina a uma tentativa de aliciar os trabalhadores que não estão na lista dos despedimentos no intuito de os amedrontar e de fazer com que eles não se disponham a lutar contra o despedimento dos nossos 46 camaradas. Dizemos desde já à administração que os trabalhadores não vergam, nem que para isso a Administração recorra à arruaça, à provocação e à chantagem.
Dizemos também que estamos dispostos a lutar contra o despedimento e que não somos ingénuos quanto a um pequeníssimo número de indivíduos que a Administração maneja. Que fiquem esses indivíduos cientes de que a seu tempo serão devidamente desmascarados! Se isso ainda não foi feito é porque queremos distinguir dois tipos de pessoas; os que estão de facto do lado da Administração e aqueles que ainda têm ilusões. Quanto aos primeiros, temo-los perfeitamente em conta; quanto aos que têm ilusões havemos de saber, chamá-los à realidade e à razão.
É neste quadro que se desenrola a nossa luta, que é uma luta prolongada e duríssima. Devemos saber manter e reforçar a nossa unidade com vista a conseguirmos uma vitória sobre toda essa cambada de exploradores e lacaios.
A hipótese posta por alguns indivíduos de que é melhor que sejam despedidos os 46 trabalhadores do que todos é uma posição que só serve a Administração e não os trabalhadores. Tal como este comunicado tem vindo a demonstrar, não se trata nem de fechar a Empresa nem de serem os 46 trabalhadores despedidos; trata-se antes de lutar pelos nossos postos de trabalho e apontar para uma solução que já foi apontada, pelos delegados sindicais, como seja o alargamento por parte da Empresa, dos serviços da cantinas e planear e dirigir devidamente toda a economia e vida da Empresa com vista a eliminar principalmente as horas extraordinárias,
É isto que os trabalhadores se devem preparar para fazer, rejeitando este tipo de prestação de trabalho.
É também uma falsidade a justificação dada pela Administração de que as horas extras são feitas por causa dos atrasos dos aviões. A prática mostra que mais de 80% das horas extras são feitas com um aviso de 24 horas, o que quer dizer que se trata de falta do devido planeamento da vida da Empresa: e não dos atrasos dos aviões os quais não são mais do que 20% dessas Horas.
NÃO AOS DESPEDIMENTOS!
CONTRA A FOME, A MISÉRIA E O DESEMPREGO!
VIVA A CLASSE OPERÁRIA!
VIVA O POVO!
VIVA O PARTIDO COMUNISTA DOS TRABALHADORES PORTUGUESES!

NÚCLEO DE SIMPATIZANTES DO PCTP/MRPP NA MARRIOTT

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo