terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

1977-02-14 - O GOVERNO QUE TEMOS… E A DIRECÇÃO DO SINDICATO QUE É O NOSSO… - Sindicatos

O GOVERNO QUE TEMOS…     
E A DIRECÇÃO DO SINDICATO QUE É O NOSSO…

"O GOVERNO QUE TEMOS....
Na sequência dum Decreto-Lei forjado pelo Governo nas costas dos trabalhadores, aparece um Comunicado do Conselho de Ministros que denota uma posição inconstitucional conservadora, muito próxima de outras que os professores e todos os trabalhadores portugueses ainda não esqueceram por tarem conhecido ao longo de 48 anos...
Após uma reunião com os Sindicatos da Função Publica surge um novo Comunicado do Governo onde, transparece já uma atitude de cedência, de promessas de revisão do Decreto, promessas e atitudes que não podem ainda satisfazer aqueles que legitimamente já não confiam em promessas de um Governo que está contra os trabalhadores.
E A DIRECÇÃO DO SINDICATO QUE É O NOSSO…
Mostrando mais uma vez um seguidismo em relação ao Governo - seguidismo que dificilmente consegue ocultar - a Direcção do Sindicato não tomou qualquer posição em relação ao inqualificável Comunicado do Conselho de Ministros.
Não tendo esclarecido a classe sobre o processo de luta dos trabalhadores da Função Publica - luta que consideramos legitima,
processos que não aceitamos - 
põe-nos hoje a Direcção perante o dilema de optar. Fá-lo em véspera da anunciada greve, fá-lo sem qualquer preparação anterior.
Consideramos que esta greve – que se justificariam pelas razões que a motivam - não tem viabilidade pela forma como foi preparada.
Dizemos não a uma greve imposta aos demais trabalhadores pelas cúpulas da C.G.T.P.; dizemos não a uma greve fracassada ao nascer.
Mas dizemos sim à luta dos trabalhadores.
Dizemos sim à luta dos professores contra uma Direcção que deu mais uma prova da sua inoperância.
Uma Direcção que não resolve os problemas prementes da classe - como o problema das fases e diuturnidades.
Uma Direcção cuja ineficácia é tanta que já nem a si mesmo se mobiliza;
Uma Direcção que perdeu a confiança do Classe precisa da nossa atenção e vigilância sindical!
NÃO À GREVE NESTAS CIRCUNSTANCIAS!
NÃO À INOPERÂNCIA DESTA DIRECÇÃO!
NÃO À ACTUAÇÃO DESTE GOVERNO QUE SE PÕE CADA VEZ MAIS CONTRA OS TRABALHADORES DESTE PAÍS!

Um Grupo de Professores Sociais-Democratas
Porto, 14 de Fevereiro de 1977

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo