quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

1977-02-09 - direito contra a direita - GDUP

direito contra a direita
JORNAL DO GDUP DA FAC. DIREITO
nº 3 fev. 77

UNIR OS ESTUDANTES NA ESCOLA
UNIR OS ESTUDANTES AO POVO

•PELA AMPLA PARTICIPAÇÃO ESTUDANTIL NA VIDA ASSOCIATIVA!
• PELO ERGUER DE UM FORTE M.A. ANTI-FASCISTA!
•PELO FUNCIONAMENTO DEMOCRÁTICO E PROGRESSISTA DA ESCOLA!
PROGRAMA LISTA E
LISTA CANDIDATA ÀS ELEIÇÕES PARA A DIRECÇÃO DA A.A.F.D.L.

ELEIÇÕES PARA A DIRECÇÃO DA ASSOCIAÇÃO
DIAS 9 e 10
OITO LISTAS... DUAS ALTERNATIVAS!
A Faculdade entrou em período de grande efervescência eleitoral — rapidamente a corrida aos cartazes substituiu todo o trabalho em defesa dos interesses da escola, por parte de quantos, demagogos e oportunistas, os diziam defender, e cada qual procura o local mais alto onde colocar o rol de promessas (Mid/cds), ou as formas mais originais de chatear os estudantes, caso da uec que deve pensar que a escola é algum arraial de feira, a avaliar pelas fitinhas carnava­lescas penduradas no tecto, isto é, de facto, esclarecedor para os estudantes e provar-lhes o verdadeiro carácter eleitoralista de todos esses demagogos, que vendem promessas para ganhar lugares onde atraiçoam, afinal, os interesses dos estudantes.
Pelo contrário, o GDUP pode olhar os estudantes de frente, pode tem seguido com coerência a sua linha política, de não abandonar as reivindicações dos estudantes e os problemas da escola, apoiando o trabalho nos cursos — são a prova disso, os resultados do plenário do 2º ano-dia, onde se aprovou o método de avaliação contínua de conhecimentos, e a reunião da turma B do 4º ano-dia, onde os estudantes aprovaram, por maioria, uma moção de confiança aos profs. Fagundes e Celeste Pato, pelas provas de competência já dadas, e ameaçados agora pelas medidas da C. de Reestruturação e do MEIC.
Por outro lado, o GDUP considera importante que a associação de estudantes se ponha, de facto, ao serviço dos interesses dos estudantes e da escola, importante que isso é para o MA em geral, e para a FDL, em particular,
Por isso, a LISTA E resume os nossos objectivos e apresenta a alternativa que julgamos a mais correcta para a concretização desses objectivos.

As várias caras dos reaccionários
As 8 listas que se apresentam às eleições para a AAFDL não representam 8 alternativas, não são 8 programas distintos — existem, isso sim, bem demarcados dois campos de luta, duas vias para a resolução dos problemas, e várias confusões pelo meio. De um lado estão os reaccionários, do outro os estudantes que desejam uma FDL democrata e progressista.
De facto, todas as forças partidárias compreenderam a importância de uma associação de estudantes e até os fascistas, à espera de melhor hora, se lançam nas batalhas da democracia e jogam como "independentes" na tentativa de ganhar lugares na escola. É assim que o Mid (lista C) aparece; é assim, também, que a jsd (lista A), depois de terem apoiado a direcção cessante puxando-a para o seu lado, aproveitam-se agora dos seus erros para a derrubar e prosseguir com maior coerência a sua política direitista, de subordinação à política do MEIC e dos fascistas, no mais evidente desprezo pelas aspirações democráticas dos estudantes. A vontade de acabar com as AGE deliberativas, a defesa do dec. de gestão do MEIC e do dec. sobre avaliação de conhecimentos que sairá brevemente, são provas de que não lhes interessa a opinião da escola sobre os seus próprios problemas. É este o 1º bloco, é a 1ª alternativa em que os fascistas apostam.

A única alternativa democrática LISTA E
Devemos votar na LISTA E. Ela é a 2ª e última alternativa-nestas eleições. É a via da mobilização estudantil por um forte MA anti fascista, a via da reestruturação democrática e progressista do ensino, a via da defesa das AGEs soberanas, da avaliação continua, da participação da escola na resolução dos seus problemas, sem esquerdismos que rejeitem discutir propostas de qualquer outro órgão, mas firme na defesa das conquistas já alcançadas pelos estudantes desde o 25 de Abril.

As Falsas Alternativas
No meio destas duas alternativas surgem outras listas que se apresentam sem uma alternativa clara.
Por parte da js (lista B) é evidente o desespero em prometer desta vez fazer tudo aquilo que não fez durante todo o ano e que não pode nunca fazer porque não é isso que o Cardia deseja — o seu Manifesto é um verdadeiro tratado de demagogia. Também a uec (lista F) já não sabe como é que há-de convencer os estudantes a acreditarem nela, na sua honestidade em defender os interesses da escola e não os seus próprios como mostrou não ser capaz, Jogo a seguir ao 25 de Abril (quando os estudantes exigiam o saneamento dos profs fascistas, a uec reunia com o C. Escolar e promovia a passagem a administrativa a prof. catedrático do Freitas do Amaral e outros...)
Aparecem também, para a confusão, ser ainda maior os Mrpp, (lista D); votados ao desprezo pelos estudantes que já acreditaram neles e postos de lado pelos próprios fascistas que deles já não precisam.
Finalmente, apresentam-se também, duas listas de tendência trotskista (G e H), sem verdadeira implantação junto dos estudantes. É a saturação!
• • •
A FDL vive momentos decisivos para a sua própria vivência democrática, vai enfrentar sucessivas investidas do Meic e dos reaccionários para contrariar as conquistas que alcançou nestes últimos anos, vai precisar de uma associação que mobilize cada vez mais estudantes na defesa dos seus interesses, que levante o Movimento Associativo.
UNIR OS ESTUDANTES NA ESCOLA
UNIR OS ESTUDANTES AO POVO
•PELA AMPLA PARTICIPAÇÃO ESTUDANTIL NA VIDA ASSOCIATIVA!
• PELO ERGUER DE UM FORTE M.A. ANTI-FASCISTA!
•PELO FUNCIONAMENTO DEMOCRÁTICO E PROGRESSISTA DA ESCOLA!

GDUP

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo