domingo, 19 de fevereiro de 2017

1972-02-00 - Nº 01 - O Martelo - Com Ope. Estaline

O MARTELO

BOLETIM OPERÁRIO DE INFORMAÇÃO REVOLUCIONARIA DO COMITÉ OPERÁRIO STALINE

Ano Novo, Vida Nova - dizem os nossos patrões, que não fazem mais do que promessas de mundos e fundos para tentarem calar-nos a boca. A "Vida Nova” é só" para eles que têm as suas casas, os seus carros, as suas mulheres, ... E como é que eles têm tudo isso? Todos nós sabemos que os patrões não precisam de trabalhar na fábrica como nós. Eles vão para ver que tal vai a exploração e para "suar” a contar a guita.
Claro que não são eles a lucrar, pois eles pegam nos lucros e dão também "Vida Nova" aos seus lacaios: aos engenheiros, aos advogados, aos chefes da polícia, aos ministros e a outros cães.
Pois a "Vida Nova" podemos nós fazê-la também; lutemos unidos e organizados não contra o nosso patrão mas sim contra todos os patrões, pois seja ele qual for vive sempre à custa dos seus operários.
Nós já não vamos em festas do Natal, onde a empresa "é uma família", nós acreditamos na grande família operaria e trabalhadora, que não teme lutar contra todos os que vivem à sua custa.
Mas os patrões têm medo de nós. Eles vigiam-nos com a PIDE, com o exército e mesmo na fábrica com os bufos, que são os traidores da nossa classe.
Nós podemos ir para os sindicatos e fazer a nossa luta dentro da lei. Mas pensando bem, por aí não íamos longe. Quem faz essa lei? São os doutores, os burgueses que viram da universidade... Portanto nós não podemos ficar sempre dentro da lei, que é a lei dos exploradores, dos burgueses. Temos de usar uma lei própria: a lei operária mundial para podermos destruir todos os exploradores. Se os capitalistas nem a sua lei cumprem, vamos nós cumprir a deles?
Contra a exploração, contra a guerra colonial injusta, pela terra para quem nela trabalha, pela fábrica para os operários, por uma "Vida Nova" para todos os patrões que serão obrigados a trabalhar como todos os operários! - esta é a lei operária, a lei de todos os oprimidos e explorados.
A nossa luta não pode ser feita à sorte. Temos de nos armar (pistolas, martelos, facas, etc.) e, principalmente, temos de nos unir e organizar para que não haja capitalistas que nos derrotem.
A GLORIOSA LUTA DA CLASSE OPERARIA É JUSTA, E COMO TUDO O QUE É JUSTO, ACABARA POR VENCER, QUER OS BURGUESES QUEIRAM, QUER NÃO.
SEM LUTA NÃO HÁ VITORIA

A CLASSE OPERARIA LUTA E VENCE A BURGUESIA TREME
1 - Fábrica de conservas ALVA, em Matosinhos
No dia 5 de Janeiro, as camaradas desta fábrica, foram avisadas por indicação do patrão que não havia trabalho para elas por falta de peixe. As operarias, muitas delas com filhos para sustentar, protestaram mas submeteram-se à ordem. Entretanto chega um carregamento de peixe congelado e o patrão imediatamente as chama para o trabalho.
As operárias depressa compreenderam que trabalhar o peixe assim como pedra seria impossível e então recusaram-se a trabalhar, mesmo depois das ameaças dos chefões. Com pequenas vitorias como esta se constrói uma nova vitória ainda maior até à vitória final; a criação de um Estado Operário, um estado trabalhador.
2 - FABRICA GRUNDIG ELÉCTRICA, EM BRAGA
Em Braga, os capitalistas alemães instalaram uma grande fábrica para explorarem a mão-de-obra portuguesa. Como em Braga há poucas fábricas, eles pensaram que os operários se sujeitariam a qualquer salário.
A fábrica que construíram foi a Grundig Eléctrica que tem cerca de 2.000 operários (na maioria mulheres) e onde se fabricam componentes para televisores, rádios e outras coisas desse ramo que dão lucros fabulosos, embora dê cabo da vista das operárias porque têm de trabalhar com peças muito pequenas. Os salários das mulheres dessa fábrica eram de cerca de 25 a 30 escudos diários e os dos homens 50.00.
Já no ano passado 600 mulheres operárias fizeram uma greve contra a exploração a que estão submetidas.
Vejamos agora o que os sacanas dos patrões queriam fazer e como os operários souberam opor à exploração, a união e a luta de classe. Com a saída do contrato dos metalúrgicos e como os salários eram muito baixos, eles teriam de subi-los para cumprirem as tabelas do mesmo contrato. Mas não estavam para isso, e então decidiram o seguinte: passar todos os trabalhadores do sindicato dos metalúrgicos para o sindicato dos electricistas!!!
Na 2ª feira, dia 7 de Fevereiro, os operários quando foram receber a féria viram que não tinham tido o aumento e resolveram logo baixar os braços e fazer greve. Essa greve durou até 5º feira e nela participaram todos os operários e operárias da fábrica. Durante esses dias a PIDE e a GNR não tiveram descanso dentro da fábrica. Cerca de 20 destes cães-pides, protegidos pela guarda, percorreram todas as secções, metendo as ferramentas nas mãos dos operários, tentando a obrigá-los a trabalhar. Esses filhos da puta chegaram a abusar das nossas camaradas operárias apalpando-as, pelo que, mal se afastavam eram logo insultados. As camaradas responderam como podiam e deviam, com o silêncio, e assim continuou a greve, até que teve de vir da Alemanha o próprio Grundig filho que perante o ardor revolucionário dos operários e operárias foi obrigado a dar aumentos de 75% e mesmo de 100%, pois os anteriores salários eram muito baixos.
OS BURGUESES E TODOS OS EXPLORADORES SÃO UNS TIGRES DE PAPEL. FORTES NA APARÊNCIA, BEM FRACOS NA REALIDADE.
DEIXEMOS QUE ELES, OS BURGUESES, LEVANTEM MUITO ALTO UMA PEDRA; PARA QUE ELA LHES CAIA DE MUITO ALTO NOS PÉS.

O MARTELO
COMITE OPERÁRIO STALINE

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo