domingo, 29 de janeiro de 2017

1977-01-29 - Luta Popular Nº 503 - PCTP/MRPP

Comentário
UM REQUERIMENTO ESCLARECEDOR

O senhor conselheiro da revolução Sousa e Castro não deve certamente ter entranhado o facto de ter recebido no seu gabinete mais um requerimento de um inspector da pide que junto dele requer a sua liberdade. A todos esses pedidos respondeu o senhor Sonsa e Castro com a mesma solicitude com que os Judas e outros reactivadores social-fascistas foram, nas costas do povo e contra os seus interesses e a sua vontade, libertando alguns dos piores assassinos e criminosos da pide.
No entanto, este requerimento parte do inspector Pereira de Carvalho, director dos serviços de informação da Pide à altura do 25 de Abril e responsável pela modernização daquela polícia fascista. Parte de um conhecido torcionário e assassino que foi o responsável por toda a espécie de crimes cometidos contra centenas de trabalhadores e contra os verdadeiros comunistas.
Apesar de tudo isto, e tal como o requerimento refere, o inspector da pide Pereira de Carvalho gozou de liberdade pessoal até ao dia 6 de Maio de 1974 porque esteve «ao serviço das novas autoridades militares» — o que só pode significar que eram reconhecidas qualidades de carácter, de lealdade, de inteligência e de competência, pois que nenhuma autoridade militar poderia ignorar as «funções» que desempenhou na pide.
Tais palavras provam que logo a seguir ao 25 de Abril o inspector Pereira de Carvalho se tomou no braço direito dos oficiais social-fascistas e fascistas que de imediato, se quiseram apoderar do aparelho repressivo da ditadura e de todos os arquivos e armas que se encontravam na António Maria Cardoso. Tais palavras provam, e o facto de Pereira de Carvalho apenas ter sido preso a 6 de Maio confirma, que os MFA's e toda a cacicagem social-fascista do P«C»P que os alimentava, dirigia se apoiava em nada estavam interessados em dissolver a pide e em castigar os criminosos fascistas.
Antes pelo contrário, pretendiam colocá-los ao seu serviço, tal como se utilizaram dos bons conhecimentos do assassine Pereira de Carvalho, que como director dos serviços de investigação certamente que foi uma preciosa ajuda para os social-fascistas do P«C»P fazerem desaparecer todos os processos das traições que cometeram, todas as provas da cumplicidade e de colaboração que existiu entre a pide e os dirigentes do partido dito comunista, bem como para inquirirem acerca do nosso Partido e dos seus militantes. Não deixa de ser elucidativo em toda esta história que os primeiros interrogatórios feitos pelos novos pides do P.C.P Honrado e C.ª ao seu comparsa Pereira de Carvalho tenham exactamente incidido sobre o camarada Arnaldo Matos e outros dirigentes do nosso Partido.
O pide Pereira de Carvalho acabou por ser protegido da ira e da revolta popular que queria aplicar o justos castigo aos pides e foi enviado pelos social-fascistas para Caxias onde estava a salvo de qualquer «percalços» e apto a colaborar amplamente — como o fez — com a nova pide social-fascista no fornecimento dos conhecimentos — bem poucos eram! — que a pide dispunha sobre a actividade revolucionária do MRPP.
De tal modo foi tão bem tratado, que este criminoso, no seu requerimento, não poupa elogios aos seus protectores afirmando que a «Comissão de Extinção da Pide/GDS deu bom andamento, e bem, à libertação provisória da quase totalidade» dos pides. E que é por isso mesmo que ele se acha, porque vê ser o momento oportuno com o direito da ser colocado em liberdade.
E, como uma das testemunhas abonatórias dos seus bons serviços indica o comandante Costa Correia, oficial que comandou as tropas que ocuparam a Pide a seguir ao 25 de Abril. Oficial da Armada que quer durante esse período, quer no STAPE não deixou de demonstrar claramente que serve os interesses e os objectivos do partido social-fascista,
O requerimento do pide Pereira de Carvalho vem demonstrar claramente aquilo que o nosso Partido sempre denunciou ao povo. Os oficiais do MFA, os caciques do P«C»P que se acoitaram na sede da Pide nunca tiveram qualquer intenção de desmantelar e destruir aquela polícia política da ditadura fascista. Procuraram antes, colocá-la ao seu serviço.
O requerimento do pide Pereira de Carvalho sem dúvida que fala por si...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo