sábado, 13 de agosto de 2016

1976-08-13 - COMUNICADO A POPULAÇÃO DAS FAMÍLIAS DOS ANTI FASCISTAS E ANTI-SOCIAL-FASCISTAS PRESOS - MRPP

COMUNICADO A POPULAÇÃO DAS FAMÍLIAS DOS ANTI FASCISTAS E ANTI-SOCIAL-FASCISTAS PRESOS

No dia 21 de Julho foi assaltada a sede do MRPP no Alto Pina, onde se encontravam 3 pessoas, por cerca de meia centena de indivíduos armados afectos à organização terrorista UDP que saquearam e destruíram o recheio adquirido com o dinheiro do Povo.
A PSP chamada ao local, não só protegeu a actuação dos assaltantes, como ainda carregou brutalmente à bastonada, a tiro e empregando diversos tipos de gases tóxicos e paralisantes, sobre as pessoas que entretanto acorreram ao local a fim de proteger a Sede.
A barbaridade nazi da polícia foi ao ponto de lançar granadas de gás lacrimogéneo para dentro das instalações e fechando a porta para impedir a saída das pessoas, facto que afectou nomeadamente as pessoas que residem no prédio.
Em seguida procedeu à prisão de quatro militantes do MRPP que de imediato espancou, voltando a espancar dentro da esquadra do Alto Pina quando pediram a presença dum advogado. Nomeadamente as mulheres presas foram alvo de atentados ao pudor dentro da esquadra.

Na sequência de todos estes acontecimentos o poder judicial actuou em objectivo conluio com a P.S.P.,tendo o juiz JOÃO VAZ REBORDÃO ordenado a prisão de 3 pessoas e libertado uma por "coincidência" filho dum guarda da PSP.
Este mesmo juiz, numa atitude perfeitamente hipócrita, disse aos familiares dos presos que estava bastante penalizado por ver as pessoas feridas e com as roupas ensanguentadas mas recusou-se a ordenar exame médico aos presos.
Este conluio vem a culminar com a acusação feita pelo inspector da judiciária MENDONÇA DE FREITAS em que acusa os militantes do MRPP de pretenderem atacar elementos de outro partido político, ou seja, transforma-se o agredido em agressor, o acto de legítima defesa em agressão.
Nós, familiares, não podemos deixar de alertar os cidadãos do nosso País para o significado que esses actos têm.
Do nosso ponto de vista as atitudes da polícia, bem como a do poder judicial, são uma provocação premeditada ao programa Democrático e Patriótico do General Ramalho Eanes, levada acabo através do ataque desenfreado a um partido democrático que se, ou pela sua actuação consequente na defesa do referido programa.
Uma provocação fascista que serve perfeitamente os intentos golpis­tas dos social-fascistas para agitarem o espantalho da besta fascista tal é a interpretação política que fazemos dos factos e que constitui também uma chamada de atenção à consciência política de todos os cidadãos verdadeiramente democratas e patriotas que não deverão deixar passar claro o significado político destes acontecimentos. Caso contrário, hoje o que sucedeu a quatro, acontecerá amanhã a quarenta, depois a quatrocentos e depois... talvez seja tarde danais.
Apelamos de forma veemente a todos os verdadeiros democratas, patriotas, anti-fascistas e anti-social-fascistas para que lutem de forma a transformar o julgamento na condenação de todas as forças, instituições e partidos anti-democráticos e golpistas.
LIBERTAÇÃO IMEDIATA DOS ANTI-FASCISTAS E ANTI-SOCIAL-FASCISTAS PRESOS!
LIBERDADE PARA O POVO!

Lisboa, 13 de Agosto de 1976.
Os familiares dos presos políticos do MRPP

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo