terça-feira, 9 de agosto de 2016

1976-08-09 - CONTRA AS MANOBRAS DIVISIONISTAS! - UDP

CONTRA AS MANOBRAS DIVISIONISTAS!
REFORCEMOS A UNIDADE, A DEMOCRACIA E COMBATIVIDADE
DOS GDUPs!

À Comissão Nacional Provisório de Unidade Popular
Aos GDUPs, a todas as Concelhias e Distritais
Aos trabalhadores que votaram Otelo e a todos os antifascistas e patriotas
A Comissão Nacional Provisória de Unidade Popular, organismo cujo funcionamento está previsto terminar com a realização do Congresso dos GDUPs, aprovou uma posição sobre o balanço do processo de unidade que faz algumas críticas à UDP e aos camaradas comunistas do PCP(R). Em relação a essas críticas a UDP assume as seguintes posições:
1  - A UDP considera que as acusações que lhe são dirigidas escondem de facto uma posição de ataque declarado à UDP, ataque esse que visa isolar a nossa organização no seio do movimento de unidade popular. Consideramos estas posições tanto mais graves quanto a burguesia reaccionária, os traidores e divisionistas do partido do dr. Cunhal e todas as forças antipopulares abrem fogo sobre o movimento de unidade popular procurando cavar divisões e cisões, procurando em última análise destruí-lo. Pensamos pois, que as posições defendidas na CNP facilitam objectivamente o reforço das posições antipopulares.
A UDP considera ainda serem estas críticas uma manifestação de fraqueza e de cedência perante o partido do dr. Cunhal e a burguesia reaccionária que procuram na sua imprensa confundir os GDUPs com a UDP para diminuírem o alcance real dos 800.000 votantes em Otelo. Essa manifestação de cedência surge ainda agravada pelo facto de a Comissão Nacional Provisória não ter definido uma posição pública clara de crítica às provocações e calúnias (em particular em relação ao general Otelo) dos divisionistas e traidores que dirigem o partido do dr. Cunhal.
2  - A UDP reafirma a sua defesa intransigente da democracia, no seio dos GDUPs e a necessidade imperiosa de um Congresso democráti­co de mobilização para a luta, e amplamente, representativo das bases do movimento e das massas populares em geral.
A UDP não teme a democracia. Pelo contrário, é uma das organizações presentes nos GDUPs que ao longo da sua existência tem realizado Congressos e conferências públicas, tem estruturas eleitas democraticamente, tem tido luta de ideias, tem combatido interna e externamente contra os seus inimigos e contra toda a espécie de caciques. Sabemos que temos muito que aprender e evoluir mesmo sob o ponto de vista da democracia interna e das relações com as massas, mas nunca tivemos medo de nos autocriticar, como provou o nosso 2º Congresso. De tal espírito de abertura e de autocrítica nem todas as organizações presentes nos GDUPs se poderão reivindicar. Disso nos sentimos orgulhosos e ai reside em grande medida a nossa força o nosso crescimento constante e a nossa implantação nacional.
3  - A UDP reafirma a sua firme intenção de manter o apoio e o empenhamento nos GDUPs e na construção da frente popular, e em particular na organização do Congresso de Unidade Popular, na campanha para as autarquias locais, e em todas as outras actividades dos GDUPs com vista à sua ampliação e ligação às massas.
A UDP reafirma que nunca abandonará qualquer estrutura deste movimento democraticamente eleita nem se furtará a esforços para a realização democrática do Congresso.
4  - A UDP reafirma que os seus compromissos são com o povo e que não se deixará arrastar por polémicas parlamentares estéreis. O povo trabalhador que votou Otelo, todos os antifascistas e revolucionários estão atentos e vigilantes aos pescadores, de águas turvas no exterior e no interior do movimento de unidade popular.
A UDP como firme defensora da unidade do povo também estará atenta e vigilante, e continuará a lutar intransigentemente e com um empenhamento cada vez maior na única alternativa popular e revolucionária para Portugal, um governo do 25 de Abril do povo, um governo que reprima os fascistas e defenda a liberdade para o povo um governo que obrigue os ricos a apertarem o cinto e a pagarem a crise económica que provocaram,
CONTRA O FASCISMO! CONTRA A MISÉRIA UNIDADE POPULAR EM FRENTE COM O CONGRESSO DOS GDUPs!

Lisboa, 9 de Agosto de 1976
A Comissão Permanente do Conselho Nacional da UDP

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo