terça-feira, 9 de agosto de 2016

1976-08-09 - AS LUTAS CONTRA O AUMENTO DO CUSTO DE VIDA - UCRP(ml)

AS LUTAS CONTRA O AUMENTO DO CUSTO DE VIDA

Como todos nós temos vindo a sentir, o custo de vida tem vindo a aumentar constantemente, todos nós sabemos que apesar dos aumentos de alguns salários, esses aumentos são automaticamente abafados pela subida dos géneros essenciais, no fim de contas o que se passa é que os salários continuam a não dar para viver, para a maioria dos trabalhadores do nosso país, nós somos forçados a perguntar porque motivo isto sucede?, ainda, porque motivo sucede em todos os países capitalistas inclusive os países outrora socialistas e onde foi instaurado de novo o capitalismo como a U.R.S.S., a Checoslováquia, R.”D”.A. e outros.
Isto sucede porquê?
Porque quem tem o poder político-económico é a burguesia que atravessa neste momento, uma crise económica, crise essa que ela própria engendrou, e como não consegue ter já os seus chorudos lucros quer fazer pagar às classes mais exploradas essa mesma crise, congelando os salários, e aumentando de seguida os géneros de primeira necessidade. Mas esta crise não se passa apenas no nosso país ela representa uma parcela da crise mundial do capitalismo. Mesmo nos países outrora socialistas e que hoje estão já dominados pelo capitalismo como é o caso da Polónia em que a camarilha burguesa comandada por Gierech pretendia elevar o custo de vida em cerca de 16%, esta atitude levou a que os operários e outros trabalhadores se levantassem contra esta medida, em inúmeras manifestações e paralisações (levantamento de barricadas, corte das comunicações, paralisação dos transportes, organização de piquetes) e por último incendiamento da sede do partido social-fascista. Demonstrando deste modo a cínica argumentação do governo polaco de “manter estáveis os preços dos alimentos básicos”, enquanto não faz mais do que praticar e impulsionar uma política de saque contínuo ao proletariado, o que fez com que o povo dissesse basta! E fez deste modo recuar a camarilha de Gierech, que vendo a oposição do povo recuou mantendo o congelamento dos preços nos alimentos básicos, não por preocupação dos interesses da classe operária, mas apenas por verem a resoluta luta por eles travada contra esta medida.
Num comunicado do Partido Comunista da Polónia onde apelava ao povo para lutar contra esta medida podia ler-se:
"A luta não terminou ainda, mas esta vitória tem um significado imenso. Mostrou o grande poder do proletariado e a sua unidade na luta que fez toda a classe operária verdadeiramente combativa e revolucionária. Arrancou a máscara à camarilha burguesa de Gierech, revelando as suas debilidades, perdendo assim a sua reputação entre as massas revolucionárias. A burguesia viu-se obrigada a recuar debaixo da pressão do proletariado, mas não abandonou a sua intenção para uma segunda prova. Declarou que formulará uma nova proposta sobre o aumento de preços. Operários estejam vigilantes e firmes para a luta e não se deixem enganar pelos defensores do sistema burguês!
Também a classe operária e demais trabalhadores explorados portugueses, se devem manter alerta para as manobras da burguesia, aprendendo com as lutas da classe operária polaca, contra a camarilha de Gierech, e dando-lhe todo o seu apoio e solidariedade como explorados que somos embora que de países diferentes.
ABAIXO O AUMENTO DO CUSTO DE VIDA
VIVA A LUTA DOS TRABALHADORES DA POLÓNIA
VIVA O INTERNACIONALISMO PROLETÁRIO

Célula do Cacém da União Comunista para a Reconstituição do Partido (marxista-leninista)
9/8/1976

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo