segunda-feira, 25 de julho de 2016

1976-07-25 - TEXTO SOBRE O CAMPO PARA DISCUSSÃO NOS NÚCLEOS - UDP

TEXTO SOBRE O CAMPO PARA DISCUSSÃO NOS NÚCLEOS

— “... O motor fundamental do avanço da luta revolucionária é a aliança operária-camponesa, que é a base da vasta corrente popular ..." ”...O campo é hoje em dia o peso que vai decidir para que lado tombará o fiel da balança do futuro do nosso país: se para o fascismo, se no sentido da Democracia Popular..." do programa politico da UDP.
Camaradas depois de termos compreendido isto, temos que arregaçar mangas e deitar mãos ao trabalho. Temos que desenvolver formas organizativas de trabalho que permitam cumprir o que temos andado a dizer.
No nosso distrito existem milhares de rendeiros e camponeses pobres; no nosso Distrito existe um largo sector do nosso povo, existe um aliado mais firme da classe operária arredado quase completamente da luta, e a culpa é nossa dos revolucionários.
Não é do cimo da montanha que se pescam peixes no rio, também não chega gritarmos da cidade pelos camponeses.
1ª TAREFA:
IR ATÉ AOS CAMPOS
a) - criação a nível central de um grupo de apoio ao trabalho no campo:
b) - destacar camaradas, profissionalizados ou não, para os Concelhos do interior:
c) - organizar brigadas de intervenção em feiras, etc.
d) - preparar as reuniões concelhias, prepará-las para tomar medidas a nível local e aprovarem directivas concretas:
e) - organizar a intervenção dos camaradas do IRA, dos camaradas ligados à saúde, etc.
f) - os camaradas da UEDP devem ver que um trabalho revolucionário não permite férias, as provas de dedicação revolucionária que têm dado nas escolas dão-nos a certeza que saberão alargar a luta, organizando os estudantes revolucionários a saírem das escolas integrando-se na luta dos mais explorados e dos camponeses em especial.
ASSALARIADOS RENDEIROS E CAMPONESES POBRES TAREFAS DE AGITAÇÃO E ORGANIZAÇÃO
Objectivo: cumprimento da lei do arrendamento rural, criação de associações de rendeiros.
Atendendo à mobilização e condições locais, formação de Cooperativas, Associações ou simplesmente levar ao armazenamento para venda conjunta de produtos e compra conjunta de adubos e restante material para a lavoura.
Fundamental é unir e organizar.
Este trabalho deve ser precedido da divulgação de artigos da Constituição que digam respeito aos camponeses da lei do arrendamento rural dos decretos sobre os preços dos adubos e sulfatos às associações, leis sobre os baldios, etc.: tudo isto em textos simples que mostrem as vantagens, ou desvantagens, lutando pelo cumprimento real daquilo que é bom e pela revogação daquilo que é mau.
Todo este trabalho deve ser acompanhado de agitação em torno dos objectivos imediatos, simultaneamente manter contactos com CTs em relação ao abastecimento de cantinas de fábricas com a direcção da cantina universitária e com as Com. Moradores.
OBJECTIVOS MAIS GERAIS DE LUTA;
Que o Estado garanta o esgotamento de toda a produção a preços justos.
Para que os auxílios e prémios de que usufruem os intermediários passem para os produtores.
Pela melhoria das condições de vida nos aspectos de saúde, habitação e cultura.
Camaradas este texto só em parte é fruto da experiência, ainda tem muito de considerações de gabinete, só a prática o poderá rejeitar ou comprovar, melhorando-o, concretizando-o e alargando-as perspectivas de luta e organização.
ISTO VAI SER PEITO CAMARADAS!
VIVAM OS CAMPONESES IRMÃOS DOS OPERÁRIOS!
VIVA A ALIANÇA OPERÁRIO-CAMPONESA!
PELA DEMOCRACIA POPULAR!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo