domingo, 24 de julho de 2016

1976-07-00 - O Partido Nº 02 - OC(B) de P

a táctica e os comunistas

Resolução sobre o papel do Partido Comunista na revolução proletária. (l)
O proletariado mundial está nas vésperas de uma luta decisiva. A época em que nós vivemos é uma época de acção directa contra a burguesia. A hora decisiva está próxima, Brevemente em todos os países onde existe um movimento operário consciente, a classe operária terá que desencadear uma série de combates decisivos de armas na mão.
Mais do que nunca, neste momento, a classe operária necessita duma solida organização. Infatigavelmente a classe operária deve-se preparar para esta luta, sem perder uma só hora do tempo precioso que possui.
Se a classe operária, durante a Comuna do Paris (em 1871) tivesse um Partido Comunista solidamente organizado, ainda que pouco numeroso, a primeira insurreição do heróico proletariado francês teria sido mais forte, teria evitado grande quantidade de erros e de falhas. As batalhas que o proletariado tem que levar a cabo agora, numa conjuntura histórica diferente, teriam, sem o Partido, resultados muito mais graves que em 1871.

O 2º Congresso mundial da Internacional Comunista assinala, pois aos operários revolucionários do mundo inteiro a importância do que se segue:
1- O Partido Comunista é uma fracção da classe operária e, bem entendido, é a sua fracção mais consciente, mais revolucionária. Ele nasce pela selecção espontânea dos trabalhadores mais conscientes, mais clarividentes. O Partido Comunista não difere da grande massa, nos seus interesses da classe operária. O Partido Comunista não difere da grande massa dos trabalhadores, na medida em que ele visa a missão histórica, de conjunto, da classe operária através de todas as situações específicas que se vão desenrolando; defendendo não os interesses de alguns grupos ou profissões mas sim os de toda a classe no seu conjunto. O Partido Comunista constitui a força organizadora política, com a ajuda da qual a fracção mais avançada da classe operária dirige, no bom caminho, as massas do proletariado e semi-proletariado.
2 - Enquanto o poder governamental não for conquistado pelo proletariado, enquanto este último não afirmar, de uma vez por todas, a sua dominação e derrotar toda a tentativa de restauração burguesa - o Partido Comunista não englobará nas suas fileiras senão uma pequena quantidade de operários. Até à tomada do poder e durante a época de transição o Partido Comunista pode, graças a circunstâncias favoráveis, exercer influência ideológica e política, incontestável, sobre todos os sectores proletários e semi-proletários da população, mas ele não os poderá ainda assumir organizados nas suas fileiras. Só quando a ditadura do proletariado privar a burguesia dos meios do acção poderosos, como a imprensa, a escola, o Parlamento, a igreja, a administração, etc., só quando a derrota definitiva do regime burguês for evidente aos olhos de todos, - que todos ou operários, ou pelo menos grande parte, começarão a entrar nas fileiras do Partido Comunista.
3 - As noções de partido e de classe devem distinguir-se com bastante clareza. Os membros dos sindicatos "cristãos" o liberais da Alemanha, da Inglaterra e de outros países, pertencem inelutavelmente à classe operária. Os grupos operários mais ou menos consideráveis que continuam sob a alçada do Scheidemann, de Gonpers e associados, pertencem também à classe operária. Em tais condições históricas, é bastante possível que numerosas tendências reaccionárias venham luz do dia no seio da classe operária. A tarefa do comunismo não é a de se adaptar a estes elementos atrasados da classe operária, mas de elevar toda a classe operária ao nível da vanguarda comunista. A confusão entre estas duas noções de partido e classe pode conduzir a faltas e mal entendidos bastante graves. É evidente, por exemplo, que os partidos operários devem, contra todos os preconceitos e estado de espírito duma porção da classe operária durante a guerra imperialista, insurgir-se a todo o custo contra esses preconceitos e estados de espírito, em nome dos interesses históricos do proletariado que põem o Partido Comunista na obrigação de declarar guerra à guerra.
4 - A Internacional Comunista está absolutamente convencida que a falência dos antigos partidos “sociais-democratas" da 2ª Internacional não pode, em algum caso, ser considerada como a falência dos Partidos proletários em geral. A época da luta directa com vistas à ditadura do proletariado suscita um novo Partido proletário mundial: o Partido Comunista.
(a continuar)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo