segunda-feira, 19 de junho de 2017

1977-06-19 - BOLETIM Nº 7 da Organização Regional de Lisboa da FEM-L

PROLETÁRIOS OS TODOS OS PAÍSES, POVOS E NAÇÕES OPRIMIDAS DO MUNDO, UNI-VOS!

LUTA POPULAR

ÓRGÃO CENTRAL DO PARTIDO COMUNISTA DOS TRABALHADORES PORTUGUESES PCTP/MRPP)

BOLETIM – Nº 7 da Organização Regional de Lisboa da FEM-L
19/6/77

ULTIMO DIA DA CAMPANHA.
QUE CONCLUSÕES TIRAR?
Ao bater das 24 Horas do dia em que deveríamos dar por terminada a Campanha pela venda Integral do Luta Popular — domingo, 19 de Junho o grande placard afixado na Sede Central da nossa Federação somava 1179 jornais vendidos.

Estes números (que não totalizam o número de jornais realmente vendidos, já que algumas escolas não afixaram os números até então atingidos) merecem-nos alguns comentários. Em primeiro lugar eles constituem já uma vitória. A grande maioria dos quadros dispôs-se a lutar e a vencer, e um número assinalável de escolas, muito em particular das grandes escolas com objectivos avançados, conseguiram atingi-los. No entanto, e este é o segundo aspecto, não alcançamos vender a totalidade dos 1750 jornais. Sem analisarmos ainda neste boletim, a totalidade dos ensinamentos que podemos colher, e dos erros cometidos na Campanha, queremos deixar bem vincada a nossa opinião de que a Campanha pela Venda Integral da Edição fortaleceu a nossa organização regional, criou as condições para a adopção de uma nova atitude, justa e correcta da nossa Federação em relação ao órgão central do Partido e permitiu elevar o nosso trabalho político comunista.
Entretanto, o objectivo está perfeitamente ao nosso alcance e vamos MOBILIZAR TODAS AS FORÇAS PARA O ATINGIR ATÉ às 24H DE SEGUNDA Fª.
Para isso o DEP. do LUTA POPULAR comunica as 4 MEDIDAS tomadas pelo COMITÉ PERMANENTE DO COMITÉ REGIONAL: (ver na folha seguinte)

Amanhã Escreveremos a Grandes Letras no nosso Boletim
ATINGIDA A TOTALIDADE DO OBJECTIVO da Campanha pela Venda integral do Luta Popular

As 4 Medidas
1º EDITAR O BOLETIM,
2º APOIO MILITANTE DOS SECTORES E ESCOLAS QUE CUMPRIRAM O OBJECTIVO AOS SECTORES E ESCOLAS ATRASADOS
3º CUMPRIR O PRINCIPIO POR CADA ADERENTE UM JORNAL
4º RESOLUÇÃO, CÉLULA A CÉLULA DAS SUAS DI­FICULDADES.

Quem Apoia Quem
DIREITO apoia MEDICINA
COM. INT. ENS. SUP. apoia Z. Ocidental
AF. DOMINGUES e IST apoia CANDIDATOS e COOPERATIVAS KARL MARX
DEP. L.P., PIONEIROS e SECTOR DA SAÚDE apoiam LINHA DE SINTRA e LINHA DE CASCAIS
Z. Oriental apoia C. Cidade
LETRAS, ISCAL, ISCTE, VILA FRANCA e TORRES VEDRAS devem contar com as próprias forças

Aprender com os dois aspectos da Campanha no Comité Local da Zona Oriental
O Comité Local da Zona Oriental cumpriu, na quase totalidade das suas escolas, os objectivos definidos:
Este facto, já por si de realçar, merece maior relevância se estudarmos a experiência do sector e os ensinamentos que de la podemos colher.
Inicialmente o Comité Local começou por determinar os objectivos: multiplicou por dois o número de jornais habitualmente recebidos, e dispôs-se ao trabalho com a convicção do que na grande batalha que se iria travar obteria a vitória.
Logo no sector e passados os dois primeiros dias da Campanha se começaram a esboçar as duas linhas: uma escola avançada conseguiu atingir a totalidade do objectivo: o Liceu D. Leonor; enquanto outras aguardavam em “suave” repouso que a campanha avançasse, até que os sinos tocassem para então se porem a correr, como bombeiros apressados face à eminencia do ruir do seu objectivo, devorado pelo fogo da capitulação: caso do L.D. Pedro V.
Ousando lutar contra o capitulacionismo a esquerda dentro do Comité Local logrou mobilizar todas as forças, conjugou todos os esforços e pôs em acção um correcto espírito do partido materializado no apoio dado pelas escolas mais avançadas às mais retardatárias para que também estas cumprissem os seus objectivos. E os nossos camaradas ousaram ligar-se às massas do Povo do bairro de Che­las, ouvindo das bocas sacrificadas dos operários e trabalhadores as expressões que nos fortalecem o nos honram como soldados do Partido: "Vocês são estudantes do PCTP/MRPP? Então entrem. Os estudantes do vosso Partido apoiaram-nos muito aquando da ocupação das casas que o Povo constrói e que são do Povo." Em 3 horas de domingo venderam 73 jornais LUTA POPULAR.
No entanto, os nossos camaradas deste sector não souberam, ainda que isso seja o aspecto secundário no sou trabalho, guardar da tartaruga a sabedoria para a aplicar em pés de lebre. Desta, certos camaradas aprenderam apenas a sobranceria de que nos fala a fábula. Resultado: aquele "quase" que nos ia estragando o 1º parágrafo deste texto. Isto é, duas escolas do sector não cumpriram o objectivo - o L. Gil Vicente e os Pupilos do Exército, nem a conjugação de todos os esforços permitiu que o sector pudesse assumir o orgulho legítimo de ter cumprido integralmente, nesta campanha, o seu dever de comunistas, todos os esforços permitiu que o sector pudesse assumir o orgulho legítimo de ter cumprido integralmente, nesta campanha, o seu dever de comunistas, nem alegria reforçada de encarar, com modéstia, as tarefas árduas que se nos abrem.

AO FECHAR DA PAGINA:

1253 JORNAIS VENDIDOS

Sem comentários:

Enviar um comentário

1977-06-23 - PROCESSO DE UM PROCESSO - 2 - Rui Gomes

PROCESSO DE UM PROCESSO - 2 A FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DOS DIREITOS DO HOMEM   PRONUNCIA-SE   PELA IMEDIATA LIBERTAÇÃO DE RUI GOMES E...

Arquivo