quarta-feira, 14 de junho de 2017

1977-06-14 - A Forja Vermelha Nº 07 - UCRP(ml)

EDITORIAL

NO FORJA VERMELHA Nº 6, NO SEU EDITORIAL FALAVA-MOS NA NECESSIDADE DE SE PROCEDER À REALIZAÇÃO SE UMA ASSEMBLEIA DE DELEGADOS QUE TIVESSE COMO OBJECTIVO PRINCIPAL A DISCUSSÃO DA SITUAÇÃO DO POSTO DE SOCORROS, DEIXANDO BEM CLARO AOS OLHOS DE TODA A GENTE QUE OS TRABALHADORES DAS O.G.M.A. NÃO QUERIAM DEIXAR FICAR IMPUNE A MORTE DO CAMARADA FITAS.
ESTA ASSEMBLEIA VEIO A REALIZAR-SE NO DIA 7, MOSTRANDO DE INICIO A C.T. HESITAÇÃO E CONCILIAÇÃO AO NÃO AVANÇAR DECIDIDAMENTE PARA A REALIZAÇÃO DA MESMA, SÓ O FAZENDO QUANDO COMEÇOU A SENTIR A "CHEGADA” DE VÁRIAS MOÇÕES À SALA DO TRABALHADOR, EXIGINDO LEVAR À PRATICA A ASSEMBLEIA.

NO FORJA VERMELHA ESPECIAL DEDICADO À MORTE DO CAMARADA FITAS APONTAVA-MOS ALGUMAS PROPOSTAS QUE EM NOSSO ENTENDER SÃO JUSTAS, TAIS COMO A EXISTÊNCIA DE UM MÉDICO PERMANENTE NO POSTO DE SOCORROS; DE MANTER UMA AMBULÂNCIA PERMANENTE JUNTO DO MESMO EQUIPADA COM MEIOS TÉCNICOS E HUMANOS CAPAZES DE FAZER FACE A SITUAÇÕES COMO ESTA QUE AGORA ACONTECEU, E CURSOS DE FORMAÇÃO DE PRIMEIROS SOCORROS.
NA ASSEMBLEIA REALIZADA AS DECISÕES LÁ TOMADAS NO FUNDAMENTAL SÃO JUSTAS ENQUANTO A NÓS ELAS VÃO DE ENCONTRO AS PROPOSTAS POR NÓS AVANÇADAS, QUE CITAMOS ACIMA.
ESTAS DECISÕES TOMADAS IRÃO SER ENTREGUES PELA COMISSÃO DE TRABALHADORES À DIRECÇÃO MILITARISTA E DIVIDEM-SE EM DUAS PARTES;
- MEDIDAS A TOMAR A CURTO PRAZO, COMO MANTER A AMBULÂNCIA PERMANENTE NO POSTO DE SOCORROS E EQUIPADA CONVENIENTEMENTE;
MÉDICO PERMANENTE E FISCALIZAÇÃO DA comissão de Centro Social na actividade do Posto de Socorros, levando assim à prática uma maior participação na vida do Posto Clínico da nossa fábrica;
- A médio prazo, mas a começar desde já foi decidido que a Comissão de Trabalhadores conjuntamente com a Comissão de Centro Social e com um técnico de segurança E HIGIENE EFECTUE UM ESTUDO SOBRE A Reestruturação do Posto de Socorros a apresentar posteriormente aos trabalhadores.
Isto sintetizando são as medidas saídas da assembleia de delegados que em nossa opinião são justas e que desde JÁ em torno das quais apelamos TODOS os trabalhadores QUE: SE UNAM EXIGINDO A SUA APLICAÇÃO, A FIM DE CONQUISTARMOS À DIRECÇÃO MILITARISTA AQUILO A QUE NÓS TEMOS DIREITO - UMA ASSISTÊNCIA SOCIAL CONDIGNA,
UM OUTRO ASPECTO NÃO, FOCADO NA ASSEMBLEIA DE DELEGADOS, POR ERRO DO DELEGADO DA EL FOI O DE NÃO CHAMAR À ATENÇÃO DA C.T. PARA A ALÍNEA B) DA MOÇÃO DESTA SECÇÃO QUE PROPUNHA " UMA PARALIZAÇÃO SIMBÓLICA (5 MINUTOS) DE HOMENAGEM AO CAMARADA FITAS NO DIA 27/6/77, DIA EM QUE SE CUM­PRE I MÊS APÓS A SUA MORTE.
Terminada a reunião já muito tarde, NÃO houve hipótese de levantar esta questão tendo o sub-delegado da EL no dia seguinte PERGUNTADO O PORQUE DA C.T. NÃO APELAR A ESTA PARALISAÇÃO.
FOI-LHE RESPONDIDO PELA C.T. QUE A PARALIZAÇÃO A FAZER ERA NO DIA DO SEU “FUNERAL E QUE CINCO MINUTOS PARALISADOS, ESTÃO TODOS OS DIAS OS TRABALHADORES". É ESPANTOSO!
ORA NO DIA DO SEU FUNERAL NÃO PODIA SER, POIS ESTE REALIZOU-SE NO FIM DE SE­MANA E QUE INDEPENDENTEMENTE DOS TRABALHADORES PODEREM ESTAR OU NÃO PARADOS, ISTO NÃO TEM QUALQUER SIGNIFICADO COM PARALIZAÇÃO APONTADA PELA SECÇÃO.
OS CINCO MINUTOS DE PARALIZAÇÃO ERAM NO SENTIDO DOS TRABALHADORES MOSTRAREM À BURGUESIA MILITARISTA O SEU PESAR COM A MORTE DO SEU CAMARADA E TAMBÉM UM MARCO CONTRA A EXPLORAÇÃO CAPITALISTA NA NOSSA FÁBRICA NA QUAL OS RESPONSÁVEIS PELA MORTE DO FITAS SÃO A DIRECÇÃO MILITARISTA.
A C.T. AO TOMAR O PARTIDO DE “FICARMOS QUIETOS”, MAIS NÃO FAZ DO QUE JÁ VEM SENDO HABITUAL - A CONCILIAÇÃO COM A DIRECÇÃO, NÃO OUSANDO MOBILIZAR OS TRABALHADORES PARA A RESOLUÇÃO DOS SEUS PROBLEMAS, ATRAVÉS DESTES ASPECTOS CONCRETOS,
POR FINAL, TEMOS A DIZER QUE MAIS UMA VEZ NA ASSEMBLEIA DE DELEGADOS HOUVE FRACA PARTICIPAÇÃO DE DELEGADOS ESTANDO PRESENTES SÓ 28, MAIS UMA VEZ ALERTAMOS OS TRABALHADORES PARA ESTA SITUAÇÃO QUE SÓ FAVORECE OS NOSSOS INIMIGOS DE CLASSE, EM PARTICULAR A DIRECÇÃO MILITARISTA.
A C.T. É TAMBÉM RESPONSÁVEL POR ESTE ESTADO DE COISAS E DIZEMOS NOVAMENTE QUE HÁ SECÇÕES QUE NÃO TEM DELEGADOS E QUE CABE À C.T. IR A ESTES LOCAIS DE TRABALHO REUNIR OS TRABALHADORES, INCENTIVA-LOS E AUSCULTAR OS SEUS PROBLEMAS ASSIM COMO AS SUAS CRÍTICAS EM RELAÇÃO AO TRABALHO DA C.T. ATÉ AQUI.

POR UMA ASSISTÊNCIA SOCIAL CONDIGNA!
AVANTE NA MOBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES, PELA DEFESA DAS NOSSAS REIVINDICAÇÕES!

PELA ELEIÇÃO DE DELEGADOS NAS SECÇÕES ONDE NÃO EXISTEM!

Sem comentários:

Enviar um comentário

1977-06-23 - PROCESSO DE UM PROCESSO - 2 - Rui Gomes

PROCESSO DE UM PROCESSO - 2 A FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DOS DIREITOS DO HOMEM   PRONUNCIA-SE   PELA IMEDIATA LIBERTAÇÃO DE RUI GOMES E...

Arquivo